Identidade e bilinguismo em contexto de núcleo familiar de imigrantes italianos

Autores

  • Fernanda Ortale Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
  • Giliola Maggio Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
  • Paola Baccin Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2238-8281.v0i30p146-163

Palavras-chave:

Identidades, Bilinguismo, Narrativas

Resumo

O objetivo deste artigo é refletir sobre questões de identidade e bilinguismo em um núcleo familiar de imigrantes italianos. Os dados coletados consistem em uma entrevista realizada com um casal de italianos radicados no Brasil desde 1957. Iniciamos o artigo com um breve quadro da imigração italiana no Brasil, em seguida, analisamos o processo de construção de identidades que emergem durante as narrativas, bem como o bilinguismo que se delineia nesse contexto

Biografia do Autor

Fernanda Ortale, Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas

É Doutora em Linguística Aplicada pela UNICAMP e professora da área de Língua e Literatura Italiana da Universidade de São Paulo (USP). Suas pesquisas concentram-se na área de formação de professores de língua estrangeira e, atualmente, tem se dedicado ao tema das políticas linguísticas para o ensino de italiano como língua de herança.

Giliola Maggio, Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas

É professora da área de Língua e Literatura Italiana da Universidade de São Paulo e em suas pesquisas descreve a língua italiana falada por imigrantes. Dedica-se há muitos anos aos estudos sobre migrações.

Paola Baccin, Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas

É professora da área de Língua e Literatura Italiana da Universidade de São Paulo (USP) e realiza pesquisas na área de lexicografia pedagógica. É autora do material instrucional online para o ensino do italiano a brasileiros: Dire, Fare, Partire!

Referências

BARRETO, S. Italianos do Brás - Imagens e Memórias. São Paulo: Brasiliense, 1994.

BERTONHA, J. F. Sob o signo do Fascio: O fascismo, os imigrantes italianos e o Brasil, 1922-1943. 1998. 423 f. Tese (Doutorado em História Social). Campinas: IFCH, Unicamp, 1998.

CARRIKER, M. K. (Re)construção de Identidades em Narrativas na Primeira Pessoa: Casos de Bilíngües. 1998. 173 f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada). Campinas: IEL, Unicamp, 1998.

CASTRO, G. M. Pedrinhas Paulista: Memória e Invenção. 2002. 147 f. Tese (Doutorado em Geografia Humana). São Paulo: FFLCH, USP, 2002.

CAVALCANTI, M. C. Estudos sobre Educação Bilíngüe e Escolarização em Contextos de Minorias Linguísticas no Brasil. In Revista D.E.L.T.A., v. 15, n. Especial: 385-417, 1999.

DI GIANNI, T. P. Italianos em Franca, Franca: UNESP, 1997.

FACCHINETTI, L. A imigração italiana no segundo pós-guerra e a indústria brasileira nos anos 50. 2003. 139 f. Dissertação (Mestrado em História Social). Campinas: IFCH, Unicamp, 2003.

GABRIEL, M. C. C. Além das fronteiras do colonato (O ajustamento da coletividade italiana à sociedade local campineira durante a imigração – 1886-1920). 1995. Dissertação (Mestrado em História Social). Campinas: IFCH, Unicamp, 1995.

GOFFMAN, E. Stigma: notes on the management of spoiled identity. Londres: Penguin, 1968.

GROSJEAN, F. Life with two languages: an introduction to bilingualism. Cambridge MA: Harvard University Press, 1982.

GUMPERZ, J.J. Discourse Strategies. Cambridge: Cambridge University Press, 1982.

HALL, M. M. Italianos em São Paulo (1880-1920). In Anais do Museu Paulista, XXIX, 1979.

HALL, M. M. Imigrantes na cidade de São Paulo. In PORTA, P. (org.) História da cidade de São Paulo. São Paulo: Paz e Terra, v. 3, 2004, pp. 121-151.

HALL, S. Identidade Cultural. São Paulo: Fundação Memorial da América Latina, 1997.

KREUTZ, L. O Professor Paroquial. Porto Alegre: Universidade do Rio Grande do Sul, 1991.

MAHER, T. J. M. Ser Professor sendo índio: Questões de lingua(gem) e identidade. 261 f. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada). Campinas: IEL, Unicamp, 1996.

MARTIN-JONES, M.; ROMAINE, S. Semilingualism: a half-baked theory of communicative competence. In Applied Linguistics, v.7, n.1: 26-38, 1986.

MENEZES, M. A. Histórias de Migrantes. São Paulo: Loyola, 1992.

MICROSOFT CORPORATION. Enciclopédia Encarta 2.000. Ano 2000. (tipo de suporte CD-ROM).

PENNA, M. Relatos de Migrantes: questionando as noções de perda de identidade e desenraizamento.

In SIGNORINI, I. (org.). Linguagem e Identidade: elementos para discussão. Campinas: Mercado das Letras, 1998, pp. 89-112.

RAJAGOPALAN, K. O conceito de identidades em Linguística: é chegada a hora para uma reconsideração radical?. In SIGNORINI, I. (org.). Linguagem e Identidade: elementos para discussão. Campinas: Mercado das Letras, 1998, pp. 21-45.

ROMAINE, S. Bilingualism. Oxford: Blackwell, 1995.

SAVILLE-TROIKE, M. The Ethnography of Communication. Oxford: Blackwell, 1989.

SKUTNABB-KANGAS, T. Bilingualism or not: The Education of Minorities. Bristol, Multilingual Matters, 1981.

TRENTO, A. Là, dov’è la raccolta del caffè - L’immigrazione Italiana in Brasile (1875-1940). Padova: Pubblicazione della Facoltà di Lettere e Filosofia, 1984.

TRENTO, A. Do Outro Lado do Atlântico: Um Século de Imigração Italiana no Brasil. São Paulo: Nobel, 1989.

TRUDGILL, P. Introducing language and society. London: Penguin, 1992.

Downloads

Publicado

2015-12-27

Como Citar

Ortale, F., Maggio, G., & Baccin, P. (2015). Identidade e bilinguismo em contexto de núcleo familiar de imigrantes italianos. Revista De Italianística, (30), 146-163. https://doi.org/10.11606/issn.2238-8281.v0i30p146-163

Edição

Seção

Artigos