O Rio de Janeiro à mesa

A alimentação nos restaurantes e confeitarias do Século XIX (1854-1890)

Palavras-chave: Rio de Janeiro, Restaurantes, Confeitarias, alimentação, história

Resumo

O Brasil, em toda a sua história e de diferentes maneiras, foi local de convergência de distintas relações étnicas que destacaram sua contribuição na formação do país. O Rio de Janeiro, sua cidade mais importante no século XIX, era também um emaranhado de sabores, cheiros, culturas e gente de todos os tipos. A capital do Império traduzia, nos seus estabelecimentos de alimentação, a complexidade e variedade do seu significado para o país. O objetivo deste estudo é identificar as produções comercializadas nos restaurantes e confeitarias da Corte no século XIX – especificamente entre 1854-1890 – procurando apontar aspectos acerca das influências e referências culturais, assim como as adaptações e acomodações utilizadas na alimentação desenvolvida por ambos os espaços no Rio de Janeiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thaina Schwan Karls, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutora em História Comparada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ (2017); Mestre em Hospitalidade pela Universidade Anhembi Morumbi (2009); Especialista em Padrões Gastronômicos pela Universidade Anhembi Morumbi (2006); Graduada em Gastronomia pela Faculdade Novo Milênio (2004). Professora Adjunto do Curso de Gastronomia do Instituto de Nutrição Josué de Castro (INJC) da Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ. É membro do Sport - Laboratório de História do Esporte e do Lazer. Trabalha com Projetos de Pesquisa e Extensão na UFRJ. Tem experiência didática, profissional e publicações nas áreas de Gastronomia, atuando principalmente nos seguintes temas: História da Gastronomia, Culinária Brasileira, Hospitalidade e Comensalidade.

Referências

Fontes
Código de Posturas da ilustrissima Câmara Municipal. Rio de Janeiro, 2 de dezembro de 1854.
Código de Posturas da ilustrissima Câmara Municipal. Rio de Janeiro: Eduardo & Henrique Laemmert, 1870.
Código de Posturas: leis, decretos, editais e resoluções da Intendência Municipal do Distrito Federal. Rio de Janeiro: Typographia Mont’Alverne, 1894.
Correio Mercantil. Rio de Janeiro, 5 de fevereiro de 1850, p. 2.
Correio Mercantil. Rio de Janeiro, 2 de novembro de 1850, p. 2.
Correio Mercantil. Rio de Janeiro, 24 de dezembro de 1850, p. 4.
Correio Mercantil. Rio de Janeiro, 24 de maio de 1851, p. 4.
Correio Mercantil. Rio de Janeiro, 17 de junho de 1851, p. 4.
Correio Mercantil. Rio de Janeiro, 22 de novembro de 1853, p. 3.
Correio Mercantil. Rio de Janeiro, 31 de dezembro de 1854, p. 3.
Correio Mercantil. Rio de Janeiro, 26 de abril de 1855, p. 3.
Correio Mercantil. Rio de Janeiro, 1 de junho de 1855, p. 3.
Correio Mercantil. Rio de Janeiro, 22 de maio de 1856, p. 2.
Correio Mercantil. Rio de Janeiro, 14 de janeiro de 1858, p. 3.
Correio Mercantil. Rio de Janeiro, 2 de setembro de 1860, p. 4.
Correio Mercantil. Rio de Janeiro, 14 de agosto de 1861, p. 4.
Correio Mercantil. Rio de Janeiro, 19 de maio de 1861, p. 3.
Correio Mercantil. Rio de Janeiro, 15 de agosto de 1862, p. 1.
Correio Mercantil. Rio de Janeiro, 1 de janeiro de 1864, p. 3.
Diário de Notícias. Rio de Janeiro, 4 de setembro de 1885, p. 4.
Diário de Notícias. Rio de Janeiro, 5 de setembro de 1885, p. 4.
Diário de Notícias. Rio de Janeiro, 22 de novembro de 1887, p. 1.
Diário de Notícias. Rio de Janeiro, 14 de fevereiro de 1890, p. 3.
Diário do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 7 de setembro de 1839, p. 4.
Diário do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 30 de julho de 1842, p. 4.
Diário do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 24 de dezembro de 1851, p. 4.
Diário do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 5 de novembro de 1853, p. 2.
Diário do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 7 de julho de 1856, p. 3.
Diário do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 23 de janeiro de 1857, p. 1-2.
Diário do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 15 de junho de 1860, p. 4.
Diário do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 23 de junho de 1860, p. 3.
Diário do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 2 de agosto de 1861, p. 3.
Diário do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 30 de dezembro de 1863, p. 3.
Diário do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 21 de fevereiro de 1864, p. 3.
Diário do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 26 de março de 1872, p. 1.
Gazeta da Tarde. Rio de Janeiro, 9 de novembro de 1881, p. 4.
Gazeta da Tarde. Rio de Janeiro, 30 de novembro de 1881, p. 4.
Gazeta da Tarde. Rio de Janeiro, 13 de julho de 1888, p. 3.
Gazeta da Tarde. Rio de Janeiro, 17 de fevereiro de 1890, p. 1-2.
Gazeta da Tarde. Rio de Janeiro, 28 de novembro de 1890, p. 2.
Gazeta de Notícias. Rio de Janeiro, 2 de junho de 1876, p. 3.
Gazeta de Notícias. Rio de Janeiro, 22 de outubro de 1876, p. 3.
Gazeta de Notícias. Rio de Janeiro, 21 de maio de 1877, p. 2.
Gazeta de Notícias. Rio de Janeiro, 21 de agosto de 1877, p. 1.
Gazeta de Notícias. Rio de Janeiro, 26 de março de 1879, p. 4.
Gazeta de Notícias. Rio de Janeiro, 5 de abril de 1880, p. 3.
Gazeta de Notícias. Rio de Janeiro, 10 de maio de 1881, p. 4.
Gazeta de Notícias. Rio de Janeiro, 25 de março de 1885, p. 4.
Gazeta de Notícias. Rio de Janeiro, 3 de setembro de 1885, p. 4.
Gazeta de Notícias. Rio de Janeiro, 05 de agosto de 1886, p. 3.
Gazeta de Notícias. Rio de Janeiro, 11 de dezembro de 1886, p. 3.
Gazeta de Notícias. Rio de Janeiro, 27 de novembro de 1890, p. 3.
Gazeta de Notícias. Rio de Janeiro, 7 de dezembro de 1890, p. 6.
Jornal do Comércio. Rio de Janeiro, 8 de dezembro de 1857, p. 4.
Jornal do Comércio. Rio de Janeiro, 5 de outubro de /1862, p. 3.
Jornal do Comércio. Rio de Janeiro, 7 de junho de 1865, p. 3.
O Globo. Rio de Janeiro, 16 de abril de 1853, p. 4.
O Globo. Rio de Janeiro, 1 de junho de 1853, p. 3.
O Globo. Rio de Janeiro, 29 de março de 1854, p. 4.
O Globo. Rio de Janeiro, 5 de julho de 1854, p. 2-3.
O Globo. Rio de Janeiro, 13 de novembro de 1854, p. 4.
O Globo. Rio de Janeiro, 21 de novembro de 1881, p. 4.
O Mequetrefe. Rio de Janeiro, 10 de janeiro de 1878, ano 4º, nº 120, p. 1.
O País. Rio de Janeiro, 10 de maio de 1885, p. 4.
O País. Rio de Janeiro, 15 de novembro de 1889, p. 3.
O Programa Avisador. Rio de Janeiro, 4 de setembro de 1886, p. 1
O Programa Avisador. Rio de Janeiro, 8 de outubro de 1887, p. 3.
Periódico Caricato, Satírico e Popular. Rio de Janeiro, 1871, ano I, nº 46, p. 7.
Revista de Engenharia. Rio de Janeiro, 28 de dezembro de 1890, p. 301-302.

Bibliografia
ABRIL COLEÇÕES. Amazônia: Amazonas, Tocantins, Roraima, Rondônia, Acre e Amapá. São Paulo: Abril, 2009. (Coleção Cozinha Regional Brasileira, vol. 19)
BELCHIOR, Elysio de Oliveira & POYARES, Ramon. Pioneiros da hotelaria no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Senac, 1987.
BELLUZZO, Rosa. Nem garfo nem faca: à mesa com os cronistas e viajantes. São Paulo: Editora Senac, 2010.
CASCUDO, Luís da Câmara. História da alimentação no Brasil. 3ª edição. São Paulo: Global, 2004.
CHAVES, Guta & FREIXA, Dolores. Larousse da cozinha brasileira: raízes culturais da nossa terra. São Paulo: Larousse do Brasil, 2007.
CRULS, Gastão. Aparência do Rio de Janeiro, vol. I. Rio de Janeiro: José Olympio, 1949.
FOLHA DE S. PAULO. Cozinha país a país: Rússia. São Paulo: Editora Moderna, 2005.
FREITAS FILHO, Almir Pita. A colônia portuguesa na composição empresarial da cidade do Rio de Janeiro no final do século XIX e início do XX. In: LESSA, Carlos (org.). Os Lusíadas na aventura do Rio moderno. Rio de Janeiro: Record, 2002, p. 163-197.
FREIXA, Dolores & CHAVES, Guta. Gastronomia no Brasil e no mundo. Rio de Janeiro: Senac Nacional, 2009.
FREYRE, Gilberto. Ingleses no Brasil. 3ª edição. Rio de Janeiro: Topbooks, 2000.
KARLS, Thaina Schwan. Comida, bebida e diversão: uma análise comparada do perfil de restaurantes e confeitarias no Rio de Janeiro do século XIX (1854-1890). Tese de doutorado. Programa de Pós-Graduação em História Comparada, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2017.
Larousse da cozinha do mundo – Mediterrâneo e Europa Central. Tradução de Marcos Maffei e Giliane Ingratta. São Paulo: Larousse do Brasil, 2005.
LODY, Raul. É de cravo, é de rosa, é de manjericão: o São João luso-brasileiro – mito e devoção no Rio de Janeiro. In: LESSA, Carlos (org.). Os Lusíadas na aventura do Rio moderno. Rio de Janeiro: Record, 2002, p. 497-545.
LUCA, Tânia Regina de. Fontes impressas: história dos, nos e por meio dos periódicos. In: PINSKY, C. B. Fontes históricas. 3ª edição. São Paulo: Contexto, 2011.
MACIEL, Maria Eunice. Nem toda carne assada é churrasco. Revista de História da Biblioteca Nacional, ano 10, n. 115, Rio de Janeiro, abr. 2015, p. 14-17.
MENEZES, Ângela Dutra de. A gastronomia portuguesa no estado do Rio de Janeiro. In: LESSA, Carlos (org.). Os Lusíadas na aventura do Rio moderno. Rio de Janeiro: Record, 2002, p. 547-582.
PANEGASSI, Rubens Leonardo. Cada prato em seu lugar. Revista de História da Biblioteca Nacional, ano 10, n. 115, Rio de Janeiro, abr. 2015, p. 24-29.
PESAVENTO, Sandra Jatahy. O imaginário da cidade: visões literárias do urbano – Paris, Rio de Janeiro, Porto Alegre. Porto Alegre: Ed. Universidade/UFRGS, 2002.
RENAULT, Delso. Rio de Janeiro: a vida da cidade refletida nos jornais (1850-1870). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira; Brasília: INL, 1978.
RIOS FILHO, Adolfo Morales de los. O Rio de Janeiro imperial. Rio de Janeiro: Univer Cidade, 2000.
ROBUCHON, JOËL et al. Larousse gastronomique: the world’s greatest culinary encyclopedia. Nova York: Clarkson Potter Publishers, 2001.
TOSTES, Vera Lúcia Bottrel. O Rio de Janeiro no tempo de d. João VI. In: AMARAL, Sônia Guarita do (coord.). O Brasil como Império. 1ª edição. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2009, p. 38-57.
WÄTZOLD, Tim. Proclamação da cozinha brasileira como parte do processo de formação da identidade nacional no Império brasileiro – 1822-1899. Tradução de Juliane Pereira da Costa. Belo Horizonte: TCS Editora, 2012.
Publicado
2019-09-02
Seção
Artigos