O orientalismo de Mary Wollstonecraft sob a ótica de Nawal el Saadawi: um diálogo intercultural

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2446-5240.malala.2022.193930

Palavras-chave:

Orientalismo, harém, liberdade, diálogo intercultural

Resumo

Há uma contradição a qual impede que a leitura de Reivindicação dos direitos da mulher (1792), de Mary Wollstonecraft, flua como um projeto de liberdade: as posições dela com relação aos turcos mulçumanos, em especial às mulheres desse grupo. Neste artigo, nossa proposta é apresentar uma contribuição a esse debate, partindo de excertos do livro que tangenciam dois pontos considerados fundamentais em nossa análise: a questão cultural do harém e a questão religiosa sobre a negação de uma alma imortal às mulheres muçulmanas. Para isso, recorremos à obra de Nawal El-Saadawi tendo em vista duas importantes perspectivas, a saber, o conceito de outridade de Grada Kilomba e a concepção de diálogo intercultural de Abdullah An-Na’im. Nesse sentido, nosso objetivo é contribuir para a reflexão sobre os preconceitos reiterados na obra de Wollstonecraft. Buscamos discutir esses aspectos sem que sejam desconsideradas outras contribuições da filósofa para a história da filosofia política.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sarah Bonfim, Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)

Doutoranda em Filosofia pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), com financiamento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), processo nº 2021/0227-5. Integrante do grupo de estudo Filosofia Política da Unicamp e da New Voices, rede internacional de pesquisadores em história da filosofia vinculada à Universidade de Paderborn, na Alemanha. Link para o Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/0117787962602105. ORCID: https://orcid.org/0000-0001-9135-9040. Contato: sarah_bonfim@yahoo.com.br

Flávia Abud Luz, Universidade Federal do ABC (UFABC)

Doutoranda em Ciências Humanas e Sociais pela Universidade Federal do ABC (UFABC). Mestra em Ciências da Religião pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Especialista em Política e Relações Internacionais e graduada em Relações Internacionais pela Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP). Integrante dos grupos de pesquisa Resistências: Controle Social, Memória e Interseccionalidades e Grupo de Estudos e Pesquisa em Migrações Internacionais (Migrepi), da UFABC; Ylê-Educare: Educação e Questões Étnico-Raciais, da Universidade Nove de Julho (Uninove); e Grupo de Pesquisa em Gênero, Raça e Interseccionalidades (GINA). Bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Link para o Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/4539509603341152.  ORCID: https://orcid.org/0000-0001-5979-3445. Contato: flavia.abud.luz@hotmail.com.

Referências

ABU-LUGHOD, Lila. “As mulheres muçulmanas precisam realmente de salvação?: reflexões antropológicas sobre o relativismo cultural e seus outros”. Estudos Feministas, Florianópolis, v. 20, n. 2, p. 451-470, 2012. https://doi.org/10.1590/S0104-026X2012000200006

AHMED, Leila. “Western Ethnocentrism and Perceptions of the Harem”. Feminist Studies, College Park, v. 8, n. 3, p. 521-534, 1982. https://doi.org/10.2307/3177710

AL-RAWI, Ahmed K. “The Portrayal of the East vs. the West in Lady Mary Montagu’s Letters and Emily Ruete’s Memoirs”. Arab Studies Quarterly, San Bernardino, v. 30, n. 1, p. 15-30, 2008.

AN-NA’IM, Abdullahi A. “Human Rights and the Imperative of Cross-Cultural Dialogue an Islamic Perspective”. In GOLDEWIJK, Berma K. (ed.). Religion, International Relations, and Development Cooperation. Wageningen: Wageningen Academic, 2007, p. 305-319.

BADRAN, Margot. Feminism in Islam: Secular and Religious Convergences. Oxford: Oneworld, 2009.

BOTTING, Eileen Hunt. “The Problem of Cultural Bias”. In BOTTING, Eileen Hunt. Wollstonecraft, Mill and Women’s Human Rights. New Haven and London: Yale University Press, 2016, p. 155-203

CAHILL, Samara A. “Powers of the Soul: Wollstonecraft, Islam and Historical Progress”. Assuming Gender, Cardiff, v. 1, n. 2, p. 22-43, 2010. http://doi.org/10.18573/ipics.43

EL SAADAWI, Nawal. A face oculta de Eva: as mulheres do mundo árabe. 2. ed. São Paulo: Global, 2002.

EL SAADAWI, Nawal. Memoirs of a Woman Doctor. San Francisco: City Lights, 2001.

EL SAADAWI, Nawal. The Hidden Face of Eve: Women in the Arab World. London: Zed Books, 2007.

EL SAADAWI, Nawal. Woman at point zero. London: Zed Books, 2007.

EL SAADAWI, Nawal. Women, Creativity and Dissidence. In NEWSON-HORST, Adele (ed.). The Essential Nawal El Saadawi: A Reader. London: Zed Books, 2010, p. 66-77.

ELIADE, Mircea. História das crenças e das ideias religiosas I: da idade da pedra aos mistérios de Elêusis. Rio de Janeiro: Zahar, 2010.

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade: vol.1 – a vontade de saber. Rio de Janeiro: Graal, 1999.

FOUCAULT, Michel. A Arqueologia do saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2014.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

GUEDES, Maria Inês Coimbra. “Galland, autor das ‘Mil e uma noites’”. Gragoatá, Niterói, v. 7, n. 13, p. 131-145, 2002.

HALLDENIUS, Lena. Mary Wollstonecraft and Feminist Republicanism: Independence, Rights and the Experience of Unfreedom. Londres & Nova York: Routledge, 2015.

HOURANI, Albert. Uma história dos povos árabes. 2. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

KILOMBA, Grada. Memórias da plantação: episódios de racismo cotidiano. Rio de Janeiro: Cobogó, 2019.

MAHMOOD, Saba. “Teoria feminista, agência e sujeito liberatório: algumas reflexões sobre o revivalismo islâmico no Egito”. Etnográfica, [s. l.], v. 23, n. 1, p. 121-158, 2006.

ROUSSEAU, Jean-Jacques. Emílio, ou da educação. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2014.

SAID, Edward W. Orientalismo: o Oriente como invenção do Ocidente. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

VINSON, Pauline Homsi. “Shahrazadian Gestures in Arab Women’s Autobiographies: Political History, Personal Memory, and Oral, Matrilineal Narratives in the Works of Nawal El Saadawi and Leila Ahmed”. NWSA Journal, Bloomington, v. 20, n. 1, p. 78-98, 2008.

WOLLSTONECRAFT, Mary. Reivindicação dos direitos da mulher. Tradução Ivania Poucinho Motta. São Paulo: Boitempo, 2016.

WOLLSTONECRAFT, Mary. A Vindication of the Rights of Men and A Vindication of the Rights of Woman. (Janet Todd, Ed.) Oxford: Oxford University Press, 1993.

ZONANA, Joyce. “The Sultan and the Slave: Feminism Orientalism and the Structure of Jane Eyre”. Signs, Chicago, v. 18, n. 3, p. 592-617, 1993.

Downloads

Publicado

2022-11-17

Como Citar

Bonfim, S., & Luz, F. A. (2022). O orientalismo de Mary Wollstonecraft sob a ótica de Nawal el Saadawi: um diálogo intercultural. Malala, Revista Internacional De Estudos Sobre O Oriente Médio E Mundo Muçulmano, 10(13), 17-37. https://doi.org/10.11606/issn.2446-5240.malala.2022.193930

Edição

Seção

Artigos