Ambientes domésticos e dinâmicas sociais em São Paulo colonial

Autores

  • Maria Aparecida de Menezes Borrego Universidade de São Paulo
  • Rogério Ricciluca Matiello Félix Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9141.rh.2016.123851

Palavras-chave:

Espaço doméstico, mobiliário, grupo mercantil, São Paulo

Resumo

A proposta do artigo é analisar a dimensão material da vida social dos grupos intermédios residentes na cidade de São Paulo ao longo do Setecentos ligados ao comércio. Para tanto, partimos do pressuposto de que os atributos físicos de peças de mobiliário informam não apenas sobre a função utilitária do objeto, mas, antes, seus usos indicam a reiteração e/ou transformação de padrões de conduta e de hierarquias familiar e social. Para desenvolver o argumento, primeiramente teceremos breves comentários sobre o espaço doméstico na cidade de São Paulo durante o século XVIII. Em seguida, nos deteremos na análise do uso social de alguns móveis nos interiores das moradas de setores mercantis, relacionando sua existência com as mudanças socioeconômicas pelas quais passava a capital, graças às atividades comerciais que se desenvolviam na região paulista em razão do abastecimento das áreas mineratórias de Minas Gerais, Goiás e Cuiabá. 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Aparecida de Menezes Borrego, Universidade de São Paulo

Historiadora, docente do Departamento de Acervo e Curadoria do Museu Paulista e do Programa de Pós-graduação em História Social da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas.

 

Rogério Ricciluca Matiello Félix, Universidade de São Paulo

Mestrando em História Social pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo. Bolsista Capes

 

Downloads

Publicado

2016-12-20

Como Citar

BORREGO, M. A. de M.; FÉLIX, R. R. M. Ambientes domésticos e dinâmicas sociais em São Paulo colonial. Revista de História, [S. l.], n. 175, p. 91-132, 2016. DOI: 10.11606/issn.2316-9141.rh.2016.123851. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/revhistoria/article/view/123851. Acesso em: 7 jul. 2022.