A estética brechtiana na dramaturgia de Ponto de partida

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2525-8133.opiniaes.2021.185955

Palavras-chave:

Dramaturgia brasileira , Dramaturgia épica, Ditadura militar, Gianfrancesco Guarnieri, Bertolt Brecht

Resumo

Este artigo tem o objetivo de reconhecer elementos do teatro brechtiano na dramaturgia da peça Ponto de partida (1976), escrita por Gianfrancesco Guarnieri (1934-2006). Para tanto, consultei materiais primários e bibliográficos acerca do teatro brechtiano, da peça em estudo, da trajetória artística de Guarnieri e da morte de Vladimir Herzog (1937-1975) - que inspirou a fábula da peça. Com isso, analisei a dramaturgia de Ponto de partida a partir dos seguintes recursos brechtianos: o gestus, a narratividade, a música-gesto e a parábola.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marco Antonio Pedra da Silva, Universidade Estadual de Campinas - Unicamp

Graduando em Artes Cênicas pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Referências

ACERVO MIS-SP. Ponto de partida – 3. parte. Direção: Fernando Peixoto. São Paulo: Grupo Hamlet, 1985. 1 DVD (61 min.).

BRECHT, Bertolt. A alma boa de Setsuan. In: BRECHT, Bertolt. Teatro completo em 12 volumes. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992. (Coleção Teatro, v. 7)

BRECHT, Bertolt. A exceção e a regra. In: BRECHT, Bertolt. Teatro completo em 12 volumes. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1990. (Coleção Teatro, v. 4)

BRECHT, Bertolt. A resistível ascensão de Arturo Ui. In: BRECHT, Bertolt. Teatro completo em 12 volumes. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1990. (Coleção Teatro, v. 4)

BRECHT, Bertolt. Ascensão e queda da cidade de Mahagonny. In: BRECHT, Bertolt. Teatro completo em 12 volumes. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1990. (Coleção Teatro, v. 3)

BRECHT, Bertolt. Estudos sobre teatro. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1978.

BRECHT, Bertolt. Mãe Coragem. In: BRECHT, Bertolt. Teatro completo em 12 volumes. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1991. (Coleção Teatro, v.6)

BRECHT, Bertolt. O círculo de giz caucasiano. In: BRECHT, Bertolt. Teatro completo em 12 volumes. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992. (Coleção Teatro, v. 9)

BRECHT, Bertolt. O Preceptor. In: BRECHT, Bertolt. Teatro completo em 12 volumes. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1990. (Coleção Teatro, v. 4)

BRECHT, Bertolt. Os cabeças redondas e os cabeças pontudas. In: BRECHT, Bertolt. Teatro completo em 12 volumes. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1991. (Coleção Teatro, v. 5)

BRECHT, Bertolt. Quanto custa o ferro? In: BRECHT, Bertolt. Teatro completo em 12 volumes. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992. (Coleção Teatro, v. 7)

CAMPOS, Cláudia de Arruda. Zumbi, Tiradentes. São Paulo: Perspectiva, 1998.

COSTA, Iná Camargo. A hora do teatro épico no Brasil. São Paulo: Graal, 1996.

DELEUZE, Gilles. A dobra: Leibniz e o barroco. Tradução de Luiz B. L. Orlandi. Campinas: Papirus, 1991.

ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. Ponto de Partida. São Paulo: Itaú Cultural, 2020. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/evento398467/ponto-de-partida>. Acesso em: 08 fev. 2021.

FAUSTO, Carlos. A antropologia xamanística de Michael Taussig e as Desventuras da Etnografía. Anuário Antropológico (UnB), Brasília, v. 11, n. 1, pp. 183-198, 1987. Disponível em: <https://periodicos.unb.br/index.php/anuarioantropologico/article/view/6382>. Acesso em: 19 nov. 2020.

FREITAS, Ludmila Sá de. (1976) História e Dramaturgia: o caso Vladimir Herzog (re)significado por Gianfrancesco Guarnieri em “Ponto de partida”. Dissertação (Bacharelado em História) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2005.

FRENDA, Perla et al. Arte, censura e resistência. In: FRENDA, Perla et al. Arte em interação. São Paulo: Instituto Brasileiro de Edições Pedagógicas (IBEP), 2013.

GRUBISICHI, Tereza. A parábola teatral de Bertolt Brecht: tese ou antítese? Dissertação (Doutorado em Letras) - Universidade Estadual Paulista, Araraquara, 2007.

GUARNIERI, Gianfrancesco. Ponto de partida. In: GUARNIERI, Gianfrancesco. O melhor teatro. São Paulo: Global, 2001.

KLEINAS, Alberto. A morte de Vladimir Herzog e a luta contra a ditadura: a desconstrução do suicídio. Dissertação (Mestrado em Ciências Humanas) - Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2012.

LIMA, Rafael Gazzola. Uma só prece? A canção como gesto social em Ponto de partida. Água Viva (UnB), Brasília, v. 3, p. 1-17, 2018.

MAGALDI, Sábato. Ponto de partida 08/10. In. MAGALDI, Sábato. Amor ao teatro. São Paulo: Edições Sesc São Paulo, 2014.

NETTO, João Chaves. Patética. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978.

OLIVEIRA, Frederico van Erven Cabala. Lúcio Cardoso e Nelson Rodrigues: arquitetos da decadência. 2019. 127 f. Dissertação (Mestrado em Estudos de Literatura) – Universidade Federal Fluminense, Niterói-RJ, 2019.

PACHECO, Tania. Um texto belo e que faz pensar. Jornal O Globo. Rio de Janeiro, 10 de abril de 1977. p. 4. (Fonte: Acervo Jornal O Globo). Acesso em: 01 out. 2020.

PAVIS, Patrice. Dicionário de teatro. São Paulo: Perspectiva, 2008.

PEIXOTO, Fernando. Teatro em pedaços: 1959-1977. São Paulo: Hucitec, 1989.

PRATA, Mário. Fábrica de chocolate. São Paulo: Hucitec, 1979.

ROSENFELD, Anatol. O teatro épico. São Paulo: Perspectiva, 1985.

ROVERI, Sérgio. Gianfrancesco Guarnieri: um grito solto no ar. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo: Cultura ¬¬– Fundação Padre Anchieta, 2004.

SZONDI, Peter. Teoria do drama moderno. São Paulo: CosacNaify, 2011.

TRIBUNA da Imprensa. Show. Rio de Janeiro, 16 de fevereiro de 1976. p. 10.

ZANOTTO, Ilka M. Um grito de alerta contra a violência. O Estado de São Paulo. São Paulo, 29 de setembro de 1976. p. 9.

Downloads

Publicado

2021-12-30

Como Citar

Silva, M. A. P. da. (2021). A estética brechtiana na dramaturgia de Ponto de partida. Opiniães - Revista Dos Alunos De Literatura Brasileira, (19), 269-290. https://doi.org/10.11606/issn.2525-8133.opiniaes.2021.185955