O primeiro sacramento - batismos de escravos em Iguape (1811-1850)

Autores

  • Agnaldo Valentin Universidade de São Paulo
  • José Flávio Motta Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9141.rh.2014.89010

Palavras-chave:

Batismos de escravos, orizicultura em Iguape, economia e demografia da escravidão

Resumo

Com base em registros de batismo de crianças escravas e nas listas nominativas de habitantes, estudamos diversas características desse primeiro sacramento católico. A partir do cruzamento nominativo dessas fontes, nossa atenção está nos batismos, nos infantes batizados, em seus pais, padrinhos e proprietários, tomados sobre o pano de fundo do dinamismo da rizicultura em Iguape, São Paulo, no Vale do Ribeira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Agnaldo Valentin, Universidade de São Paulo

O autor é doutor em História pelo Departamento de História da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade e professor doutor da Escola de Artes, Ciências e Humanidades.

José Flávio Motta, Universidade de São Paulo

O autor é doutor em Economia, professor associado-3 e livre-docente da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, no Departamento de Economia.

Referências

BACELLAR, Carlos de Almeida Prado. Os compadres e as comadres de escravos: um balanço da produção historiográfica brasileira. In: XXVI SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA - ANPUH. Anais. São Paulo, 2011. Disponível em: <http://www.snh2011.anpuh.org/resources/anais/14/1307925540_ARQUIVO_Oscompadreseascomadresdeescravos.pdf>. Acesso em: 07/02/2013.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Manual dos comitês de mortalidade materna. 3ª ed. Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2007.

CARNEIRO, Marina Braga; CHAGAS, Paula Roberta; NADALIN, Sergio Odilon. Nascer e garantir-se no reino de Deus; Curitiba, séculos XVIII e XIX. Revista Brasileira de Estudos Populacionais, v. 27, n. 2, jul./dez. 2010, p. 361-384.

CARVALHO, Marcus Joaquim Maciel de. A repressão do tráfico atlântico de escravos e a disputa partidária nas províncias: os ataques aos desembarques em Pernambuco durante o governo praieiro, 1845-1848. Tempo, v. 14, nº. 27. Niterói-RJ, 2009, p. 133-149.

Coleção de leis do Império do Brasil, 1808-1889. Disponível em: <http://www2.camara.gov.br/legislacao/publicacoes/doimperio>. Acesso em 19/05/2008.

CUNHA, Maísa Faleiros da. Demografia e família escrava. Franca - SP, século XIX. Tese de doutorado, Demografia, Unicamp. Campinas, 2009.

FARIA, Sheila de Castro. A colônia em movimento: fortuna e família no cotidiano colonial. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1998.

LIMA, Carlos Alberto Medeiros. A cana, o café, os alimentos e o tráfico ilegal de escravos para a província de São Paulo. Programa de Seminários em História Econômica “Hermes & Clio”. São Paulo: FEA/USP, junho de 2011. Disponível em: http://www.fea.usp.br/feaecon//nucleos_ex.php?i=9&e=18.

LUNA, Francisco Vidal et al. Escravismo em São Paulo e Minas Gerais. São Paulo: Edusp; Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2009.

MAMIGONIAN, Beatriz Gallotti. In the name of freedom: Slave trade abolition, the law and the Brazilian branch of the African emigration scheme (Brazil-British West Indies, 1830s-1850s). Slavery & Abolition, v. 30, nº. 1, março 2009, p. 41-66.

MAMIGONIAN, Beatriz Gallotti & GRINBERG, Keila (orgs.). Dossiê: “Para inglês ver?” Revisitando a Lei de 1831. Estudos Afro-Asiáticos, ano 29, nºs. 1/ 2/ 3. Rio de Janeiro, jan./dez. 2007, p. 90-340.

MARCÍLIO, Maria Luiza. Mortalidade e morbidade da cidade do Rio de Janeiro imperial. Revista de História, nº 127-128, ago-dez/1992 a jan-jun/1993, p. 53-68.

MARQUES, Manuel Eufrásio de Azevedo. Apontamentos históricos, geográficos, biográficos, estatísticos e noticiosos da Província de São Paulo, seguidos da cronologia dos acontecimentos mais notáveis desde a fundação da Capitania de São Vicente até o ano de 1876, 2 v. São Paulo: Comissão do IV Centenário da Cidade de São Paulo, 1953.

MOTTA, José Flávio. Corpos escravos, vontades livres: posse de escravos e família escrava em Bananal (1801-1829). São Paulo: Fapesp, Annablume, 1999.

MOTTA, José Flávio & VALENTIN, Agnaldo. Dinamismo econômico e batismo de ingênuos – a libertação do ventre da escrava em Casa Branca e Iguape, Província de São Paulo (1871-1885). Estudos Econômicos, v. 38, n. 2, abr./jun. 2008, p. 211-234.

VALENTIN, Agnaldo. Uma civilização do arroz: agricultura, comércio e subsistência no Vale do Ribeira (1800-1880). Tese de doutorado, História, FFLCH-USP. São Paulo, 2006.

VASCONCELLOS, Marcia Cristina Roma de. Famílias escravas em Angra dos Reis, 1801-1888. Tese de doutorado, História, FFLCH-USP. São Paulo, 2006.

Downloads

Publicado

2014-12-18

Edição

Seção

Artigos