A questão colonial durante a conjuntura crítica do mundo Luso-Brasileiro no início do século XVIII

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9141.rh.2024.213395

Palavras-chave:

Brasil Colonial, Sistema Colonial, Administração Colonial, exclusivo metropolitano, economia colonial

Resumo

O início do século XVIII é marcado por tensões e ameaças internas e externas para Portugal, tanto na metrópole como nas áreas coloniais, momento da chamada conjuntura crítica do mundo luso-brasileiro. Nesse contexto se desenvolveram reflexões a respeito das dinâmicas do império e das propostas de enfrentamento das dificuldades, resultando em uma série de debates. O presente artigo busca acompanhar as propostas e as discussões da época, de modo a identificar as ideias presentes e a reflexão sobre a questão colonial produzidas por agentes da administração régia dos dois lados do oceano Atlântico e ainda por agentes mercantis, que, partindo da ideia de que a crescente riqueza do Brasil poderia trazer riscos aos interesses do Reino, desenvolveram a compreensão de que tais riquezas deveriam ser revertidas em favor de Portugal e em benefício dos vassalos do Reino.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Rodrigo Ricupero, Universidade de São Paulo

    Professor do Departamento de História da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo – FFLCH/USP.

Referências

Fontes inéditas

AHU – Arquivo Histórico Ultramarino

Administração Central, Conselho Ultramarino, Livros do Brasil, Cód. 1193.

Documentos referentes à Bahia (AHU-BA), Projeto Resgate, Cx. 10, Doc. 797.

Documentos referentes a Minas Gerais (AHU-MG), Projeto Resgate, Cx. 1, Docs. 13 e 14.

ANTT – Arquivo Nacional da Torre do Tombo, Lisboa

Registro Geral de Mercês, D. João V, Livro 1.

Manuscritos do Brasil, v. 43.

Ministério dos Negócios Estrangeiros, Livro 795.

Manuscritos da Livraria, 1146.

BA – Biblioteca da Ajuda, Lisboa

Códice 51 – VI – 34.

BNP – Biblioteca Nacional de Portugal, Lisboa

Coleção Pombalina, 526, 638 – Miscelânea.

Códice 1608 – Cartas de D. Luís da Cunha (1716-1718).

Códice 9860.

Fontes

Anais da Biblioteca Nacional. Rio de Janeiro: Biblioteca Nacional, 1908. v. 30.

ANÔNIMO. Relação do levante que houve em Pernambuco e do que nele sucedeu depois de um tiro que deram ao governador Sebastião Castro e Caldas [Publicada com uma breve introdução por M. Lopes de Almeida]. Brasília, v. VI, Coimbra, IEB-FLUC, p. 283-329, 1951 [1710].

ANTONIL, André João; SILVA, Andrée Mansuy-Diniz (ed.). Cultura e opulência do Brasil por suas drogas e minas. Com introdução e comentários de Andrée Mansuy Diniz Silva. Lisboa: CNCDP, 2001 [1711].

BIKER, Julio Firmino Judice. Supplemento á collecção dos tratados, convenções, contratos e actos publicos celebrados entre a corôa de Portugal e as mais potencias desde 1640 até o presente... Lisboa: Imprensa Nacional, 1872-80. 22 v.

BORGES DE CASTRO, José Ferreira. Collecção dos tratados, convenções, contratos e actos publicos celebrados entre a Coroa de Portugal e as mais potencias desde 1640 até o presente... Lisboa: Imprensa Nacional, 1856-8. 8 v.

COSTA, Antonio Rodrigues da. Embaixada que fez o excelentíssimo Senhor Conde de Villar-Maior… Lisboa: Miguel Manescal, 1694.

CUNHA, Luís da; SILVA, Abílio Diniz (ed.). Instruções políticas. Lisboa: Comissão Nacional para as Comemorações dos Descobrimentos Portugueses, 2001 [Séc. XVIII].

DAMPIER, William. A voyage to new Holland, &c. in the year, 1699... Stroud: Nonsuch, 2006 [1703].

Documentos Históricos. Rio de Janeiro: Biblioteca Nacional, v. 11 (1929), v. 39 (1938), v. 40 (1938), v. 41 (1938), v. 42 (1938), v. 43 (1939), v. 44 (1939), v. 45 (1939), v. 54 (1941), v. 55 (1942), v. 70 (1945), v. 71 (1946), v. 84 (1949), v. 85 (1949), v. 86 (1949), v. 93 (1951), v. 95 (1952), v. 96 (1952), v. 97 (1952), v. 98 (1952).

LISBOA, José da Silva. Memória dos benefícios políticos do governo de El-Rey Nosso Senhor D. João VI. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 1940 [1818].

MACEDO, Duarte Ribeiro de; CAMINHA, Antonio Lourenço (ed.). Obras inéditas de Duarte Ribeiro de Macedo... Lisboa: Impressão Regia, 1817.

MACHADO, Diôgo Barbosa. Bibliotheca lusitana. Coimbra: Atlândida, 1965 [1741]. v. I.

PEREIRA, Nuno Marques. Compêndio narrativo do Peregrino da América. 6. ed. completa com a 2ª parte inédita. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Letras, 1939 [1728]. v. 1.

PITA, Sebastião da Rocha Pita. História da América Portuguesa. Belo Horizonte: Itatiaia, 1976 [1730].

RAU, Virginia; SILVA, Maria Fernanda Gomes da. Os manuscritos do arquivo da Casa de Cadaval respeitantes ao Brasil. Coimbra: Universidade de Coimbra, 1958. 2 v.

Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro. Rio de Janeiro: IHGB, t. VII (1931[1845]), t. XXX (1867).

SANTOS, Manuel dos Santos. Calamidades de Pernambuco [1712 e versão definitiva 1749]. Recife: Governo de Pernambuco, 1986 [1712-49].

SÉRGIO, António et al. (ed.). Antologia dos economistas portugueses (século XVII). Lisboa: Sá da Costa, 1974.

Bibliografia

ALBAREDA I SALDÓ, Joaquim. La guerra de sucesión de España: (1700-1714). Barcelona: Crítica, 2014.

BOXER, Charles. Brazilian gold and british traders in the first half of the eighteenth century. The Hispanic American Review, v. 49, n. 3, 1969, p. 454-472. Disponível em: https://www.jstor.org/stable/2511780?origin=crossref&seq=1. Acesso em: 16 maio 2022. Doi: https://doi.org/10.2307/2511780.

CAETANO, Marcelo. O Conselho Ultramarino, esboço de sua história. Rio de Janeiro, Sá Cavalcante, 1969 [1967].

CARDOSO, José Luis Cardoso et al. O Tratado de Methuen: diplomacia, guerra, política e economia. Lisboa: Livros Horizonte, 2003

CARDOSO, José Luís. Pensar a economia em Portugal: digressões históricas. Lisboa: Difel, 1997.

CAVALCANTE, Paulo. Negócios de trapaça: caminhos e descaminhos na América Portuguesa (1700-1750). São Paulo: Hucitec, 2006.

COELHO, Rafael da Silva. Moeda no Brasil no final do século XVII. Dissertação de Mestrado, História Econômica, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, 2013. Disponível em: https://teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8137/tde-26052014-120428/pt-br.php. Acesso em: 16 maio 2022. Doi:10.11606/D.8.2014.tde-26052014-120428.

CORTESÃO, Jaime. Alexandre de Gusmão e o Tratado de Madrid. Rio de Janeiro: Instituto Rio Branco, 1952. 9 v.

COSTA, Leonor Freire. Relações económicas com o exterior. In: LAINS, Pedro; SILVA, Álvaro Ferreira da (org.). História Económica de Portugal, 1700-2000. 3. ed. Lisboa: ICS, 2010 [2005]. v. I (O século XVIII).

CRUZ, Miguel Dantas da. Um império de conflitos: o Conselho Ultramarino e a defesa do Brasil. Lisboa: ICS, 2015.

DELGADO, Josep Maria. El impacto de Utrecht en la organización del comercio colonial español (1713-1739). In: ALBAREDA, Joaquim (ed.). El declive de la monarquia y del imperio español – los tratados de Utrecht (1713-1714). Barcelona: Crítica, 2015.

FIGUEIREDO, Luciano. O Império em apuros: notas para o estudo das alterações ultramarinas e das práticas políticas no império colonial português, séculos XVII e XVIII. In: FURTADO, Júnia (org.). Diálogos oceânicos: Minas Gerais e as novas abordagens para uma história do império ultramarino português. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2001, p. 197-254.

FISCHER, Harold Edward Stephen. De Methuen a Pombal: o comércio anglo-português de 1700 a 1770. Lisboa: Gradiva, 1984.

FRANÇA, Jean Marcel. A construção do Brasil na literatura de viagem dos séculos XVI, XVII e XVIII: antologia de textos, 1591-1808. Rio de Janeiro: José Olympio; São Paulo: Unesp, 2012.

GIULI, Matteo. L’opulenza del Brasile coloniale. Roma: Carocci Editore, 2021.

GUIMARÃES, Carlos Gabriel. Os ingleses no Rio de Janeiro na primeira metade do século XVIII: o caso da família Gulston, c. 1710 – c.1720 – primeiras impressões. In: MATHIAS, Carlos Leonardo Kelmer et al. Ramificações ultramarinas: sociedades comerciais no âmbito do Atlântico luso, século XVIII. Rio de Janeiro: Mauad, 2017, p. 93-114.

HANSON, Carl. Economia e sociedade no Portugal barroco, 1668-1703. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1986.

HECKSCHER, Eli. La época mercantilista. México: Fondo de Cultura Económica, 1943.

LISBOA, Breno. Todo o cuidado e vigilância com um dos principais domínios de Vossa Majestade. In: LISBOA, Breno et al. Essa parte tão nobre do corpo da monarquia: poderes, negócios e sociabilidades em Pernambuco colonial (séculos XVI-XVIII). Recife: UFPE, 2016, p. 265-287.

LOPES, Gustavo Acioli. A fênix e o Atlântico: a capitania de Pernambuco e a economia-mundo europeia (1654-1750). São Paulo: Alameda, 2018.

MAGALHÃES, José Calvet de. História do pensamento económico em Portugal, da Idade-Média ao mercantilismo. Coimbra: Coimbra Editora, 1967.

MELLO, Evaldo Cabral de. A fronda dos mazombos: nobres contra mascates, Pernambuco, 1666-1715. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

MELLO, Evaldo Cabral de. O Negócio do Brasil: Portugal, os Países Baixos e o Nordeste, 1641-1669. Rio de Janeiro: Topbooks, 1998.

MELLO, Evaldo Cabral de. Rubro veio: o imaginário da restauração pernambucana. 2. ed. Rio de Janeiro: Topbooks, 1997.

MELLO, Evaldo Cabral de. Um imenso Portugal: história e historiografia. São Paulo, SP Brasil: Editora 34, 2002.

MENDONÇA, Marcos Carneiro de Mendonça. O Marquês de Pombal e o Brasil. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1960.

MONTEIRO, Rodrigo Bentes. O Doce perdão. In: MONTEIRO, Rodrigo Bentes. O rei no espelho: a monarquia portuguesa e a colonizac̜ão da América, 1640-1720. São Paulo: Editora Hucitec, 2002, p. 231-277.

NOVAIS, Fernando. Portugal e Brasil na crise do antigo sistema colonial (1777-1808). 6. ed. São Paulo: Hucitec, 1995 [1979].

OLIVEIRA JUNIOR, Paulo Cavalcante de. Negócios de trapaça: caminhos e descaminhos na América portuguesa (1700-1750). São Paulo: Hucitec, 2006.

PIJNING, Ernst. Controlling contraband: mentality, economy and society in eighteenth-century Rio de Janeiro. Tese de Doutorado, História, Baltimore: Johns Hopkins University, 1997.

PIJNING, Ernst. Passive resistance: portuguese diplomacy of contraband trade during king John V’s reign, 1706-1750. Arquipélago (História), Ponta Delgada, 2ª série, v. 2, 1997, p. 171-191. Disponível em: https://repositorio.uac.pt/bitstream/10400.3/468/1/ErnestPijning_p171-191.pdf. Acesso em: 16 maio 2022.

PINCUS, Steve. Rethinking mercantilism: political economy, the British Empire, and the Atlantic world in the seventeenth and eighteenth centuries. The William and Mary Quarterly, v. 69, n. 1, p. 3-34, Jan. 2012.

PINTO, Virgílio Noya. O ouro brasileiro e o comércio anglo-português: uma contribuição aos estudos da economia atlântica no século XVIII. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1979.

RICUPERO, Rodrigo. O Exclusivo metropolitano no Brasil e os tratados diplomáticos de Portugal com a Inglaterra (1642-1661). Revista de História, n. 176, p. 01-33, 2017. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/revhistoria/article/view/117515. Acesso em: 16 maio 2022. Doi: 10.11606/issn.2316-9141.rh.2017.117515.

ROMEIRO, Adriana. Paulistas e emboabas no coração das minas. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2008.

ROMEIRO, Adriana. Um visionário na corte de D. João V: revolta e milenarismo nas Minas Gerais. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2001.

SCHWARTZ, Stuart. A formação de uma identidade colonial no Brasil. In: Da América Portuguesa ao Brasil. Lisboa: Difel, 2003.

SHAW, Leslie. M. E. The anglo-portuguese alliance and the english merchants in Portugal, 1654-1810. Aldershot: Ashgate, 1998.

SIDERI, Sandro. Comércio e poder: colonialismo informal nas relações anglo-portuguesas. Lisboa: Cosmos, 1978.

SILVA, António Moraes e. Diccionário da Lingua Portugueza. 3. ed. Lisboa: Lacerda, 1823. 2 v.

SILVA, Maria Julia de Oliveira. Fidalgos-mercadores no século XVIII: Duarte Sodré Pereira. Lisboa: INCM, 1992.

SOUZA, Laura de Mello e. A conjuntura crítica no mundo luso-brasileiro de inícios do século XVIII. In: O sol e a sombra: política e administração na América portuguesa do século XVIII. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

SOUZA, Laura de Mello e. Desclassificados do ouro: a pobreza mineira no século XVIII. 2. ed. São Paulo: Graal, 1986 [1982].

VERGER, Pierre. Fluxo e refluxo do tráfico de escravos entre o Golfo de Benin e a Bahia de Todos os Santos. Salvador: Corrupio, 1987.

Downloads

Publicado

2024-04-09

Edição

Seção

Artigos

Como Citar

RICUPERO, Rodrigo. A questão colonial durante a conjuntura crítica do mundo Luso-Brasileiro no início do século XVIII. Revista de História, São Paulo, n. 183, p. 1–29, 2024. DOI: 10.11606/issn.2316-9141.rh.2024.213395. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/revhistoria/article/view/213395.. Acesso em: 20 maio. 2024.