Governadores e índios, guerras e terras entre o Maranhão e o Piauí (primeira metade do século XVIII)

Autores

  • Rafael Chambouleyron Universidade Federal do Pará
  • Vanice Siqueira de Melo Universidade Federal do Pará

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9141.v0i168p167-200

Palavras-chave:

Capitania do Maranhão, capitania do Piauí, século XVIII, índios, guerras, gado

Resumo

Este artigo examina o processo de expansão portuguesa pelos sertões orientais da capitania do Maranhão e pela capitania do Piauí nas primeiras décadas do século XVIII, procurando explicar as conexões entre as guerras contra os índios daquela região, a expansão do gado e os interesses principalmente dos governadores do Estado do Maranhão e Pará.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Fontes impressas

Anais da Biblioteca Nacional. Rio de Janeiro: Biblioteca Nacional, vol. 67, 1948.

ARANHA, Manuel Guedes. Papel político sobre o Estado do Maranhão. Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro. Rio de Janeiro: IHGB, tomo 46, 1883 [c. 1682], 1ª parte, p. 1-60.

BERREDO, Bernardo Pereira de. Annaes historicos do Estado do Maranhaõ. Lisboa: Na Officina de Francisco Luiz Ameno, 1749.

BETTENDORFF, João Felipe, SJ. Crônica da missão dos padres da Companhia de Jesus no Maranhão. Belém: Secult, 1990 [1698].

Dezcripção do certão do Peauhy Remetida ao Illm.o e Rm.o S.or Frei Francisco de Lima Bispo de Pernam.co. 2 de março de 1697. In: ENNES, Ernesto. As guerras nos Palmares. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1938, p. 370-89.

Diário da viagem de regresso para o reino de João da Maia da Gama e de inspeção das barras dos rios do Maranhão e das capitanias do norte, em 1728. In: MARTINS, Francisco de Assis Oliveira. Um herói esquecido (João da Maia da Gama). Lisboa: Agência Geral das Colónias, vol. II, 1944.

HERIARTE, Maurício de. Descrição do Estado do Maranhão, Pará, Corupá e rio das Amazonas. In: VARNHAGEN, Francisco Adolfo de. História geral do Brasil. 8ª edição. São Paulo: Melhoramentos, 1975, tomo 3, p. 170-190.

SILVEIRA, Simão Estácio da. Relaçaõ Sumaria das cousas do Maranhão. Escripta pello Capitão Symão Estacio da Sylveira. Dirigida aos pobres deste Reyno de Portugal. ABN. Rio de Janeiro: Biblioteca Nacional, vol. 94, 1974 [1624], p. 95-122.

Termo da eleição q.e fizerão os moradores do certão do Piauhi, do lugar, p.a se fazer a Ig.ja de Nossa Senhora da Victoria. 11 de fevereiro de 1697. In: ENNES, Ernesto. As guerras nos Palmares. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1938, p. 364-65.

Arquivo Público do Estado do Maranhão (Apem). Livro de correspondência (1696-1798). São Luís.

Arquivo Público do Estado do Pará (Apep). Sesmarias, livros 2 a 6. Belém.

Arquivo Histórico Ultramarino (AHU). Lisboa (Projeto Resgate). Pará, documentos 356, 519, 1284. Maranhão, documentos 463, 912, 977, 1198, 1199, 1238, 1252, 1296, 1349, 1350, 1525, 1870. Piauí, documentos 13, 14, 62, 78, 80; códices 209, 270, 274.

Biblioteca da Ajuda. Lisboa. Códices 50-V-34 e 50-V-37.

Arquivo Nacional da Torre do Tombo (ANTT). Lisboa, Chancelaria de Dom João V, livros 43, 45, 48, 60, 61, 75, 82, 129.

Registro Geral de Mercês, Dom João V, livro 15.

Bibliografia

ABREU, João Capistrano de. Capítulos de história colonial. Brasília: Conselho Editorial do Senado Federal, 1998.

ALBUQUERQUE, Manuel Coelho. Seara indígena. Deslocamentos e dimensões identitárias. Dissertação de mestrado, História, Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Federal do Ceará, 2002.

ALENCASTRE, José Martins Pereira de. Memória cronológica, histórica e corográfica da província do Piauí. Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro. Rio de Janeiro: IHGB, tomo 20, [1857], p. 5-164.

ALENCASTRO, Luiz Felipe de. O trato dos viventes. Formação do Brasil no Atlântico sul. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

ALVEAL, Carmen e SILVA, Thyego Franklin. Na ribeira da discórdia: povoamento, políticas de defesa e conflitos na capitania do Rio Grande (1680-1710). In: POSSAMAI, Paulo (org.). Conquistar e defender: Portugal, Países Baixos e Brasil. Estudos de história militar na Idade Moderna. São Leopoldo: Oikos, 2012, p. 235-49.

BORGES, Jóina Freitas. Os senhores das dunas e os adventícios d’além-mar: primeiros contatos, tentativas de colonização e autonomia Tremembé na costa leste-oeste (séculos XVI e XVII). Tese de doutorado, História, Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Federal Fluminense, 2010.

BRANDÃO, Tanya Maria Pires. A elite colonial piauiense: família e poder. Teresina: Fundação Cultural Monsenhor Chaves, 1995.

CABRAL, Maria do Socorro Coelho. Caminhos do gado: conquista e ocupação do sul do Maranhão. São Luís, Sioge, 1992.

CARDOSO, Alírio Carvalho. Maranhão na Monarquia hispânica: intercâmbios, guerra e navegação nas fronteiras das Índias de Castela (1580-1655). Tese de doutorado, História, Facultad de Geografía e Historia, Universidad de Salamanca, 2012.

CARVALHO JÚNIOR, Roberto Zahluth de. Espíritos inquietos e orgulhosos. Os frades capuchos na Amazônia joanina (1706-1751). Dissertação de mestrado, História, Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Federal do Pará, 2009.

CHAMBOULEYRON, Rafael. Povoamento, ocupação e agricultura na Amazônia colonial (1640-1706). Belém: Açaí/PPHIST/CMA, 2010.

CHAMBOULEYRON, Rafael, BARBOSA, Benedito Costa, BOMBARDI, Fernanda Aires e SOUSA, Claudia Rocha de. “Formidável contágio”. Epidemias, trabalho e recrutamento na Amazônia colonial (1660-1750). História, Ciências, Saúde – Manguinhos. Rio de Janeiro: Casa Oswaldo Cruz, vol. 18, n. 4, 2011, p. 987-1004.

CHAMBOULEYRON, Rafael e MELO, Vanice Siqueira de. Índios, engenhos e currais na fronteira oriental do Estado do Maranhão e Pará (século XVII). In: MOTTA, Márcia, SERRÃO, José Vicente e MACHADO, Marina (orgs.). Em terras lusas: conflitos e fronteiras no Império português. Guarapuava/Niterói: Unicentro/EdUFF, 2012, p. 236-64.

COELHO, Mauro Cezar. Do sertão para o mar. Um estudo sobre a experiência portuguesa na América, a partir da colônia: o caso do Diretório dos Índios (1751-1798). Tese de doutorado, História, Programa de Pós-Graduação em História, Universidade de São Paulo, 2005.

COSTA, Francisco Augusto Pereira da. Cronologia histórica do Estado do Piauí. 2ª edição. Rio de Janeiro: Editora Artenova, [1909] 1974.

DIAS, Camila Loureiro. Civilidade, cultura e comércio: os princípios fundamentais da política indigenista na Amazônia (1614-1757). Dissertação de mestrado, História, Programa de Pós-Graduação em História, Universidade de São Paulo, 2009.

DIAS, Joel Santos. Os “verdadeiros conservadores” do Estado do Maranhão: poder local, redes de clientela e cultura política na Amazônia colonial (primeira metade do século XVIII). Dissertação de mestrado, História, Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Federal do Pará, 2008.

DOMINGUES, Ângela. Quando os índios eram vassalos. Colonização e relações de poder no norte do Brasil na segunda metade do século XVIII. Lisboa: CNCDP, 2000.

FEIO, David Salomão Silva. As câmaras municipais: administração, elites e exercício do poder local na Amazônia colonial (1707-1722). Monografia de graduação, História, Faculdade de História, Universidade Federal do Pará, 2007.

GALINDO, Marcos. Governo das almas: A expansão colonial no país dos tapuia. 1651-1798. Tese de doutorado, História, Universiteit Leiden, 2004.

GOULART, José Alípio. O Brasil do boi e do couro. Rio de Janeiro: Edições GDR, 1965, vol. 1.

GUZMÁN, Décio de Alencar. A colonização nas Amazônias: guerras, comércio e escravidão nos séculos XVII e XVIII. Revista Estudos Amazônicos. Belém: Universidade Federal do Pará, vol. III, nº 2, 2008, p. 103-39.

HEMMING, John. Red gold: the conquest of the Brazilian Indians. Londres: Papermac, 1995.

JESUS, Mirian Silva de. Abrindo espaços: os “paulistas” na formação da capitania do Rio Grande. Dissertação de mestrado, História, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, 2007.

LIMA, Carlos de. História do Maranhão. 2ª edição revista e ampliada. São Luís: Instituto Geia, 2006.

LIMA SOBRINHO, Barbosa. O devassamento do Piauí. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1946.

MACHADO, Marina Monteiro. Entre fronteiras: posses e terras indígenas nos sertões (Rio de Janeiro, 1790-1824). Rio de Janeiro/Guarapuava: EdUFF/Unicentro, 2012.

MAIA, Lígio José de Oliveira. Serras de Ibiapaba. De aldeia a vila de índios: vassalagem e identidade no Ceará colonial – século XVIII. Tese de doutorado, História, Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Federal Fluminense, 2010.

MALDI, Denise. De confederados a bárbaros: a representação da territorialidade e da fronteira indígenas nos séculos XVIII e XIX. Revista de Antropologia. São Paulo: FFLCH/USP, vol. 40, nº 2, 1997, p. 183-221.

MARQUES, Cezar Augusto. Diccionario historico-geographico da provincia do Maranhão. Maranhão: Typ. do Frias, 1870.

MEIRELES, Mário M. História do Maranhão. São Paulo: Siciliano, 2001.

MELLO, Marcia Eliane Alves de Souza e. Fé e império: as Juntas das Missões na conquista portuguesa. Manaus: EdUFAM, 2009.

MELO, Vanice Siqueira de. Os “senhores absolutos de toda a costa” foram aldeados: o estabelecimento da aldeia dos Tremembé e o conflito com os curraleiros (séculos XVII-XVIII). ENCONTRO INTERNACIONAL DE HISTÓRIA COLONIAL, 3º, 2010, Recife. Anais. Recife: UFPE, 2011, p. 759-65.

MOTA, Antonia da Silva. As famílias principais: redes de poder no Maranhão colonial. São Luís: EdUFMA, 2012.

MOTT, Luiz. Piauí colonial. População, economia e sociedade. Teresina: Projeto Petrônio Portella, 1985.

MUNIZ, João de Palma. Sesmarias cearenses. Revista Trimensal do Instituto do Ceará. Fortaleza: Instituto do Ceará, tomo XXXII, 1918, p. 3-6.

NEVES, Erivaldo Fagundes. Posseiros, rendeiros e proprietários: estrutura fundiária e dinâmica agromercantil no alto sertão da Bahia (1750-1850). Tese de doutorado, História, Universidade Federal de Pernambuco, 2003.

NUNES, Odilon. Pesquisas para história do Piauí. Teresina: Imprensa Oficial, 1966, vol. I.

PERRONE-MOISÉS, Beatriz. Índios livres e índios escravos. Os princípios da legislação indigenista colonial (séculos XVI a XVIII). In: CUNHA, Manuela Carneiro da (org.). História dos índios no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1992, p. 115-32.

PINHEIRO, Francisco José. Mundos em confronto: povos nativos e europeus na disputa pelo território. SOUSA, Simone de (org.). Uma nova história do Ceará. 2ª edição. Fortaleza: Edições Demócrito Rocha, 2002, p. 17-55.

POMPA, Cristina. Religião como tradução: missionários, Tupi e “Tapuia” no Brasil colonial. Bauru: EdUSC, 2003.

PUNTONI, Pedro. A arte da guerra no Brasil. Tecnologia e estratégia militar na expansão da fronteira da América portuguesa, 1550-1700. Novos Estudos Cebrap. São Paulo: Cebrap, n. 53, 1999, p. 189-204.

PUNTONI, Pedro. A guerra dos bárbaros. Povos indígenas e a colonização do sertão nordeste do Brasil, 1650-1720. São Paulo: Hucitec/EdUSP, 2002.

REIS, Arthur Cezar Ferreira. Prestação de contas de um governante colonial do antigo Estado do Maranhão e Grão-Pará. Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro. Rio de Janeiro: IHGB, n. 345, 1984, p. 85-99.

SANTOS, Fabiano Vilaça dos. Feitos de armas e efeitos de recompensa: perfil do sertanista Fernão Carrilho. Klepsidra, n. 19, 2004. Disponível em http:// .klepsidra.net/klepsidra19/fernaocarrilho.htm. Acesso em 2/03/2011.

SANTOS, Fabiano Vilaça dos. A reação dos “cidadãos” do Estado do Maranhão aos “maus procedimentos” do governador João da Maia da Gama. REUNIÃO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE PESQUISA HISTÓRICA, XXIV, 2004, Curitiba. Anais. Curitiba: SBPH, 2004, p. 149-55.

SANTOS, Fabiano Vilaça dos. Pedras do ofício: Alexandre de Sousa Freire e os jesuítas no Estado do Maranhão (1728-1732). REUNIÃO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE PESQUISA HISTÓRICA, XXV, Rio de Janeiro, 2005. Anais. Rio de Janeiro: SBPH, 2005, p. 275-82.

SILVA, Francisco Carlos Teixeira da. Pecuária, agricultura de alimentos e recursos naturais no Brasil-colônia. In: SZMRECSÁNYI, Tamás (org.). História econômica do período colonial. 2ª edição revista. São Paulo: Hucitec/ABPHE/EdUSP/Ioesp, 2002, p. 123-59.

SILVA, Kalina Vanderlei. Nas solidões vastas e assustadoras: a conquista do sertão de Pernambuco pelas vilas açucareiras nos séculos XVII e XVIII. Recife: Cepe, 2010.

SILVA, Rafael Ricarte da. Formação da elite colonial dos sertões de Mombaça: terra, família e poder (século XVIII). Dissertação de mestrado, História, Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Federal do Ceará, 2010.

SOUSA, Claudia Rocha de. O “lastimoso castigo e fatal estrago” das epidemias no Estado do Maranhão e Grão-Pará na primeira metade do século XVIII. Monografia de graduação, História, Faculdade de História, Universidade Federal do Pará, 2011.

VIEIRA JR., Antonio Otaviano. Entre paredes e bacamartes: história da família no sertão (1780-1850). Fortaleza/São Paulo: Demócrito Rocha/Hucitec, 2004.

Downloads

Publicado

2013-06-30