TRÊS DÉCADAS DE EUCALIPTO NO EXTREMO SUL DA BAHIA

Autores

  • Sebastião Pinheiro Gonçalves Cerqueira Neto Instituto Federal de Bahia

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2012.74252

Palavras-chave:

Extremo Sul da Bahia, Eucalipto, Espaço, Desenvolvimento, Governo.

Resumo

As grandes empresas que têm no eucalipto sua principal matéria-prima encontraram no Extremo Sul da Bahia condições naturais favoráveis para o desenvolvimento de suas atividades. Contudo, as plantações de eucalipto não modificaram apenas a paisagem rural, transformaram e influenciaram a dinâmica urbana. Depois de mais de 30 anos na região, o eucalipto ainda provoca muitas discussões sobre seus efeitos que são sentidos desde o espaço natural, passando pela geração de trabalho e renda até a organização do espaço. Este novo ciclo econômico que o eucalipto representa é o resultado das metamorfoses dos espaços que estão abertos para o desenvolvimento. Desta forma, o eucalipto não deve ser tratado como se fosse algo imposto somente pelas empresas, mas, também, como parte de um projeto apoiado pelo governo brasileiro desde 1974. Compreender essa relação dialética será o objetivo principal deste artigo.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Sebastião Pinheiro Gonçalves Cerqueira Neto, Instituto Federal de Bahia
    Professor de Geografia do Instituto Federal da Bahia.

Referências

CERQUEIRA NETO, Sebastião P. G. Eucaliptização: um processo de especialização do Extremo Sul da Bahia? CAMPO-TERRITÓRIO: revista de geografia agrária, v.3, n. 6, p. 85-108, ago. 2008.

CORRÊA, Roberto Lobato. Trajetórias geográficas. 3ª. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005.

DIAS, Leila Christina. A importância das redes para uma nova regionalização brasileira. In: LIMONAD, E. et al (orgs.). Brasil século XXI: por uma nova regionalização? São Paulo: Max Limonad, 2004.

DIAS, Leila Christina. Redes: emergência e organização. In: CASTRO, Iná et al (orgs.). Geografia: conceitos e temas. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1995.

DIAS, Noilton Jorge. Os impactos da moderna indústria no Extremo Sul da Bahia: expectativas e frustrações. Revista Análise & Dados. Salvaldor, SEI, v.10, n°4, p.320-325. março, 2001.

DINIZ, Célio Campolina. Desenvolvimento poligonal no Brasil: nem desconcentração, nem contínua polarização. Revista Nova Economia. Belo Horizonte: FACE/UFMG, set. 1993. p.35-61.

FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS (FGV). De portas abertas para o desenvolvimento sustentável: Veracel Celulose. São Paulo, 2007.

HANSEN, Dean L. Educação e desenvolvimento local. In: FALCÓN, Maria LúciaO.; HANSEN, Dean L. e BARRETO JÚNIOR, Edison R. (orgs.) Cenários de desenvolvimento local: estudos exploratórios. Aracajú: Secretaria Municipal de Planejamento, 2003. p.97-123.

LEFEBVRE, Henri. A revolução urbana. Tradução: Sérgio Martins. Belo Horizonte: UFMG, 1999.

MONTEIRO, Carlos A. F. A questão ambiental no Brasil (1960-1980). São Paulo: IGEOU-USP, 1981.

MORAES, Antônio C. Robert. Território e história no Brasil. São Paulo: Hucitec, 2002.

PEDREIRA, Márcia S. Complexo florestal, desenvolvimento e reconfiguração do espaço rural: o caso da Região do Extremo Sul baiano. Revista Bahia Análise & Dados. Salvador, v.13, n°4, p. 1005-1018, março de 2004.

P I Q U E T, Ro s é l i a . Cidade-empresa: presença na paisagem urbana brasileira. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1988.

SANTOS, Milton. Por uma outra globalização: do pensamento único à consciência universal. Rio de janeiro: Record, 2000.

SANTOS, Milton. Metamorfoses do espaço habitado. São Paulo: Hucitec, 1996.

SILVA, Sylvio B. M. Formação de uma região dinâmica: o exemplo do Extremo Sul da Bahia. in: BENEDICTO, J.L.L. e SPINOLA, N.D. (coord.) Desarrollo Regional. Barcelona (Espanha): Xarxa Temàtica MEDAMERICA, 2001.

SILVA, Sylvio C.B.M. e SILVA, BarbaraChristine N. Estudos sobre globalização, território e Bahia. Salvador: UFBA, 2003.

SINGER, Hans W. Países ricos e países pobres. Tradução: José R. B. Azevedo. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos Editora S. A., 1979.

TOLEDO JÚNIOR, Rubens de. Telecomunicações e uso do território brasileiro. In: SOUZA, Maria Adélia A. (org.). Território brasileiro, usos e abusos. Territorial. Campinas (SP), 2003.

Downloads

Publicado

2012-08-30

Edição

Seção

Artigos

Como Citar

CERQUEIRA NETO, Sebastião Pinheiro Gonçalves. TRÊS DÉCADAS DE EUCALIPTO NO EXTREMO SUL DA BAHIA. GEOUSP Espaço e Tempo (Online), São Paulo, Brasil, v. 16, n. 2, p. 55–68, 2012. DOI: 10.11606/issn.2179-0892.geousp.2012.74252. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/geousp/article/view/74252.. Acesso em: 25 jul. 2024.