URBANIZAÇÃO E CRIAÇÃO DE NOVOS MUNICÍPIOS NO FRONT AGRÍCOLA: FACES DO USO CORPORATIVO DO TERRITÓRIO BRASILEIRO

Autores

  • Silvana Cristina da Silva Universidade Federal Fluminense

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2013.74931

Palavras-chave:

Emancipações municipais, Uso corporativo do território, Front agrícola, Mato Grosso.

Resumo

A atual divisão territorial do trabalho do território brasileiro responde, em grande medida, à divisão internacional do trabalho. Nesse processo coube à Região Centro-Oeste a produção de commodities. A urbanização é uma exigência para a difusão da moderna agricultura, no entanto, a necessidade de regulação política completa-se por meio da criação de municípios. As emancipações municipais tornam-se instrumentos eficientes à promoção do agronegócio, conformando um uso corporativo do território brasileiro nas áreas de moderna agricultura como no estado do Mato Grosso.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABREU, S. Planejamento governamental: a Sudeco no espaço mato-grossense – contexto, propósitos e contradições. Tese (Doutorado em Geografia) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013.

ARRUZZO, R. C. Modernização agrícola, trabalho e organização espacial na BR163. In: BERNADES, J. A.; FREIRE FILHO, O. L. Geografias da soja: BR163 fronteiras em mutação. Rio de Janeiro: Arquimedes, 2005. p. 99-113.

BERNARDES, J. A. Circuitos espaciais da produção na fronteira agrícola moderna: BR-163 mato-grossense. In: BERNADES, J. A.; FREIRE FILHO, O. L. Geografias da soja: BR-163 fronteiras em mutação. Rio de Janeiro: Arquimedes, 2005a.

BRUNHES, J. Geografia humana. Rio de Janeiro: Fundo de Cultura, 1962.

CATAIA, M. Território nacional e fronteiras internas: a fragmentação do território brasileiro. Tese (Doutorado em Geografia) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2001.

CASTELLS, M. A questão urbana. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983[1972].

CASTELLS, M. Crise do Estado, consumo coletivo e contradições urbanas. In: POULANTZAS, N. (Org.). Estado em crise. Rio de Janeiro: Graal, 1977. p.11-26.

CASTILLO, R. A. Dinâmica regional e circuitos espaciais de produtos agrícolas no Brasil. In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM GEOGRAFIA, 6., 2005, Fortaleza. Anais... Fortaleza, 2005.

DEFFONTAINES, P. Como se constitui no Brasil a rede das cidades. Boletim Geográfico, ano II, n. 14, Parte I (p.141-148); n. 15, Parte II (p. 299-308), Rio de Janeiro, 1944.

DIAS, E. A.; BORTOCELLO, O. Resgate histórico do município de Sorriso – Portal da Agricultura no Cerrado Mato-Grossense. Cuiabá, 2003.

ELIAS, D. Globalização e agricultura. São Paulo: Edusp, 2003.

ELIAS, D. Meio técnico-científico-informacional e urbanização na região de Ribeirão Preto (SP). Tese (Doutorado em Geografia) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1996.

GEIGER, P. P. A evolução da rede urbana brasileira. Rio de Janeiro: Centro Brasileiro de Pesquisas Educacionais, 1963.

GEORGE, P. A ação do homem. São Paulo: Difusão Europeia do Livro, 1971.

GOTTMANN, J. The Evolution of the Concept of Territory. Social Science Information, v. 14, n. 3/4, p. 29-47, 1975.

MILLS, C. W. A elite do poder. Rio de Janeiro: Zahar, 1981[1956]).

MORAES, A. C. R. Los circuitos espaciales de la producción y los círculos de cooperación en el espacio. In: Aportes para el estudio del espacio socio-económico III.

YANES, L.; LIBERALI, A. M. (Orgs.). Buenos Aires: El Coloquio, 1991. p.153-177.

PREFEITURA MUNICIPAL DE SORRISO. Sorriso: o gigante do agronegócio e da responsabilidade ambiental. Sorriso: Prefeitura Municipal, 2006.

RAFFESTIN, C. Por uma geografia do poder. São Paulo: Ática, 1993[1980].

SANTOS, M. Urbanização brasileira. São Paulo: Edusp, 2005[1993].

SANTOS, M. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. São Paulo: Edusp, 2002[1996].

SANTOS, M. Da política dos estados à política das empresas. Cadernos da Escola do Legislativo. Belo Horizonte, 1997.

SANTOS, M. Por uma economia política da cidade. São Paulo: Hucitec, 1994.

SANTOS, M. Circuitos espaciais da produção: um comentário. In: SANTOS, M; SOUZA, M. A. (Orgs.). A construção do espaço. São Paulo: Nobel, 1986. p. 121-134.

SANTOS, M. As cidades nos países subdesenvolvidos. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1965.

SILVA, S. C. A família de municípios do agronegócio: expressão da especialização produtiva no front agrícola. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Instituto de Geociências, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2007.

SILVA, S. C. A família de municípios do agronegócio como expressão da especialização das áreas de modernização agrícola do território brasileiro. Caderno Prudentino de Geografia, Presidente Prudente, v. 2, n. 32, p. 305-336, ago./dez. 2010. Disponível em <http://agbpp.dominiotemporario.com/doc/CPG32B-7.pdf>. Acesso em: 19 jun. 2011.

SILVA, S. C.; CATAIA, M. A municipalização do território: algumas considerações sobre o estado do Mato Grosso. In: ENCONTRO NACIONAL DA ANPEGE, 6., 2005, Fortaleza. Anais... Fortaleza, 2005.

SILVEIRA, M. L. Um país, uma região: fim de século e modernidades na Argentina. São Paulo: Laboplan-USP, 1999.

Downloads

Publicado

2013-08-30

Como Citar

SILVA, S. C. da. URBANIZAÇÃO E CRIAÇÃO DE NOVOS MUNICÍPIOS NO FRONT AGRÍCOLA: FACES DO USO CORPORATIVO DO TERRITÓRIO BRASILEIRO. GEOUSP Espaço e Tempo (Online), [S. l.], v. 17, n. 2, p. 3-17, 2013. DOI: 10.11606/issn.2179-0892.geousp.2013.74931. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/geousp/article/view/74931. Acesso em: 26 fev. 2024.

Edição

Seção

PARTE I - Urbanização brasileira no início do século XXI