DE CELEIRO A CENÁRIO: VITIVINICULTURA E TURISMO NA SERRA GAÚCHA

Autores

  • Luis Fernando de Matheus e Silva Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Departamento de Geografia

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2009.74145

Palavras-chave:

Vitivinicultura, Turismo, Lugar, Cultura Popular, Serra Gaúcha.

Resumo

A Serra Gaúcha, mais especificamente os municípios de colonização italiana, desde o início do século XX é tida como a maior e mais conceituada área produtora de uva e de vinhos do Brasil. Nos últimos trinta anos, porém, uma série de mudanças afetou o mercado de vinhos, tornando-o mais competitivo e internacionalizado, levando as empresas ali instaladas a valorizar aspectos de sua produção que as diferenciassem e mantivessem sua posição de destaque no mercado nacional. Essa valorização do local e de suas particularidades, promovida num contexto de globalização neoliberal do capitalismo, resultou numa maior importância do turismo, que, neste momento e naquele lugar, passou a exercer um papel-chave, “azeitando” as engrenagens e ajudando no bom funcionamento do motor do capital. O presente artigo tem por objetivo principal fornecer um panorama geral acerca de algumas das recentes transformações socioespaciais advindas do turismo, em especial sobre as tentativas de fazer daquele espaço uma representação de si mesmo.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Luis Fernando de Matheus e Silva, Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Departamento de Geografia

    Doutorando pelo Programa de pós-graduação em Geografia Humana do Departamento de Geografia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo (FFLCH – USP). Orientadora: Profª Drª Marta Inez Medeiros Marques. 

Referências

ALFREDO, A. Geografia do turismo – A crise ecológica como crítica objetiva do trabalho. O turismo como “ilusão necessária”. GEOUSP – Revista da pós-graduação em Geografia, São Paulo, n. 9, p 37-62.

APROVALE. Associação dos Produtores de Vinhos Finos do Vale dos Vinhedos. Disponível em:

BOURDIEU, P. O Poder Simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1989.

BOURDIEU, P. Coisas Ditas. São Paulo: Brasiliense, 1990.

CANCLINI, N. G. As culturas populares no capitalismo. São Paulo: Brasiliense, 1983.

CANCLINI, N. G. Culturas híbridas. São Paulo: Edusp, 2004.

CARLOS, A. F. O lugar no/do mundo. São Paulo: Hucitec, 1996.

CARLOS, A. F. Espaço- tempo na me trópole – a fragmentação da vida cotidiana. São Paulo: Contexto, 2001.

CARLOS, A. F.; DAMIANI, A. L.; SEABRA, O. C. L. (org.) O espaço no fim de século – a nova raridade. São Paulo: Contexto, 2001.

DEBORD, G. A Sociedade do Espetáculo. Rio de Janeiro: Contraponto, 2003.

FALCADE, I; MANDELLI, F. (org.) Vale dos Vinhedos: caracterização geográfica da região. Caxias do Sul: EDUCS, 1999.

FÁVERO, I. M. R. Planejamento Municipal: Do turismo para o desenvolvimento (sustentável). 2004. Dissertação (mestrado em turismo) - Universidade de Caxias do Sul, Caxias do Sul, 2004.

HARVEY, D. Condição pós-moderna. São Paulo: Edições Loyola, 2000.

HARVEY, D. A produção capitalista do espaço. São Paulo: Annablume, 2005.

HENRIQUES, E. B. A Lisboa Turística: entre o imaginário e a cidade. Lisboa: Editora Colibri, 1996.

PERALTA, E. O mar por tradição: o patrimônio e a construção das imagens do turismo. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, n.20, p 85-96, 2003.

PRODETUR SUL. Programa de desenvolvimento do turismo no sul do Brasil. Relatório de avaliação e gestão ambiental e social programática. Disponível em: <http://www.scp.rs.gov.br/uploads/informeambientalsocial1.pdf>. Acesso em novembro de 2007.

SANTOS, J. T. dos. Colonos do Vinho. São Paulo: Hucitec, 1978.

SHANIN, T. A definição de camponês: conceituações e desconceituações – o velho e o novo em uma discussão marxista. São Paulo/Petrópolis: Cebrap/Vozes, 1980.

TODESCHINI, M. o Vale da Felicidade. Revista Veja . Disponível em: <http://www.veja.abril.com.br/101007/p_110shtml>. Acessado em dezembro de 2007.

TOMAZZONI, E. L. Análise do discurso turístico da Serra Gaúcha. In: Em Questão, Porto Alegre, v.12, n.2, p.339-365, jun/dez. 2006.

YUDICE, G. A conveniência da cultura: usos da cultura na era global. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2004.

Downloads

Publicado

2009-12-30

Edição

Seção

Artigos

Como Citar

SILVA, Luis Fernando de Matheus e. DE CELEIRO A CENÁRIO: VITIVINICULTURA E TURISMO NA SERRA GAÚCHA. GEOUSP Espaço e Tempo (Online), São Paulo, Brasil, v. 13, n. 3, p. 107–126, 2009. DOI: 10.11606/issn.2179-0892.geousp.2009.74145. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/geousp/article/view/74145.. Acesso em: 19 jul. 2024.