Paródia: a literatura como força subversiva em Olavo Bilac

Autores

  • Clara Miguel Asperti Nogueira Universidade Estadual Paulista - Assis

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2525-8133.opiniaes.2011.114628

Palavras-chave:

crônica, paródia, Olavo Bilac, periódico, Gazeta de Notícias

Resumo

Este artigo tem por objetivo analisar alguns textos da coluna semanal “Crônica”, publicada pelo poeta e jornalista Olavo Bilac na Gazeta de Notícias, entre 1897 e 1908, em que recursos retóricos, como a paródia, ganham destaque. Por meio da análise da escrita bilaquiana, procurar-se-á trazer à luz mecanismos linguísticos e literários manuseados pelo jornalista para convencer seus leitores sobre os benefícios sociais e culturais oriundos das reformas urbanísticas e sanitárias capitaneadas pela municipalidade carioca no limiar do século XX.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Clara Miguel Asperti Nogueira, Universidade Estadual Paulista - Assis

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Letras – Unesp/Assis (bolsista Capes).

Downloads

Publicado

2016-04-24

Como Citar

Nogueira, C. M. A. (2016). Paródia: a literatura como força subversiva em Olavo Bilac. Opiniães, 1(2), 24-34. https://doi.org/10.11606/issn.2525-8133.opiniaes.2011.114628

Edição

Seção

Dossiê