Construindo arranjos com tríades ao piano durante a pandemia: relato de interação musical informal via aplicativo de mensagens instantâneas a partir de uma perspectiva neurocientífica

Autores

  • Marcelo Alves Universidade Federal de Pernambuco

DOI:

https://doi.org/10.11606/rm.v21i1.180590

Palavras-chave:

Pandemia, Neurociências, Habilidades funcionais, Arranjo, Teclado

Resumo

Este trabalho é um estudo de caso, embasado na neurociência, a respeito de um processo de orientação musical remoto com uma estudante iniciante autodidata de piano na cidade de Recife (PE), utilizando um aplicativo de mensagens instantâneas (Whatsapp) durante a pandemia do CODIV-19, no qual foram propostas atividades de arranjo. O objetivo foi investigar as modificações que o processo produziu no fazer musical da estudante. Os dados foram recolhidos a partir dos dados retirados do histórico do aplicativo (texto e arquivos de mídia). Os resultados alcançados demonstram que o processo foi positivo para desenvolvimento da estudante. O uso do Whatsapp como meio de comunicação e do arranjo como ferramenta pedagógica permitiram comportamentos relevantes nos campos da autonomia, motivação e metacognição.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

GLOBAL monitoring of school closures caused by COVID-19. UNESCO (2020). Disponível em: https://en.unesco.org/covid19/educationresponse. Acesso em: 12 dez. 2020.

GUIDANCE Note: Remote Learning & COVID-19. BANCO MUNDIAL (2020). Disponível em: https://documents.worldbank.org/en/publication/documents-reports/documentdetail/531681585957264427/guidance-note-on-remote-learning-and-covid-19. Acesso em: 15 dez. 2020.

DAUBNEY, A.; FAUTLEY, M. Editorial Research: Music education in a time of the pandemic. British Journal of Music Education, 2020. v. 37, n. 2, p. 107–114.

DOMENICO, S. I. DI; RYAN, R. M. The emerging neuroscience of intrinsic motivation: A new frontier in self-determination research. Frontiers in Human Neuroscience, 2017. v. 11, p. 145.

DUCATTI, R. H. A composição na aula de piano em grupo: uma experiência com alunas do curso de Licenciatura em Artes/Musica. Dissertação (Mestrado em Música) – Instituto de Artes, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2005.

FLEMING, S. M.; DOLAN, R. J. The neural basis of metacognitive ability. Philosophical Transactions of the Royal Society B: Biological Sciences, 2012. v. 367, n. 1594, p. 1338–1349.

GLASER, S.; FONTERRADA, M. Músico-professor: uma questão complexa. Revista Música Hodie, 2007. v. 7, n. 1.

GUY, R.; BYRNE, B. Article Commentary: Neuroscience and Learning: Implications for Teaching Practice. Journal of experimental neuroscience, 2013. v. 7, p. JEN-S10965.

HODGES, D. A. Can neuroscience help us do a better job of teaching music? General Music Today, 2010. v. 23, n. 2, p. 3–12.

HODGES, D. A.; GRUHN, W. Implications of neurosciences and brain research for music teaching and learning. Music and Music Education in People’s Lives: An Oxford Handbook of Music Education, 2018. v. 1, p. 206.

JOU, G. I. DE; SPERB, T. M. A metacognição como estratégia reguladora da aprendizagem. Psicologia: reflexão e crítica, 2006. v. 19, n. 2, p. 177–185.

KANDEL, E. et al. Princípios de neurociências. [S.l.]: AMGH Editora, 2014.

KINNEY, Forrest. Chord Play: the Art of Arranging at the Piano, volumes 1 a 5. Toronto: Frederick Harris, 2010

LAVILLE, C.; DIONNE, J. A construção do saber: manual de metodologia da pesquisa em ciências humanas. Belo Horizonte: UFMG, 1999.

LEMOS, A. et al. Autonomy support enhances performance expectancies, positive affect, and motor learning. Psychology of Sport and Exercise, 2017. v. 31, p. 28–34.

LENT, Roberto. Cem bilhões de neurônios: conceitos fundamentais de neurociência. Rio de Janeiro: Editora Atheneu, 2002.

MENDELSSOHN, Félix. Canções sem palavras: op. 19b. Piano. Leipzig: Breitkopf & Härtel, 1968. 1 partitura. Disponível em: https://imslp.simssa.ca/files/imglnks/usimg/8/8b/IMSLP109641PMLP02671-Mendelssohn_Werke_Breitkopf_Gregg_Serie_11_Band_4_MB_75_Op_19b_scan.pdf. Acesso em: 1 out. 2020.

PIKE, P. D. Improving music teaching and learning through online service: A case study of a synchronous online teaching internship. International Journal of Music Education, 2017. v. 35, n. 1, p. 107–117.

PIKE, P. D.; SHOEMAKER, K. The effect of distance learning on acquisition of piano sight-reading skills. Journal of Music, Technology & Education, 2013. v. 6, n. 2, p. 147–162.

REGELSKI, T. A. Amateuring in music and its rivals. Action, Criticism, and Theory for Music Education, 2007. v. 6, n. 3, p. 22–50.

REIS, L. N. P. P. Dos. Piano em grupo: desenvolvimento das habilidades funcionais através de melodias folclóricas brasileiras. Tese (Doutorado em Música) – Instituto de Artes, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2017.

ROCHA, J. L. S. Aprendizagem criativa de piano em grupo. [S.l.]: Editora Edgard Blücher, 2016.

SLOAN, D.; NORRGRAN, C. A neuroscience perspective on learning. Chemical Engineering Education, 2016. v. 50, n. 1, p. 29–37.

SWANWICK, K. A basis for music education. [S.l.]: Routledge, 2002.

SWIFT, T.; DESSNER, A. Cardigan. In: FOLKLORE.[S. I.]: Republic, 2020. 1CD, faixa 1.

TAYLOR Swift - cardigan | EASY Piano Tutorial. [S. l.: s. n.], 2020. 1 vídeo (4 min.). Publicado pelo canal PHianonize. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=KCO0nr92fy8. Acesso em: 03 jan. 2021.

Downloads

Publicado

2021-07-27

Como Citar

Alves, M. (2021). Construindo arranjos com tríades ao piano durante a pandemia: relato de interação musical informal via aplicativo de mensagens instantâneas a partir de uma perspectiva neurocientífica. Revista Música, 21(1), 55-74. https://doi.org/10.11606/rm.v21i1.180590