Espaços missionários transformados: a apropriação da terra pelos índios numa aldeia jesuítica da costa atlântica (século XVIII-XIX)

  • Susana de Matos Viegas Universidade de Lisboa. Instituto de Ciências Sociais
Palavras-chave: posse da terra, transformações do espaço ameríndio, missões jesuíticas, territorialidade, Tupinambá de Olivença

Resumo

Neste artigo proponho uma análise da territorialidade vivida pelos índios que habitavam na vila de Olivença (sul da Bahia) no período colonial, à luz de enfoques trazidos pela etnografia contemporânea. Mostro que a própria política missionária de fixação criou espaços transformados — tanto da mata e dos locais onde os índios cultivavam as suas roças como da própria sede da missão — que conseguimos configurar como territorialidades numa historicidade ameríndia. Serão principalmente exploradas visões da territorialidade a partir da posse e da responsabilidade individual finita em cuidar do espaço. O artigo visa contribuir para o alargamento da história das territorialidades ameríndias, partindo dos regimes de posse que resultam desta articulação entre os projetos territoriais coloniais e as vivências e apropriações ameríndias do espaço. 

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2015-08-12
Como Citar
Viegas, S. (2015). Espaços missionários transformados: a apropriação da terra pelos índios numa aldeia jesuítica da costa atlântica (século XVIII-XIX). Revista De Antropologia, 58(1), 69-104. https://doi.org/10.11606/2179-0892.ra.2015.102100
Seção
Dossiê