GEOGRAFIA FÍSICA E A QUESTÃO AMBIENTAL NO BRASIL

Autores

  • Marcos Barros de Souza Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
  • Zilda de Fátima Mariano Universidade Federal de Goiás

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2008.74082

Palavras-chave:

Geografia, Geografia física, Questão ambiental, Qualidade ambiental.

Resumo

Este trabalho visa mostrar o panorama da Geografia Física no Brasil e a necessidade de conscientização acerca da questão ambiental. As transformações ambientais no cenário brasileiro demonstram a necessidade de delinear o posicionamento da Geografia Física em relação às mudanças ambientais que ocorrem envolvendo mudanças setoriais nos elementos ar, água, terra e seres vivos, que vão se mesclando em análises, tratando das interações entre a atmosfera, a hidrosfera, os solos, a vegetação e as atividades humanas. Entre as décadas de setenta e de oitenta do século XX iniciou-se conscientização da população em relação às agressões que vinham se multiplicando no Brasil contra a natureza e aos níveis insatisfatórios da qualidade ambiental, demonstrando a necessidade de reagir e compreender as causas e os mecanismos dos desequilíbrios. É importante entender o processo de formação do território brasileiro e suas principais características, para implementar, de forma adequada, o planejamento e a gestão ambiental.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Marcos Barros de Souza, Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas

    Doutorando em Geografia Física pelo Programa de Pós-Graduação em Geografia Física do Departamento de Geografia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo (FFLCH/USP).

  • Zilda de Fátima Mariano, Universidade Federal de Goiás

    Professora Doutora do Departamento de Geografia da Universidade Federal de Goiás, campus de Jataí.

Referências

ACOT, Pascal. História da ecologia. Tradução de Carlota Gomes. Rio de Janeiro: Campus, 1990. 212p.

ANDRADE, Manuel Correia de. O pensamento geográfico e a realidade brasileira. Boletim Paulista de Geografia, São Paulo, n. 54, p. 5-28, 1977.

ANDRADE, Manuel Correia de. Caminhos e descaminhos da geografia. Campinas: Papirus, 1989. 85p.

ANDRADE, Manuel Correia de. Geografia, ciência da sociedade: uma introdução à análise do pensamento geográfico. São Paulo: Atlas, 1987. 143p.

ARID, Fahad Moysés . Doutrina e desafios ambientais. São Paulo. Jornal Unesp, p. 2, set. 2003.

BERNARDES, Júlia Adão; FERREIRA, Francisco Pontes de Miranda. Sociedade e natureza. In: CUNHA, Sandra Baptista da; GUERRA, Antonio José Teixeira (Org.). A questão ambiental: diferentes abordagens. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil. p. 17-42, 2003.

BERNARDES, Nilo. A influência estrangeira no desenvolvimento da geografia no Brasil. Revista Brasileira de Geografia, Rio de Janeiro, v. 44, n. 3, p. 513-523, jul./set. 1982.

BERTRAND, Georges. Construire la géographie physique. Hérodote, Paris, n. 26, 1982.

CAMARGO, José Carlos Godoy. Evolução e tendências do pensamento geográfico no Brasil: a biogeografia. 1998. 339 f. Tese (Livre-Docência) – Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, 1998.

CARLOS, Ana Fani Alessandri. Os caminhos da geografia humana no Brasil. Boletim Paulista de Geografia, São Paulo, n. 71, p. 129-42, 1992.

CHRISTOFOLETTI, Antônio. A geografia física no estudo das mudanças ambientais . In: CHRISTOFOLETTI, Antônio et al (Org.). Geografia e meio ambiente no Brasil. São Paulo; Rio de Janeiro: HUCITEC (Coleção Geografia: Teoria e Realidade), 1995. p. 334-345.

CHRISTOFOLETTI, Antônio. Análise de sistemas em geografia. São Paulo: HUCITEC/EDUSP, 1979. 106p.

CIDADE, Lúcia Cony Faria. Visões de mundo, visões da natureza e a formação de paradigmas geográficos. Terra Livre, São Paulo, n. 17, p. 99-118, 2001.

CONTI, José Bueno. A climatologia e a defesa da natureza. Boletim Climatológico, Presidente Prudente, n. 2, p. 5-9, nov. 1996.

CORRÊA, Roberto Lobato. Região e organização espacial. São Paulo: Papirus, 1986. 93p.

GONÇALVES, Carlos Walter Porto. Formação sócio-espacial e questão ambiental no Brasil. In: CHRISTOFOLETTI, Antônio et al. (Org.). Geografia e meio ambiente no Brasil. São Paulo; Rio de Janeiro: HUCITEC (Coleção Geografia: Teoria e Realidade), 1995. p. 309-333.

GREGORY, Kenneth John. A natureza da geografia física. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1992. 367p.

GUERRA, Antonio José Teixeira. Geomorfologia aplicada: algumas reflexões. In: SANTOS, Jemison Ma ttos dos (Org .). Reflexões e construções geográ ficas contemporâneas. Salvador: [s.n.], 2004. p. 144-161.

KOFF, Elionora Delwing. A questão ambiental e o estudo de ciências: algumas atividades. Goiânia: Editora da UFG, 1995. 114p.

MACHADO, Lia Osório. Origens do pensamento geográfico no Brasil: meio tropical, espaços vazios e a idéia de ordem (1870-1930). In: CASTRO, Iná Elias de; GOMES, Paulo César da Costa; CORRÊA, Roberto Loba to (Org .). Geografia: conceitos e temas. 6. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003. p. 309-352.

MENDONÇA, Francisco. Geogra fia socioambiental. In: MENDONÇA, Francisco; KOZEL, Salete (Org.). Elementos de epistemologia da geografia contemporânea. Curitiba: UFPR, 2002. p. 121-144.

MENDONÇA, Francisco. Geografia física: ciência humana?. São Paulo: Contexto, 1989. 72p. (Coleção Repensando a Geografia).

MONTEIRO, Carlos Augusto de Figueiredo. A Geografia no Brasil ao longo do século XX: um panorama. Borrador, São Paulo, AGB, n. 4, julho 2002. 49p.

MONTEIRO, Carlos Augusto de Figueiredo. Clima e excepcionalismo: con jecturas sobre o desempenho da atmosfera como fenômeno geográfico. Florianópolis: EUFSC, 1991. 241p.

MONTEIRO, Carlos Augusto de Figueiredo. A questão ambiental no Brasil: 1960-1980. São Paulo: USP/Instituto de Geografia, 1981 (Série Teses e Monografias, 42).

MONTEIRO, Carlos Augusto de Figueiredo. A Geografia no Brasil (1934-1977): avaliação e tendências . São Paulo: USP/Instituto de Geografia, 1980 (Série Teses e Monografias, 37).

MORAES, Antonio Carlos Robert. Geografia: pequena histórica crítica. São Paulo; Rio de Janeiro: HUCITEC , 1981 . 138p.(Coleção Geografia: Teoria e Realidade, 8).

MORAES, Antonio Carlos Robert. Meio ambiente e ciências humanas. São Paulo; Rio de Janeiro: HUCITEC, 1994. 100p. (Série “Linha de Frente”).

PEREIRA, José Veríssimo da Costa. A geografia no Brasil. In: AZEVEDO, Fernando (Org.). As ciências no Brasil. Rio de Janeiro: UFRJ, 1994. v. 2. p. 349-461.

SANT’ANNA NETO, João Lima. Por uma Geografia do clima: antecedentes históricos, paradigmas contemporâneos e uma nova razão para um novo conhecimento. Terra Livre, São Paulo, n. 17, p. 49-62, 2001.

SANTIAGO, João Phelipe. A geografia no Brasil: a contribuição de Manuel Correia de Andrade.1990. 392 f. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Departamento de Geografia, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 1990.

SANTIAGO, João Phelipe. Trajetórias das tradições teóricas da geografia no Brasil: a geografia moderna alemã no período pré-institucional. Disponível em: <http://www.cibergeo.org.agbnacional/documentos/textoaberto64.html>. Acesso em: 16 jan. 2002.

SILVA, Jorge Xavier da. A pesquisa ambiental no Brasil: uma visão crítica. In: CHRISTOFOLETTI, Antônio et al. (Org.). Geografia e meio ambiente no Brasil. São Paulo; Rio de Janeiro: HUCITEC (Coleção Geografia: Teoria e Realidade), 1995. p. 346-370.

SODRÉ, Nelson Werneck. Introdução à geografia: geografia e ideologia. Petrópolis: Vozes, 1976. 135p.

SOTCHAVA, V. B. O estudo de geossistemas. Métodos em Questão, São Paulo, n. 16, p. 1-52, 1977.

SOUZA NETO, Manoel Fernandes de. A ciência geográfica e a construção do Brasil. Terra Livre, São Paulo, n. 15, p. 9-20, 2000.

SOUZA, Marcos Barros de. Geografia física: balanço da sua produção em eventos científicos no Brasil. 2006. 336 f. Dissertação (Mestrado) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.

SUERTEGARAY, Dirce Maria Antunes, NUNES, João Osvaldo Rodrigues. A natureza da Geografia Física na Geografia. Terra Livre, São Paulo, n. 17, p. 11-24, 2001.

TOMASONI, Marco Antônio. Considerações sobre a abordagem da natureza na Geografia. In: SANTOS, Jemison Mattos dos (Org.). Reflexões e construções geográficas contemporâneas. Salvador: [s.n.], 2004. p. 11-35.

TROPPMAIR, Helmut. Ecossistemas e geossistemas do Estado de São Paulo. Boletim de Geografia Teorética, Rio Claro, v. 13, n. 25, p. 27-36, 1983.

VESENTINI, José William. Geografia, natureza e sociedade. São Paulo: Contexto, 1989. 91p. (Coleção “Repensando a Geografia”).

VIADANA , Adler Guilherme. Biogeografia: natureza, propósitos e tendências. In: VITTE, Antonio Carlos; GUERRA, Antonio José Teixeira (Org.). Reflexões sobre geografia física no Brasil. Rio de Janeiro: Betrand Brasil, 2004. p. 111-128.

ZAVATTINI, João Afonso. A produção brasileira em climatologia: o tempo e o espaço nos estudos do ritmo climático. Terra Livre, São Paulo, v. 1, n. 20, p. 65-100, jan./jul. 2003.

ZAVATINI, João Afonso. O paradigma do ritmo na climatologia geográfica brasileira: teses e dissertações dos programas paulistas de pósgraduação: 1971-2000. 2001. 430 f. Tese (LivreDocência em Clima tologia) - Insti tuto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, 2001.

Downloads

Publicado

2008-12-30

Edição

Seção

Artigos

Como Citar

SOUZA, Marcos Barros de; MARIANO, Zilda de Fátima. GEOGRAFIA FÍSICA E A QUESTÃO AMBIENTAL NO BRASIL. GEOUSP Espaço e Tempo (Online), São Paulo, Brasil, v. 12, n. 2, p. 77–98, 2008. DOI: 10.11606/issn.2179-0892.geousp.2008.74082. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/geousp/article/view/74082.. Acesso em: 14 jun. 2024.