A RELAÇÃO ENTRE ESPAÇO GEOGRÁFICO E O SURGIMENTO DE INOVAÇÕES TECNOLÓGICAS : O CASO DAS EMPRESAS LATINO- AMERICANAS DE GRANDE PORTE.

Autores

  • Paulo Roberto Feldmann Universidade de São Paulo. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2007.74051

Palavras-chave:

Inovação, América Latina, Ambiente Empresarial, Atraso Tecnológico

Resumo

O texto mostra que o atraso tecnológico da América Latina ocorre devido às suas condições geográficas , que não contribuem para criar um contexto favorável ao surgimento de inovações, principalmente junto às grandes empresas da região. O artigo trata da relação entre as condições geográficas de uma determinada região e o surgimento de inovações, com o objetivo de analisar possíveis causas para o atraso da América Latina nas questões referentes ao desenvolvimento tecnológico. O texto aborda o problema tendo em vista as maiores empresas da região discutindo qual a explicação para o fato destas raramente estarem nos setores classificados como de alta tecnologia. Para buscar essa explicação, o artigo percorre vários autores que se debruçaram sobre o tema detendo-se, principalmente, naqueles que estabelecem comparações com outras regiões do globo, mormente os países asiáticos, tendo em vista caracterizar os aspectos geográficos decisivos para a ocorrência de inovações. O resultado é altamente preocupante, pois são raras as empresas da América Latina que conseguem projeção mundial, e as mesmas quase sempre fazem parte de setores da economia cujo o conteúdo tecnológico muito baixo.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Paulo Roberto Feldmann, Universidade de São Paulo. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade

    Professor da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo.

Referências

BLACK , J.K. Latin America its problems and its promise. USA : Boulder,1998.

BLAKEMORE,H.,COLLIER,S. & SKIDMORE, T. Latin America and the Caribbean. New York: Cambridge University Press,1992.

BOOZALLEN – Money Isn’t Everything- The Booz Allen Hamilton Global Innovation 1000. NewYork, 2005. Disponivel em http://www.boozallen.com/publication/strategy+business/Winter2005. Acesso em 31.8. 2006.

BRAKMAN,S; GARRETSEN,H; VAN MARREWIJK, C. An Introduction to geographical economics. Cambridge: University Press, 2005.

BRITO CRUZ, C.H. A Universidade, a Empresa e a Pesquisa. Instituto de Física Gleb Wataghin, Universidade Estadual de Campinas. Disponível em http://www.ifi.unicamp.br/~brito/artigos/univ-empr-pesq-rev102003b.pdf Acesso em 31.8.2006.

DEL POZO, P. Aspectos Tecnologicos de la Modernization Industrial de Mexico. Mexico: Fondo de Cultura, 1995.

DICKEN ,P. Global Shift .New York : The Guilford Press,1998.

ERBER, F. Perspectivas da América Latina em Ciencia & Tecnologia . UFRJ, mimeo, 2002.

FAIRBANKS,M. & LINDSAY,S. Arando o Mar: Fortalecendo as fontes ocultas de crescimento em países em desenvolvimento. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2000.

FREEMAN, C. & SOETE, L. The economics of Industrial Innovation . Cambridge : MIT Press, 1997.

FORBES – The biggest companies in the world – edição de 17 de abril de 2006.

GALEANO,E. OpenVeins of Latin America: Five Centuries of the pillage of a continent. New York: Monthly Review Press, 1997.

GWYNNE,R. & KAY,C. Latin America transformed. London: Arnold, 1999.

KONDRATIEFF, N. The long wave in economic life . Review of Economic Statistics , vol 17 pp. 105-15, 1925.

KRUGMAN, P. Development, Geography and Economic Theory. Cambridge: MIT Press, 1995.

LANDES,D. Riqueza e a Pobreza das Nações: Por que algumas são tão ricas e outras são tão pobres. Rio de Janeiro: Campus, 1998.

MACILWAIN. C. As chances da América Latina. Nature. Número 398. Abril 1999.

MALECKI, E. Technology & Economic Development. London: Longman,1997.

MARSHALL, A. Principles of Economics . London: MacMillan and Co, 1920.

MILLAN, B., & CONCHEIRO, A. Mexico 2030: Nuevo Siglo, nuevo pais. Mexico: Fondo de Cultura, 2000.

MONTANER ,C.A. Culture and the behavior of Elites in Latin America. In: Harrison ,L.E. (Ed.). Culture Matters . New York: Basic Books, 2000, p 56-64.

ORGANIZATION FOR ECONOMIC CO-OPERATION AND DEVELOPMENT (OCDE). OECD statistical database . Disponivel em <http://www.oecd.org> . Acesso em julho 2006.

PORTER, M. A Vantagem Competitiva das Nações. Rio de Janeiro : Campus, 1993.

PORTER, M.; STERN, S. Inovação e Localização de mãos dadas . HSM Management , Jan- Fev. 2002.

SAGASTI,F. Ciencia, Tecnologia y Desarollo Latinoamericano. Mexico: Fondo de Cultura, 1981.

SCHUMPETER, J. Capitalism, Socialism and Democracy. London: Allen & Unwin, 1943.

STIGLITZ, J.; WALSH, C. Introdução à Microeconomia . Rio de Janeiro : Campus, 2003 Revistas e sites consultados para elaboração do ranking das maiores empresas: América Economia - “ As 500 maiores empresas da América Latina “, edição de 14 /7/ 2006. Business Week - “ The BusinessWeek Global 1200 “ ,edição de 26/12/2005. Forbes - “ 2000 Global “, edição de 17 de abril de 2006. Fortune - “ Fortune Global 500 “ , edição de 24/7/2006 Latin Trade -site consultado em agosto de 2006: www.latintrade.com.

Downloads

Publicado

2007-08-30

Edição

Seção

Artigos

Como Citar

FELDMANN, Paulo Roberto. A RELAÇÃO ENTRE ESPAÇO GEOGRÁFICO E O SURGIMENTO DE INOVAÇÕES TECNOLÓGICAS : O CASO DAS EMPRESAS LATINO- AMERICANAS DE GRANDE PORTE. GEOUSP Espaço e Tempo (Online), São Paulo, Brasil, v. 11, n. 1, p. 103–118, 2007. DOI: 10.11606/issn.2179-0892.geousp.2007.74051. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/geousp/article/view/74051.. Acesso em: 26 maio. 2024.