Abaixo, ao lado, no passado: a representação de indígenas pelas elites paulistas, dos séculos XVIII ao XX

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9141.rh.2021.171956

Palavras-chave:

São Paulo (cidade), Indígenas, Representações, paulistas, imaginário

Resumo

Os jornais paulistanos publicados no período do IV Centenário da Fundação da Cidade, com artigos, poesias, iconografias e propagandas, permitem apreender a culminação de processos de longa duração de construção, transformação e apropriação de imaginários criados desde a América portuguesa, tendo como elementos centrais as relações entre colonos (e seus descendentes), grupos indígenas e o território. A bravura e heroísmo dos “sertanistas”, a nobreza dos “paulistas” e a disciplina e regramento dos “agricultores” são lastros tomados por historiadores e elites paulistas no século XX, em busca de representações adequadas à centralidade que o estado adquirira no panorama econômico e político nacional, cristalizando a obliteração dos ameríndios, que passam de aliados e até familiares indispensáveis para incômodos coadjuvantes de um passado esgotado. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Amália Cristovão dos Santos, Escola da Cidade - Faculdade de Arquitetura e Urbanismo

Doutora pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU-USP), em 2018. Atualmente, professora de graduação no Departamento de História e professora e coordenadora de curso lato sensu de pós-graduação, ambos na Escola da Cidade – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, em São Paulo - SP, Brasil. 

Referências

ABUD, Katia Maria. O sangue intimorato e as nobilíssimas tradições: a construção de um símbolo paulista: o bandeirante. 1985. Tese (Doutorado) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1985.

ALEGRIA, Maria Fernanda et al. Portuguese Cartography in the Renaissance. In: WOODWARD (ed.), The History of Cartography, v. 3: Cartography in the European Renaissance. Chicago; London: The University of Chicago Press, 2007, p. 977-1059.

BEIER, José Rogério. Artefatos de poder: Daniel Pedro Müller, a Assembleia Legislativa e a construção territorial da província de São Paulo (1835-1849). 2015. Dissertação (Mestrado) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015.

BELLOTTO, Heloísa Liberalli. Autoridade e conto no Brasil colonial: o governo do Morgado de Mateus em São Paulo (1765-1775). São Paulo: Alameda, 2007.

BILAC, Olavo; BOMFIM, Manoel. Através do Brasil: prática de língua portuguesa. São Paulo: Companhia das Letras, 2000 [1910].

BLAJ, Ilana. A trama das tensões: o processo de mercantilização de São Paulo colonial (1681-1721). São Paulo: Humanitas; Fapesp, 2002.

BREFE, Ana Claudia Fonseca. Paradigma da história nacional? O Museu Paulista ao longo do século XX. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL MUSEUS NACIONAIS E OS DESAFIOS CONTEMPORÂNEOS, 2010, Rio de Janeiro. Museus nacionais e os desafios do contemporâneo. Rio de Janeiro: Museu Histórico Nacional, 2011, p. 136-154.

BRUNO, Ernani Silva. História e tradições da cidade de São Paulo: Volume I – Arraial de Sertanistas (1554-1828). São Paulo: Editora Hucitec, 1991.

CANDIDO, Antonio. Os parceiros do Rio Bonito: estudo sobre o caipira paulista e a transformação dos seus meios de vida. São Paulo: Duas Cidades; Ed. 34, 2001.

CASTRO, Josué. Geografia da fome (o dilema brasileiro: pão ou aço). São Paulo: Brasiliense, 1965 [1946].

CINTRA, Jorge Pimentel. O Mapa das Cortes: perspectivas cartográficas. Anais do Museu Paulista, São Paulo, nova série, v. 17, n. 2, p. 63-77, jul./dez., 2009. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/anaismp/v17n2/05.pdf. Acesso em: 23 abr. 2021. Doi: https://doi.org/10.1590/S0101-47142009000200005.

COMISSÃO DO IV CENTENÁRIO DA FUNDAÇÃO DA CIDADE DE SÃO PAULO. São Paulo em Quatro Séculos. São Paulo: Comissão do IV Centenário da Fundação da Cidade de São Paulo; Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo, 1953.

CORRÊA, Dora Shellard. Historiadores e cronistas e a paisagem da colônia Brasil. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 26, n. 51, p. 63-87, 2006. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rbh/v26n51/05.pdf. Acesso em: 23 abr. 2021. Doi: https://doi.org/10.1590/S0102-01882006000100005.

CORTESÃO, Jaime Zuzarte. Alexandre de Gusmão & o Tratado de Madrid, t. 2. São Paulo: Imprensa Oficial; Fundação Alexandre de Gusmão, 2006.

ELLIS Jr., Alfredo. Os primeiros troncos paulistas e o cruzamento euro-americano. São Paulo: Ed. Nacional, 1936.

ETULAIN, Richard. (org.). Does the Frontier Experience Make America Exceptional?. Boston; Nova Iorque: Bedford; St. Martin’s, 1999.

HENNESSY, Alistair. The Frontier in Latin American History. Albuquerque: University of New Mexico Press, 1978.

HOLANDA, Sérgio Buarque de. Movimentos da população em São Paulo no século XVIII. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, São Paulo, n. 1, p. 55-111, 1966. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/rieb/article/view/45622/49221. Acesso em: 23 abr. 2021. Doi: https://doi.org/10.11606/issn.2316-901X.v0i1p55-111.

HOLANDA, Sérgio Buarque de. Monções. São Paulo: Companhia das Letras, 2014.

IHERING, Hermann von. A anthropologia do estado de São Paulo. Revista do Museu Paulista, São Paulo, v. VII, p. 202-257, 1907.

KOK, Glória. O sertão itinerante: expedições da capitania de São Paulo no século XVIII. São Paulo: Editora Hucitec; Fapesp, 2004.

LEME, Pedro Taques de Almeida Paes. Nobiliarquia Paulistana Histórica e Genealógica, t. I-III. 5 ed. Belo Horizonte; São Paulo: Ed. Itatiaia; Ed. da Universidade de São Paulo, 1980.

LIMONGI, Fernando. Mentores e clientelas da Universidade de São Paulo. In: MICELI, Sergio (org.). História das ciências sociais no Brasil, v. 1. São Paulo: Editora Sumaré, 2001, p. 135-221.

LOFEGO, Silvio Luiz. A construção da memória na publicidade do IV Centenário da cidade de São Paulo. Patrimônio e Memória, Assis, v. 2, n. 2, p. 25-44, 2006.

MACHADO, José de Alcântara. Vida e morte do bandeirante. Belo Horizonte; São Paulo: Ed. Itatiaia; Ed. da Universidade de São Paulo, 1980 [1929].

MACHADO, Maria Helena. Sendo cativo nas ruas: a escravidão urbana na cidade de São Paulo. In: PORTA, Paula (org.). História da Cidade de São Paulo. São Paulo: Paz e Terra, 2004, p. 59-99.

MAKINO, Miyoko. Ornamentação do Museu Paulista para o Primeiro Centenário: construção de identidade nacional na década de 1920. Anais do Museu Paulista, São Paulo, nova série, v. 10/11, p. 167-195, 2002/2003. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/anaismp/v10-11n1/10.pdf. Acesso em: 23 abr. 2021. Doi: https://doi.org/10.1590/S0101-47142003000100010.

MARCÍLIO, Maria Luiza. Crescimento demográfico e evolução agrária paulista: 1700-1836. São Paulo: Hucitec; Edusp, 2000.

MATTOS, Claudia Valladão de. Da Palavra à Imagem: sobre o programa decorativo de Affonso Taunay para o Museu Paulista. Anais do Museu Paulista, São Paulo, nova série, v. 6/7, p. 123-145, 1998/1999. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/anaismp/article/view/5363/6893. Acesso em: 23 abr. 2021. Doi: https://doi.org/10.1590/S0101-47141999000100006.

MONBEIG, Pierre. Pioneiros e fazendeiros de São Paulo. 2 ed. São Paulo: Hucitec; Polis, 1998 [1952].

MOOG, Clodomiro Vianna. Bandeirantes e Pioneiros: Paralelo entre duas culturas. 19 ed. Rio de Janeiro: Graphia, 2000 [1955].

MOURA, Clóvis. Rebeliões da senzala: quilombos, insurreições, guerrilhas. São Paulo: Edições Zumbi, 1959.

MOURA, Esmeralda Blanco Bolsonaro de. Bandeirantes do progresso: imagens do trabalho e do trabalhador na cidade em festa. São Paulo, 25 de janeiro de 1954. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 14, n. 28, p. 231-246, 1994.

MÜLLER, Daniel Pedro. Ensaio d’um quadro estatístico da província de São Paulo. 3 ed. São Paulo: Governo do Estado, 1978 [1838].

NOVAIS, Fernando. O reformismo ilustrado luso-brasileiro: alguns aspectos. Revista Brasileira de História, São Paulo, n. 7, p. 105-118, 1984.

ODALIA, Nilo (org.); CALDEIRA, João Ricardo de Castro (org.). História do Estado de São Paulo: a formação da unidade paulista. República, v. 2. São Paulo: Editora UNESP; Imprensa Oficial; Arquivo Público do Estado, 2010.

OLIVEIRA, Lúcia Lippi. Americanos: Representações e identidade nacional no Brasil e nos EUA. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2000.

RENDON, José Arouche de Toledo. Obras. São Paulo: Governo do Estado de São Paulo, 1978.

ROMEIRO, Adriana. Paulistas e emboabas no coração das Minas: Idéias, práticas e imaginário político no século XVIII. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2008.

RUGENDAS, Johann Moritz. Viagem pitoresca através do Brasil. São Paulo: Livraria Martins Editora, 1949.

SAINT-HILAIRE, Auguste. Viagem à Província de São Paulo. São Paulo: Martins, 1940 [1851].

SANTOS, Amália Cristovão dos. A expulsão do sertão: elites paulistas, entre o imaginário e o território (1749-1841). 2018. Tese (Doutorado) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2018.

SOUZA, Laura de Mello e. O sol e a sombra: Política e administração na América portuguesa do século XVIII. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

SPIX, Johann Baptist von; MARTIUS, Carl Friedrich Phillipp von. Viagem pelo Brasil. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1938.

TURNER, Frederick Jackson. Rereading Frederick Jackson Turner: “The Significance of the Frontier in American History” and Other Essays. Nova Iorque: Henry Holt and Company, 1994.

VIEIRA, Cleber Santos. Prefácio: um rosário de lutas. In: MOURA, Clóvis. Sociologia do negro brasileiro. 2 ed. São Paulo: Perspectiva, 2019, p. 15-28.

VILARDAGA, José Carlos. São Paulo na órbita do Império dos Felipes: conexões castelhanas de uma vila da América portuguesa durante a União Ibérica (1580-1640). 2010. Tese (Doutorado) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.

WEGNER, Robert. A conquista do oeste: A fronteira na obra de Sérgio Buarque de Holanda. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2000.

WISSENBACH, Maria Cristina Cortez. Desbravamento e catequese na constituição da nacionalidade brasileira: as expedições do Barão de Antonina no Brasil meridional. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 15, n. 30, p. 137-155, 1995.

Periódicos

A Gazeta. São Paulo, ano XLVIII, n. 14.590, 25 jan. 1954.

Diario de S. Paulo. São Paulo, ano XXVI, n. 7.647, 25 jan. 1954.

O Estado de S. Paulo. São Paulo, ano LXXV, n. 24.145, 25 jan. 1954.

Artigos de Jornais

ALMEIDA, Guilherme. Acalanto de Bartira. Diario de S. Paulo, São Paulo, ano XXVI, n. 7.647, 25 jan. 1954, caderno 1, p. 1-2.

CORTESÃO, Jaime Zuzarte. Martim Afonso de Sousa e a fundação de São Paulo. O Estado de S. Paulo, São Paulo, ano LXXV, n. 24.145, 25 jan. 1954, p. 16-18.

FERREIRA, Otavio. Os vários tipos de navios da época dos descobrimentos. O Estado de S. Paulo, São Paulo, ano LXXV, n. 24.145, 25 jan. 1954, p. 4.

FRANCO, Francisco de Assis Carvalho. Os trinta e dois companheiros de Martim Afonso e a cidade de São Paulo. O Estado de S. Paulo, São Paulo, ano LXXV, n. 24.145, 25 jan. 1954, p. 20-26.

ISGOROGOTA, Judas. História das Artes Plásticas em São Paulo. A Gazeta, São Paulo, ano XLVIII, n. 14.590, 25 jan. 1954, p. 136, 140.

KOPKE, Carlos Burlamaqui. Quatro séculos de literatura. Diario de S. Paulo, São Paulo, ano XXVI, n. 7.647, 25 jan. 1954, caderno 1, p. 6.

MAGALHÃES, Almeida. Bandeirantes: “Estes homens pertenciam a uma raça de gigantes”. A Gazeta, São Paulo, ano XLVIII, n. 14.590, 25 jan. 1954, p. 123.

NOBRE, Fernando. Os bandeirantes. Diario de S. Paulo, São Paulo, ano XXVI, n. 7.647, 25 jan. 1954, caderno 7, p. 1.

SCHADEN, Egon. Os primitivos habitantes do território paulista. O Estado de S. Paulo, São Paulo, ano LXXV, n. 24.145, 25 jan. 1954, p. 6-9.

SILVEIRA, Luiz. A imprensa paulista. Diario de S. Paulo, São Paulo, ano XXVI, n. 7.647, 25 jan. 1954, caderno 2, p. 8-9.

TAUNAY, Affonso d’Escragnolle. João Ramalho e São Paulo. O Estado de S. Paulo, São Paulo, ano LXXV, n. 24.145, 25 jan. 1954, p. 10-15.

VIOTTI, Helio Abranches. A fundação de São Paulo pelos jesuítas. Diario de S. Paulo, São Paulo, ano XXVI, n. 7.647, 25 jan. 1954, caderno 1, p. 8-9.

Cartografias

Mapa dos confins do Brazil com as terras da Coroa da Espanha na América Meridional. [S.l.: s.n.], 1749. 1 mapa ms.: col.; 60 x 54cm. em f. 70 x 64. Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro.

Mappa Chorographico da Provincia de São Paulo. Paris: Alexis Orgiazzi, [1841]. 1 mapa, impr.: 100 x 72 cm. Arquivo Público do Estado de São Paulo.

Mappa da Provincia de São Paulo mandado organisar pela Sociedade Promotora de Imigração de S. Paulo. Rio de Janeiro: Lith. Paulo Robin & Cia, 1886. 1 mapa color.; 38 x 58 cm. Arquivo Público do Estado de São Paulo.

Mappa do Estado de S. Paulo indicando a posição das Colonias existentes e em projecto [1908]. O Immigrante, São Paulo, ano 1, n. 1, jan., 1908. Arquivo Público do Estado de São Paulo.

Downloads

Publicado

2021-06-14

Edição

Seção

Artigos