A OCUPAÇÃO DAS VÁRZEAS NO ALTO TIETÊ E A REPRODUÇÃO DESTE MODELO URBANO NA BACIA DO RIO BAQUIRIVU GUAÇU, GUARULHOS E ARUJÁ - SP

Autores

  • Daniel Carlos de Campos Sem Registro de Afiliação

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2012.74291

Palavras-chave:

Inundação, Baquirivu Guaçu, Bacia Hidrográfica do Alto Tietê, Expansão urbana.

Resumo

Embora as inundações sejam fenômenos naturais, condicionadas por diversos aspectos do meio físico, nas áreas urbanas, o homem, por meio de suas atividades econômicas, transforma estes eventos em problemas. Nesse contexto, as experiências acumuladas ao longo do século XX na Bacia do Alto Tietê constituem importante referencial para a análise do uso do solo na Bacia do Rio Baquirivu Guaçu, como experiência a ser considerada na seleção de medidas a serem tomadas para o controle das inundações.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Referências

AB’SÁBER, A. N. Geomorfologia do Sítio Urbano de São Paulo, (1957). Tese de doutorado. São Paulo: Instituto de Geomorfologia, Universidade de São Paulo.

BONDUKI, N. Origens da Habitação Social no Brasil: Arquitetura Moderna, Lei do Inquilinato e Difusão da Casa Própria. São Paulo: Estação Liberdade, 1998.

BRITO, F. R. S. de. Defesa contra inundações – Melhoramentos do Rio Tietê. Vol. XIX. Rio de Janeiro: Ministério da Educação e Saúde: Imprensa Nacional, 1926.

CABRAL, E.; JESUS, E. F. R. de. Eventos Fluviais sobre a Grande São Paulo ocorridos em 1991: seus reflexos na vida urbana. Revista da Universidade Estadual de Feira de Santana, n.12, p. 31-54, 1994.

CAMPOS, D. C. de. Inundações: problemas ou fenômenos naturais? A ocupação das várzeas dos principais rios no Alto Tietê e a reprodução deste modelo urbano na Bacia do Rio Baquirivu Guaçu, Guarulhos, SP 2011. Dissertação (Mestrado) – CEPPE - Centro de Pós-graduação e Pesquisa, Universidade Guarulhos, Guarulhos, 2011.

CBHAT - COMITÊ DA BACIA HIDROGRÁFICA DO ALTO TIETÊ. Diagnóstico dos Recursos Hídricos – Relatório Zero. São Paulo: CBHAT, 2000.

CBHAT - COMITÊ DA BACIA HIDROGRÁFICA DO ALTO TIETÊ. Plano da Bacia do Alto Tietê – Sumário executivo. São Paulo: CBHAT/FUSP, 2002.

CILONI, M. C. G.; BIONDO, L. M. Persistência de Precipitação no Verão 2009/2010 (“45 dias de chuvas”). IAG/USP, 2010.

DAEE – Departamento de Águas e Energia Elétrica. Plano Diretor de Macrodrenagem da Bacia Hidrográfica do Alto Tietê: Bacia do Baquirivu Guaçu – Diagnóstico geral e ações recomendadas. Relatório: PDATI-HI-RT-814. São Paulo: Secretaria Estadual de Saneamento e Energia, 2002.

DAEE – Departamento de Águas e Energia Elétrica. Controle de Enchentes: 10 anos do Plano Diretor de Macrodrenagem da Bacia Hidrográfica do Alto Tietê. São Paulo: Governo do Estado de São Paulo – Secretaria de Saneamento e Energia, 2008.

EMPLASA – Empresa Paulista de Planejamento Metropolitano. Mapa do Uso e Ocupação do Solo da RMSP. São Paulo: Secretaria de Negócios Metropolitanos, 2002.

FESPSP – Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo. Distribuição da Renda Média do Chefe de Família por Setor

Censitário. In: Avaliação Ambiental Estratégica do Programa Rodoanel, São Paulo: DERSA, 2004. 1 mapa, col. Escala 1:300.000.

GUARULHOS – Prefeitura Municipal de Guarulhos. Plano Diretor de Drenagem de Guarulhos: Diretrizes orientações e Propostas. Guarulhos: Prefeitura Municipal de Guarulhos, 2008.

JORGE, F. N. de; UEHARA, K. Águas de Superfície. in: OLIVEIRA, A. M. dos S., BRITO, S. N. A. de, (org.). Geologia de Engenharia, São Paulo: ABGE, 1998.

KARMANN, I. Ciclo da Água: Água subterrânea e sua ação geológica. In: TEIXEIRA, W. et al. (org.). Decifrando a Terra. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2000.

LIGHT. The São Paulo Tramway Light and Company Limited. Planta da Cidade de São Paulo e Municípios Circunvizinhos. São Paulo, Arquivo Histórico Municipal, 1943. 1 mapa, col. Escala 1:50000. Disponível em: "http://www.arquiamigos.org.br/info/info20/i-1897.htm" http://www.arquiamigos.org.br/info/info20/i1897.htm. Acessado em 19 set. 2010.

LORENZ – MARTIN LORENZ & CIA. LTDA. Mapa Falk São Paulo. São Paulo, Arquivo Histórico Municipal, 1952. 1 mapa, col. Escala 1:25000 – 1:40000. Disponível em: "http://www.arquiamigos.org.br/info/info20/i-1897.htm" Acessado em 19 set. 2010.

MATTES, D. O Espaço das Águas: As Várzeas de Inundação da cidade de São Paulo. 2001. Dissertação (Mestrado) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2001.

NADALIN, V. G.; IGLIORI, D. C. Evolução urbana e espraiamento na Região Metropolitana de São Paulo. Rio de Janeiro: Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicada, 2010. (Texto para discussão nº 1481).

OLIVEIRA, A. M. dos S., et al. Bases Geoambientais para um Sistema de Informações Ambientais do Município de Guarulhos. 2009. Guarulhos: Universidade Guarulhos – Centro de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão, 2009.

PEREIRA FILHO, A. J., et al. Enchentes na Região Metropolitana de São Paulo: aspectos de mesoescala e avaliação de impactos. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE METEOROLOGIA, 13., 2004, Fortaleza, Anais... Fortaleza, CE, 2004.

PEREIRA FILHO, A. J.; SANTOS, P. M. dos; XAVIER, T. de M. B. S. (org.). Evolução do Tempo e do Clima na Região Metropolitana de São Paulo. São Paulo: Linear B; IAG/USP, 2007.

PMSP - Prefeitura Municipal de São Paulo. Ofício nº CPE/10/91 – Secretaria das Administrações Regionais/SAR – Assessoria Técnica de Obras e Serviços/Atos, 23 de abril de 1991.

REPÓRTER DE GUARULHOS. Cumbica inundada; e não choveu. O Repórter de Guarulhos. Guarulhos, 02 de fev. 1977, ano I, n. 2, p. 4.

RICCOMINI, C.; GIANNINI, P. C. F.; MANCINI, F. Rios e Processos Aluviais. In: TEIXEIRA, W. et al. (org.). Decifrando a Terra. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2000.

SALLES, D.; SALVO, M. P. de. Não há uma política de remoção de ocupações irregulares. Revista Veja, São Paulo, 16 dez. 2009. Disponível em: http://vejasp.abril.com.br/noticias/lixo-foivoce-quem-jogou. Acessado em 26 out. 2010.

SANTOS A. R. dos. Geologia de Engenharia: conceitos, métodos e prática. São Paulo: Instituto de Pesquisas Tecnológicas – IPT: ABGE, 2002.

SEABRA, O. C. de L., Os meandros dos rios nos meandros do poder: Tietê e Pinheiros - valorização dos rios e das várzeas na cidade de São Paulo (1987). Tese de doutorado. São Paulo: FFLCH/USP.

SEMPLA – Secretaria Municipal do Planejamento, Orçamento e Gestão da Cidade de São Paulo. Histórico Demográfico do Município de São Paulo. São Paulo: Secretaria de Planejamento, 2010. Disponível em: http//sempla.prefeitura.sp.gov.br/historico/img/mapas. Acessado em 12 set. 2010.

SERRA, G. O espaço natural e a forma urbana. São Paulo: Nobel, 1987.

STEVAUX, J. C. et al. Floods in urban areas of Brazil. In: LATRUBESSE, E. M. (editor) Natural hazards and human exacerbated disasters in Latin América. Elsevier. P 245–266, 2010.

TUCCI, C. E. M. Gestão de águas pluviais urbanas. Brasil: Ministério das Cidades – Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental. Programa Saneamento para Todos, 4 vol., 2006.

UCHINAKA, F. Manejo de comportas encheu bairros pobres. Uol notícias, São Paulo, 17 de dez. 2009. Disponível em: http://exbancario.blog.br/2009/12/manejode-comportas-encheu-bairros-pobres-de-saopaulo-e-o-governo-e-prefeitura-de-spjogando-a-populacao-pobre-de-s-paulo-noesgotona-merdana-lama/. Acessado em 20 abr. 2010.

Downloads

Publicado

2012-12-30

Edição

Seção

Notas de pesquisa de campo

Como Citar

CAMPOS, Daniel Carlos de. A OCUPAÇÃO DAS VÁRZEAS NO ALTO TIETÊ E A REPRODUÇÃO DESTE MODELO URBANO NA BACIA DO RIO BAQUIRIVU GUAÇU, GUARULHOS E ARUJÁ - SP. GEOUSP Espaço e Tempo (Online), São Paulo, Brasil, v. 16, n. 3, p. 198–213, 2012. DOI: 10.11606/issn.2179-0892.geousp.2012.74291. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/geousp/article/view/74291.. Acesso em: 18 maio. 2024.