Reputação Sensível: narrativas que acionam sentimentos, emoções e afetos

Autores

  • Cleusa Maria Andrade Scroferneker Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
  • Denise Pagnussatt Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2238-2593.organicom.2023.214687

Palavras-chave:

Reputação sensível, Natura Sou, Dimensões sensíveis

Resumo

O presente artigo tem como objetivo discutir a materialidade das dimensões sensíveis acionadas nos discursos reputacionais da Natura, especialmente da Natura Sou. Para atender esse objetivo, que se constitui num recorte da tese de doutorado, optamos pela Hermenêutica de Profundidade, pelo Estudo de Caso e Análise de Discurso. Os resultados evidenciam que os discursos da Natura Sou configuram o que denominamos de Reputação Sensível por meio de narrativas que enfatizam sentimentos, emoções e afetos.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Cleusa Maria Andrade Scroferneker, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

    Pós-doutorado Ciências da Comunicação – Escola de Comunicações e Artes/Universidade de São Paulo. Doutorado em Ciências da Comunicação - Escola de Comunicações e Artes/Universidade de São Paulo. Mestrado em Planejamento Urbano e Regional/PROPUR VI - Faculdade de Arquitetura/Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Bacharelado em Comunicação Social – Habilitação Polivalente – Faculdade de Comunicação Social/ FAMECOS/ Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Bacharelado em Geografia - Instituto de Geociências - Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Licenciatura Plena em Geografia – Instituto de Geociências - Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Professora Titular do Programa de Pós-Graduação em Comunicação/PPGCOM e da Escola de Comunicação, Artes e Design – Famecos/ Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

  • Denise Pagnussatt, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

    Doutorado em Comunicação - Programa de Pós-Graduação em Comunicação/PPGCOM e da Escola de Comunicação, Artes e Design – Famecos/ Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Mestrado em Comunicação - Programa de Pós-Graduação em Comunicação/PPGCOM e da Escola de Comunicação, Artes e Design – Famecos/ Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. MBA Executivo em Marketing – Escola Superior de Propaganda e Marketing – ESPM-RS. Bacharelado em Comunicação Social – Relações Públicas Escola de Comunicação, Artes e Design – Famecos/ Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Coordenadora dos cursos de Relações Públicas e de Comunicação Empresarial da Escola de Comunicação, Artes e Design – Famecos/ Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Professora Adjunta da Escola de Comunicação, Artes e Design – Famecos/ Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

Referências

ACCENTURE, 2020. Fjord Trends, [s. l.], 2023. Disponível em: https://www.accenture.com/br-pt/insights/digital/fjord-trends-2020. Acesso em: 15 nov. 2023.

ALMEIDA, Ana Luisa de Castro. Identidade, Imagem e Reputação organizacional: conceitos e dimensões da práxis. In: KUNSCH, Margarida M. K. Comunicação organizacional: linguagem, gestão e perspectivas. São Paulo: Saraiva, 2009. v. 2.

BARBALET, Jack M. Emoção, teoria social e estrutura social: uma abordagem macrossocial. Lisboa: Piaget Instituto, 1998.

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade líquida. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.

BUENO, Wilson da Costa. Auditoria de Imagem das organizações. São Paulo: All Print, 2012.

CASTELLS, Manuel. O poder da Identidade. São Paulo: Paz e Terra, 2018.

CHUN, Rosa. Corporate reputation: meaning and measurement. International Journal of Management Reviews, [s.l .], v.7 , n.2 , p. 91-109, 2005. DOI: https://doi.org/10.1111/j.1468-2370.2005.00109.x.

CR REPTRAK. Global CR RepTrak 100, [s.l .], 2019. Disponível em: https://www.rankingthebrands.com/The-Brand-Rankings.aspx?rankingID=331&nav=category. Acesso em: 4 nov. 2020.

DAMÁSIO, Antônio R. O erro de Descartes: Emoção, razão e o cérebro humano. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

DAMÁSIO, Antônio R. O mistério da consciência. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

DAMÁSIO, Antônio R. O erro de Descartes: Emoção, razão e o cérebro humano. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

DAMÁSIO, Antônio R. O mistério da consciência. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

DAMÁSIO, Antônio R. A estranha ordem das coisas: a vida, os Sentimentos e as culturas humanas. São Paulo: Companhia das Letras, 2018.

DAVOSLAB. Construindo Nosso Futuro, [s.l .], 2021. Disponível em: https://materiais.eureca.me/pesquisa-construindo-nosso-futuro. Acesso em: 15 nov. 2023.

EDELMAN. Trust Barometer, [s.l .], 2021. Disponível em: https://www.edelman.com.br/estudos/edelman-trust-barometer-2021. Acesso em: 15 nov. 2023.

FOMBRUN, Charles J. Reputation: realizing value from the corporate image. Boston: Harvard Business School, 1996.

FOMBRUN, Charles J.; GARDBERG, Naomi A.; SEVER, Joy M. The Reputation Quotient SM: A multi-stakeholder measure of corporate reputation. Journal of Brand Management, Berlin, v. 7, p. 241-255, 2000.

GADAMER, Hans-Georg. Verdade e método: Traços fundamentais de uma hermenêutica filosófica. Petrópolis: Vozes, 1997.

GAIO, Sofia. Perspectivas e contribuições das relações públicas na gestão de marcas corporativas. In: CESCA, Cleuza G. Gimenes. Relações Públicas e suas interfaces. São Paulo: Summus, 2006.

GIL, Antonio Carlos. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. São Paulo: Atlas, 2008.

GOTSI, Manto; WILSON, Alan. M. Corporate reputation: seeking a definition. Corporate Communications, Bradford, v. 6, n. 1, p. 24, 2001. DOI: http://dx.doi.org/10.1108/1356328011038118.

HONEYMAN, Ryan. O Manual da Empresa B: como usar os negócios como força para o Bem. Curitiba: Voo Pro, 2017

JOLY, Martine. Introdução à Análise da Imagem. Campinas: Papirus, 2012.

KAPFERER, Jean-Noël. As marcas: capital da empresa: criar e desenvolver marcas fortes. Porto Alegre: Bookman, 2003.

LANGE, Donald; LEE, Peggy; DAI, Ye. Organizational reputation: a Review. Journal of Management, Thousand Oaks, v. 37, n. 1, p. 153-184, 2011. DOI: http://dx.doi.org/10.1177/0149206310390963.

MAFFESOLI, Michel. No fundo das aparências. Petrópolis: Vozes, 1996.

MAFFESOLI, Michel. O tempo das tribos: declínio do individualismo nas sociedades de massa. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2000.

MAFFESOLI, Michel. Sobre o nomadismo: vagabundagens pós-modernas. Rio de Janeiro: Record, 2001.

MAFFESOLI, Michel. A transfiguração do político: a tribalização do mundo. Porto Alegre: Sulina, 2005.

MELTZER, Bernard N.; Gil Richard MUSOF. Resentment and Ressentiment. Sociological Inquiry, v. 72, n. 2, p. 240-255, 2002. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/227907085_Resentment_and_Ressentiment. Acesso em: 15 nov. 2023.

MERCO. Merco Responsabilidade ESG, [s.l .], 2020. Disponível em: https://www.merco.info/br/ranking-merco-responsabilidad-gobierno-corporativo?edicion=2020. Acesso em: 15 nov. 2023.

MORIN, Edgar. Método 6: ética. Porto Alegre: Sulina, 2005.

NATURA. Portal da Natura, [s. l.], 2021. Disponível em: https://www.natura.com.br/. Acesso em: 31 jul. 2021.

NEUMEIER, Marty. The Brand Gap: o abismo da marca: como construir a ponte entre a estratégia e o design. Porto Alegre: Bookman, 2008.

ORLANDI, Eni. Análise de discurso: princípios e procedimentos. Pontes: Campinas, 2015.

PAGNUSSATT, Denise. Reputação sensível: aproximações entre os discursos reputacionais e as dimensões sensíveis acionadas pela Natura. 2021. Tese (Doutorado em Comunicação Social) – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2021. Disponível em: https://repositorio.pucrs.br/dspace/handle/10923/20069. Acesso em: 13 out. 2023

REPTRAK. Global RepTrak 100, [s. l.], 2018. Disponível em: https://www.rankingthebrands.com/The-Brand-Rankings. aspx?rankingID=331&year=1248. Acesso em: 15 nov. 2023.

SANTAELLA, Lúcia; NÖTH, Winfried. Imagem: cognição, semiótica, mídia. São Paulo: Iluminuras, 2012.

SODRÉ, Muniz. Antropológica do espelho: uma teoria da comunicação linear e em rede. Petrópolis: Vozes, 2002.

SODRÉ, Muniz. As estratégias sensíveis: Afeto, mídia e política. Petrópolis: Vozes, 2006.

STAKE. Robert E. The art of case study research. Thousand Oaks: Sage, 1995. Disponível em: https://legacy.oise.utoronto.ca/research/field-centres/ross/ctl1014/Stake1995.pdf. Acesso em: 31 jul. 2021.

THOMPSON, John B. Ideologia e cultura moderna: teoria social crítica na era dos meios de comunicação de massa. Petrópolis: Vozes, 2002.

THOMAZ, José Carlos; BRITO, Eliane Pereira Zamith. Comunicação Corporativa: contribuição para a Reputação das organizações. Organicom, São Paulo, v. 4, n. 7, p. 141-157, 2007. DOI: https://doi.org/10.11606/issn.2238-2593.organicom.2007.138949.

THOMAZ, José Carlos; BRITO, Eliane Pereira Zamith. Reputação Corporativa: Construtos Formativos e Implicações para a Gestão. Revista de Administração Contemporânea, Curitiba, v. 14, n. 2, p. 229-250, 2010. DOI: https://doi.org/10.1590/S1415-65552010000200004.

TONI, Deonir de. Administração da Imagem de organizações, marcas e produtos. In: KUNSCH, Margarida M. K. Comunicação Organizacional: linguagem, gestão e perspectivas. São Paulo: Saraiva, 2009. v. 1.

WHETTEN, David A.; MACKEY, Alison. A social actor conception of organizational identity and its implications for the study of organizational reputation. Business & Society, Thousand Oaks, v. 41, n. 4, p. 393-414, 2002. DOI: https://doi.org/10.1177/0007650302238775.

Downloads

Publicado

2023-12-29

Como Citar

SCROFERNEKER, Cleusa Maria Andrade; PAGNUSSATT, Denise. Reputação Sensível: narrativas que acionam sentimentos, emoções e afetos. Organicom, São Paulo, Brasil, v. 20, n. 43, p. 94–106, 2023. DOI: 10.11606/issn.2238-2593.organicom.2023.214687. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/organicom/article/view/214687.. Acesso em: 18 jul. 2024.