As contribuições de Davidovich e Bahiana ao debate das escalas geográficas no Brasil

Autores

  • Matheus da Silveira Grandi Universidade Federal do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2014.84532

Palavras-chave:

Escalas geográficas. Construção social da escala. História do pensamento geográfico. Brasil.

Resumo

Nas últimas duas décadas, o debate teórico sobre as escalas geográficas cresceu no meio acadêmico, especialmente no anglófono, mas sem grande interesse da geografia brasileira. Este artigo faz uma releitura de duas publicações nacionais das décadas de 1970 e 80 que abordaram o tema mas que são pouco lembradas, contrastando-as com alguns apontamentos de recentes produções de língua inglesa. A abordagem da história do pensamento geográfico de uma perspectiva escalar, a ênfase na coexistência das escalas em cada recorte do real e a visão das escalas geográficas como fruto de processos espaciais são algumas das contribuições originais dos dois trabalhos. Ao final, reforça-se a importância de se retomar e atualizar o debate teórico-conceitual sobre as escalas geográficas no país, visto serem elas elementos constitutivos do pensamento e da ação e, por isso, importantes e eficientes instrumentos de exercício de poder.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Matheus da Silveira Grandi, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutorando em Geografia no Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), sob orientação do Prof. Dr. Roberto Lobato Corrêa. Bolsista CAPES.

Downloads

Publicado

2014-09-20

Como Citar

GRANDI, M. da S. As contribuições de Davidovich e Bahiana ao debate das escalas geográficas no Brasil. GEOUSP Espaço e Tempo (Online), [S. l.], v. 18, n. 2, p. 253-268, 2014. DOI: 10.11606/issn.2179-0892.geousp.2014.84532. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/geousp/article/view/84532. Acesso em: 4 dez. 2021.

Edição

Seção

Artigos