A renovação da História: História dos Sentimentos

Autores

  • Sônia A. Siqueira Departamento de História - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas - Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9141.rh.1976.77818

Palavras-chave:

História dos Sentimentos, Metodologia, Crise da história

Resumo

(parágrafo do artigo)

Quinze anos passados já sobre as palavras de Braudel cuja sensibilidade acusava a tendência ao arquivamento da História. A morte da História, apontada por Lefebvre, seguir-se—ia à morte de Deus (Nietzsche), à morte do homem (Marx), à morte das ideologias, substituídas pela cientificidade tecnocrática. A História ter-se-ia obscurecido, deixando de ser o centro das preocupações, o nó dos conhecimentos na época atual — a pós-História — onde ainda permanecem sensíveis os sintomas do trans-histórico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

1976-12-30

Edição

Seção

Metodologia