Entre a Pantera e o Anjo: Geir Campos e a recepção de Rainer Maria Rilke no Brasil

  • Sylvia Tamie Anan Departamento de Teoria Literária e Literatura Comparada – FFLCH – USP
Palavras-chave: Rainer Maria Rilke, Poesia Alemã, Geir Campos, Geração de 45, Literatura Comparada

Resumo

A geração de 45 caracterizou-se, entre outras questões, pela eleição de grandes nomes da literatura europeia como paradigma da lírica, como T.S. Eliot, Paul Valéry e Fernando Pessoa. Entre estes, o poeta de língua alemã Rainer Maria Rilke (1875-1926) passou, a partir do final dos anos 40, a ser lido, traduzido e comentado no Brasil. Ainda que parte da crítica defenda que os poetas da geração de 45 baseavam-se apenas na sua obra tardia, de Sonetos a Orfeu e Elegias de Duíno, a leitura dos poemas mostra-se muito mais assistemática e baseada em uma interpretação biografizante. Entre estes poetas, Geir Campos destaca-se pelo trabalho prematuro de traduzir os poemas de Rilke, ao mesmo tempo em que a escolha destes poemas e modificações no trânsito entre a língua-fonte e a língua-objeto forjam uma determinada imagem do autor traduzido, que encontra reflexos na própria obra poética de Campos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sylvia Tamie Anan, Departamento de Teoria Literária e Literatura Comparada – FFLCH – USP
Doutoranda em Letras – Teoria Literária e Literatura Comparada pelo DTTLC – FFLCH – USP

Referências

BANDEIRA, Manuel. Poesia e Prosa – em 2 volumes. Rio de Janeiro: Aguilar, 1958.

CAMILO, Vagner. Nota sobre a recepção de Rilke na lírica brasileira do segundo pós-guerra, in: Navegações (impresso). Porto Alegre, v. 10, p. 71-78, 2017.

CAMPOS, Geir. Antologia poética. Organização de Israel Pedrosa. Rio de Janeiro: Léo Christiano, 2003.

CARPEAUX, Otto Maria. Nota sobre Rilke. In: ______. Retratos e Leituras. Rio de Janeiro, organização Simões, 1953.

HAMBURGER, Michael. A verdade da poesia – tensões na poesia modernista desde Baudelaire. Tradução de Olímpio Correia de França Neto. São Paulo: Cosac & Naify, 2007.

HOLANDA, Sérgio Buarque. O Espírito e a Letra (em 2 volumes). Organização de Antonio Arnoni Prado. São Paulo: Cia. das Letras, 1996.

HÖRSTER, Maria António Henriques Jorge Ferreira. Para uma história da recepção de Rainer Maria Rilke em Portugal (1920-1960). Coimbra: Fundação Calouste Gulbekian, 2001.

MARTINS, Cristiano. Rilke, o poeta e a poesia. Belo Horizonte: Movimento Editorial Panorama, 1949.

MELO NETO, João Cabral. Poesia completa e prosa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2008.

MILLIET, Sérgio. Diário Crítico. São Paulo, Martins Fontes, 1982.

RILKE, Rainer Maria. Sämmtliche Werke. Frankfurt/ Main: Insel, 1957.

______. Auguste Rodin. Tradução de Marion Fleischer. São Paulo: Nova Alexandria, 2003.

______. Os Cadernos de Malte Laurids Brigge. Tradução de Lya Luft. São Paulo: Mandarim, 1996.

______. Coisas e Anjos de Rilke. Tradução de Augusto de Campos. 2a edição ampliada. São Paulo: Perspectiva, 2012.

______. Elegias de Duíno. Tradução de Dora Ferreira da Silva. Rio de Janeiro: Globo, 1972.

______. O Livro de Horas. Tradução de Geir Campos. São Paulo: Perspectiva, 1993a.

______. Poemas e Cartas a um Jovem Poeta. Tradução, seleção e notas de Geir Campos e Fernando Jorge. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2017.

______. Poemas. Tradução de José Paulo Paes. 2a edição. São Paulo: Cia. Das Letras, 2012.

______. Poesia-Coisa. Tradução de Augusto de Campos. Rio de Janeiro: Imago, 1993b.

RYAN, Judith. Rilke, modernism and poetic tradition. Cambridge, University Press, 1999.

SILVA, Dora Ferreira. Poesia reunida. Rio de Janeiro, Topbooks, 1999.

SILVA, Domingos Carvalho. Poemas Escolhidos. Prefácio de Adolfo Casais Monteiro. São Paulo, Clube de Poesia, 1956.

STAHL, August. Rilke-Kommentar zum lyrischen Werk. München, Winkler, 1978.

TELES, Gilberto Mendonça. Para o estudo da geração de 45. In: ______. Contramargem – Estudos de Literatura. Rio de Janeiro: PUC/ São Paulo: Loyola, 2002. p.83-115.

Publicado
2018-07-29
Como Citar
Anan, S. (2018). Entre a Pantera e o Anjo: Geir Campos e a recepção de Rainer Maria Rilke no Brasil. Opiniães, (12), 50-62. https://doi.org/10.11606/issn.2525-8133.opiniaes.2018.142722