A filósofa, a História e a escrita biográfica: um diálogo com Hannah Arendt

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9141.rh.2023.212211

Palavras-chave:

Hannah Arendt, história, narrativa, biografia, memória

Resumo

No ano de 1957, Hannah Arendt publicou a obra Rahel Varnhagen, a vida de uma judia alemã na época do Romantismo. O livro foi quase todo redigido no início da década de 1930, e somente o prefácio data de sua publicação. A partir desse trabalho, o presente artigo procurará fazer uma análise do contributo de Hannah Arendt para a narrativa biográfica, a tensão entre História e memória e a relação da História com a política.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francisco Carlos Palomanes Martinho, Universidade de São Paulo

Doutor em História Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, Professor Titular do Departamento de História da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, Brasil.

Referências

Referências bibliográficas

Fontes

ARENDT, Hannah. Rahel Varnhagen: a vida de uma judia alemã na época do romantismo. Trad. Antônio Trânsito; Gernot Kludasch. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 1994a [1957].

ARENDT, Hannah. Homens em tempos sombrios. Trad. Denise Bottmann. São Paulo: Companhia das Letras, 2008 [1968].

ARENDT, Hannah. Só permanece a língua materna. In: A dignidade da política. Org. Antônio Abranches.Trad. Frida Coelho. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1994b [1966].

ARENDT, Hannah. Responsabilidade e julgamento. Trad. Rosaura Eichenberg. São Paulo: Companhia das Letras, 2004 [1964-75].

ARENDT, Hannah. Eichmann em Jerusalém. Trad. José Rubens Siqueira. São Paulo: Companhia das Letras, 1999 [1963].

ARENDT, Hannah. A condição humana. Trad. Roberto Raposo. 10. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2007 [1958].

ARENDT, Hannah. As origens do totalitarismo. Trad. Roberto Raposo. São Paulo: Companhia das Letras, 1989 [1949].

ARENDT, Hannah. O Iluminismo e a questão judaica. In: Escritos judaicos. Org. Jerome Kohn e Ron H. Feldman. Trad. Laura Degaspare Monte Mascaro; Luciana Garcia de Oliveira; Thiago Dias da Silva. Bauru/SP: Amarilys, 2016a.

ARENDT, Hannah. Antissemitismo. In: Escritos judaicos. Org. Jerome Kohn e Ron H. Feldman. Trad. Laura Degaspare Monte Mascaro; Luciana Garcia de Oliveira; Thiago Dias da Silva. Bauru/SP: Amarilys, 2016b [1938-1939].

ARENDT, Hannah. Hannah Arendt. O judeu como pária. In: Escritos judaicos. Org. Jerome Kohn e Ron H. Feldman. Trad. Laura Degaspare Monte Mascaro; Luciana Garcia de Oliveira; Thiago Dias da Silva. Bauru/SP: Amarilys, 2016c [1940].

Sítio na Internet

Hanna Arendt. Filme de Margarette von Trotta, 2012 [1:23:00-1:25:10]. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=wwbH7HQ27gs&t=5206s. Acesso em: 13 fev. 2020.

Referências

ADLER, Laure. Nos passos de Hannah Arendt. Trad. Tatyana Salem Levy. Rio de Janeiro: Record, 2007.

ADVERSE, Helton. Arendt e a crítica ao romantismo na biografia de Rahel Varnhagen. Argumentos, Fortaleza, ano 1, n. 9, p. 79-96, jan./jun. 2013.

BERLIN, Isaiah. A revolução romântica: uma crise na história do pensamento moderno. In: O sentido da realidade: estudos das ideias e de sua história. Org. Henry Hardy. Trad. Renato Aguiar. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1999.

BLOCH, Marc. História comparada e a Europa. In: História e historiadores. Ed. Étienne Bloch. Trad. Telma Costa. Lisboa: Teorema, 1995.

BORGES, Vavy Pacheco. Grandezas e misérias da biografia. In: PINSKY, Carla Bassanezi (org.). Fontes históricas. São Paulo: Contexto, 2010.

BULLOCK, Allan. Hitler: a study in tyranny. London: Odhams Press, 1952.

CHARTIER, Roger. Verdade e prova: história e retórica, literatura e memória. Revista de História. São Paulo: Universidade de São Paulo, n° 181, a00821, p. 1-22, 2022.

CHARTIER, Roger. A história hoje: dúvidas, desafios, propostas. Estudos Históricos. Rio de Janeiro, n. 13, v. 7, p. 97-113, 1994.

COSTA, Vítor Hugo dos Reis. A insustentável leveza do si: a ipseidade entre a existência e a narrativa. Griot: Revista de Filosofia. Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, v. 21, n. 1, p. 94-113, 2021.

DEUSTSCHER, Isaac. Stalin: a political biography. New York; London: Oxford University Press, 1949.

DIEHEL, Astor Antonio. Cultura historiográfica: memória, identidade e representação. São Paulo: EDUSC, 2002.

DOSSE, François. O desafio biográfico: escrever uma vida. Trad. Gilson César Cardoso de Souza. São Paulo: EdUSP, 2009.

DUBY, Georges. A história continua. Rio de Janeiro: Zahar; Editora UFRJ, 1993.

DUBY, Georges. Guilherme Marechal ou o melhor cavaleiro do mundo. Rio de Janeiro: Graal, 1988.

ECCEL, Daiane. O Problema da formação nos escritos de juventude de Hannah Arendt: uma investigação sobre a Bildung. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 44, n. 2, p. 01-16, e84355, 2019.

FERRO, Marc. O ressentimento na História. Trad. André Telles. Rio de Janeiro: Agir, 2009.

GAINES, James R. Uma noite no Palácio da Razão. O encontro de Bach e Frederico, o Grande na era do Iluminismo. Rio de Janeiro: Record, 2007.

GONÇALVES, Daniele Gallindo; ALBUQUERQUE, Mauricio da Cunha. “Hail Arminus! O Pai dos Alemães!”: a construção mítica da Unificação Alemã entre 1808 e 1875. Topoi, Rio de Janeiro, v. 18, n. 35, p. 330-55, maio/ago. 2017.

GRATTENAUER, Karl Wilhelm Friedrich. Wider die Juden. London: Nabu Press, 2012 [1803].

HEGEL, Georg Wilhelm Friedrich. Filosofia do Direito. São Leopoldo: Ed. Unisinos, 2010.

HEGEL, Georg Wilhelm Friedrich. A Razão na História. São Paulo: Editora Moraes, 1999 [1807].

HOLMES, Richard. Sidetracks: explorations of a romantic biographer. New York: Pantheon Books, 2000.

HUME, David. Essays Moral, Political and Literary. Indianapolis/USA: Liberty Fund, 1985 [1741-1742].

KANT, Immanuel. Filosofia da história. Trad. Cláudio Rodrigues. São Paulo: Ícone, 2021 [1784].

KANT, Immanuel. Idée sur l’histoire universelle du point de vue cosmopolitique. Trad. Luc Ferry. Paris: Gallimard, 2009 [1784].

LEJEUNE, Phillipe. Le pacte autobiographique. Paris: Seul, 1975.

LEVI, Giovanni. Usos da biografia. In: AMADO, Janaina; FERREIRA, Marieta de Moraes (org.). Usos e abusos da história oral. 8. ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2008.

LEVILLAIN, Philippe. Os protagonistas: da biografia. In: RÉMOND, René. Por uma história política. Rio de Janeiro: Editora da UFRJ; Editora da FGV, 1996.

LEVY, Nelson. Desejo, o lugar da liberdade. São Paulo: Brasil Debates, 1991.

LORIGA, Sabina. O pequeno x: da biografia à história. Belo Horizonte: Autêntica, 2012.

LORIGA, Sabina. Ecriture biographique et écriture de l’histoire aux XIXe et XXe siècles. Les Cahiers du Centre de Recherches Historiques. En ligne, 45 | 1-22, 2010, mis en ligne le 14 mars 2012, consulté le 26 septembre 2021. En ligne, adresse: http://journals.openedition.org/ccrh/3554. Doi: 10.4000/ccrh.3554.

LORIGA, Sabina. L’histoire mode de vie: réfletions autour de Hannah Arendt et Siegfried Kracauer. In: BOUTON, Christophe et al. Penser l’histoire. Paris: Editions l’Éclat, 2011. En ligne, adresse: https://www.cairn.info/penser-l-histoire---page-209.htm. Acesso em: 17 fev. 2022.

LORIGA, Sabina. A biografia como problema. In: REVEL, Jacques (org.). Jogos de escala: a experiência da microanálise. Rio de Janeiro: Editora FGV, 1996.

MALERBA, Jurandir. O que narram os historiadores? Para uma genealogia da questão narrativa em história. Topoi, Rio de Janeiro, v. 17, n. 33, p. 399-418, jul./dez. 2016.

MEZAN, Renato. Psicanálise e judaísmo: ressonâncias. Campinas: Escuta, 1986.

MONTAIGNE. Os ensaios: uma seleção. Trad. Rosa Freire de Aguiar. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

NEVES, Guilherme Pereira das. Elétrons não são intrinsecamente interessantes como gente. In: MARTINHO, Francisco Carlos Palomanes; SOARES, Luiz Carlos; BESSONE, Tânia (org.). X ENCONTRO REGIONAL DE HISTÓRIA. ANPUH-RJ. História e Biografia. Anais... Rio de Janeiro, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, 2002.

OLIVEIRA, Maria da Glória de. Para além de uma ilusão: indivíduo, tempo e narrativa biográfica. In: AVELAR, Alexandre; SCHMIDT, Benito Bisso (org.). O que pode a biografia. São Paulo: Letra e Voz, 2018.

OLIVEIRA, Maria da Glória de. Quem tem medo da ilusão biográfica? Topoi, Rio de Janeiro, v. 18, n. 35, p. 429-46, 2017.

ORTEGA Y GASSET, José. Pidiendo un Goethe desde dentro. Carta a un Alemán (1932). In: Trìptico. Mirabeau, el político Kant, Goethe. Buenos Aires: Espasa-Calpe, 1940.

PERROT, Michelle. As mulheres, o poder, a história. In: Os excluídos da história: operários, mulheres, prisioneiros. Seleção de Textos. Stella Bresciani. Trad. Denise Bottmann. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988.

PINTO, Júlio Pimentel. Do fingimento à imaginação moral: diálogos entre história e literatura. Tempo, Niterói, v. 26, n. 1, p. 25-42, jan./abr. 2020.

POLLAK, Michael. Memória e identidade social. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 5, n. 10, p. 200-212, 1992.

REIS, José Carlos. O conceito de tempo histórico em Ricoeur, Koselleck e Annales: uma articulação possível. Síntese Nova Fase, v. 23, n. 73, p. 229-252, 1996.

RICOEUR, Paul. O si mesmo como outro. Tradução Ivone C. Benedetti. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2014.

RICOEUR, Paul. Tempo e Narrativa. 1. A intriga e a narrativa histórica. Tradução Márcia Valéria Martinez de Aguiar. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2010a.

RICOEUR, Paul. Tempo e Narrativa. 3. O tempo narrado. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2010b.

ROLLEMBERG, Denise. Valquírias: memórias da resistência alemã ao nazismo. Niterói: EDUFF; FAPERJ, 2021.

ROLLEMBERG, Denise; QUADRAT, Samantha (org.). A construção social dos regimes autoritários: legitimidade, consenso e consentimento no século XX. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2010. Europa, v. 1; Brasil e América Latina, v. 2; África e Ásia, v. 3.

ROLLEMBERG, Denise; CORDEIRO, Janaína (org.). Por uma revisão crítica: ditadura e sociedade no Brasil. Salvador: Sagga, 2021.

ROTH, Phillip. Operação Shylock. Lisboa: Dom Quixote, 2019.

ROUDINESCO, Elisabeth. Retorno à questão judaica. Rio de Janeiro: Zahar, 2010.

ROUSSO, Henry. Vichy, le grand fossé. Vingtieme Siècle, Revue d’histoire, n. 5, p. 55-80, 1985.

SARTRE, Jean-Paul. O ser e o nada: ensaio de ontologia fenomenológica. 16. ed. Trad. Paulo Perdigão. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2008 [1943].

SCHITTINO, Renata. A escrita histórica e os ensaios biográficos em Hannah Arendt. História da historiografia, Ouro Preto, n. 9, p. 38-56, 2012.

SHAKESPEARE, William. O mercador de Veneza. Almada: Água Forte, 2002 [1594].

SPITZER, Leo. Vidas de entremeio: assimilação e marginalização na Áustria, no Brasil e a África Ocidental (1780-1945). Trad. Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Editora da UERJ, 2001.

STONE, Lawrence. O ressurgimento da narrativa: reflexões sobre uma nova velha história. Revista de História, Campinas/SP, p. 13-46, 1991.

YOUNG-BRUEHL, Elizabeth. Hannah Arendt: por el amor del mundo. Valencia: Ediciones Alfons el Magnànim, 1993 [1982].

ZWEIG, Stefan. O mundo de ontem: recordações de um europeu. Lisboa: Assírio & Alvim, 2014 [1942].

Downloads

Publicado

2024-01-22

Como Citar

MARTINHO, F. C. P. A filósofa, a História e a escrita biográfica: um diálogo com Hannah Arendt. Revista de História, [S. l.], n. 182, p. 1-23, 2024. DOI: 10.11606/issn.2316-9141.rh.2023.212211. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/revhistoria/article/view/212211. Acesso em: 22 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Dados de financiamento

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)