O “Terceiro Setor na Saúde”: temas de investigação, atores, avanços e lacunas na gestão do Sistema Único de Saúde no prisma das Ciências Sociais e Humanas em Saúde

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2237-1095.v10p117-138

Palavras-chave:

Saúde coletiva, Ciências sociais e saúde, Terceiro setor, Gestão em saúde, Sistema único de saúde, Campo científico

Resumo

Analisou-se a produção científica sobre o “Terceiro Setor na Saúde”, a partir dos congressos promovidos pela Associação Brasileira de Pós Graduação em Saúde Coletiva (ABRASCO), entre 1995 e 2011, quanto à contribuição para o desenvolvimento do subcampo das Ciências Sociais e Humanas em Saúde, vinculado ao campo interdisciplinar da Saúde Coletiva.  Realizou-se um estudo exploratório, descritivo, retrospectivo de abordagem quantitativa, baseado nos Anais dos cinco congressos da ABRASCO. Identificaram-se 126 resumos, classificados em 12 temas de investigação. Quase um terço dos trabalhos evidenciaram a atuação dos movimentos sociais e das ações conduzidas por Organizações Não Governamentais no setor Saúde, ao passo que os temas que abordaram o exercício do controle social nos conselhos de saúde, o mix público-privado na saúde, a gestão/gerência das Organizações Sociais da Saúde, o voluntariado e o direito constitucional à saúde foram exíguos. Recomenda-se assim, a incorporação e manutenção desses temas com baixa visibilidade na produção científica, nas agendas de pesquisa em curso nos subcampos das Ciências Sociais e Humanas em Saúde e das Políticas, Planejamento e Gestão em Saúde, considerando a sua relevância para a gestão do Sistema Único de Saúde.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renato Barboza, Universidade de São Paulo. Instituto de Psicologia

Pesquisador Científico VI do Instituto de Saúde da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo, São Paulo, Brasil. Graduado em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de São Pulo, São Paulo, SP, Brasil, mestre em Saúde Coletiva pela Coordenadoria de Controle de Doenças da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo, São Paulo, Brasil. É doutorando no Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social do Instituto de Psicologia e investigador nos Grupos de Pesquisa em Psicologia Política, Políticas Públicas e Multiculturalismo e no Núcleo de Estudos para a Prevenção da AIDS da Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

 

Áurea Maria Zöllner Ianni, Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública

Graduada em Ciências Sociais, mestra e doutora em Ciência Ambiental e livre-docente em Ciências Sociais em Saúde pela Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.  É Professora Associada 1 da Faculdade de Saúde Pública, sendo docente nos Programas de Pós-Graduação em Saúde Pública da Faculdade de Saúde Pública e de Pós-Graduação em Mudança Social e Participação Política da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Olga Sofia Fabergé Alves, Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo - Instituto Butantan

Cientista Social  e mestra em Ciências pelo Programa de Pós-Graduação em História Social da Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil. É Pesquisadora Científica IV do Centro de Memória e Diretoria do Museu da Saúde Pública Emílio Ribas do Instituto Butantan da Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Alessandro Soares da Silva, Universidade de São Paulo. Escola de Artes, Ciências e Humanidades

Filósofo pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, Brasil, mestre e doutor em Psicologia Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil, e Livre Docente em Economia, Gestão e Políticas Públicas na área de Sociedades Complexas, Multiculturalismo e Direitos pela Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil. Atualmente é Professor Associado 1, docente no Bacharelado em Gestão de Políticas Públicas da Escola de Artes, Ciências e Humanidades e no Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social do Instituto de Psicologia, líder do Grupo de Estudos e Pesquisas em Psicologia Política, Políticas Públicas e Multiculturalismo da Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Referências

Barboza, Renato., & Lopes, Tarsio Vinicius. (2009). Organizações não governamentais na região da Amazônia legal brasileira: o caso da saúde. Psicologia Política, 9(17), 149-169. Acessado em 31 de Março de 2020, de http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-549X2009000100010&lng=pt&tlng=pt.

Barboza, Renato., Ianni, Aurea Maria Zöllner., Alves, Olga Sofia Fabergé., Cintra, João Pedro Scholl., & Souza, Fernanda Kaliane Martins. (2014). Análise da produção científica brasileira sobre o tema AIDS no campo das Ciências Sociais e Humanas em Saúde Coletiva. Patrimonio: Economía Cultural y Educación para la Paz (MEC-EDUPAZ), 1, 448-451.

Barboza, Renato., Ianni, Áurea Maria Zöllner., Alves, Olga Sofia Fabergé., Rocha, Ane Talita da Silva., & Viana, Sabrina Daniela Lopes. (2015). Terceiro Setor na Saúde: a produção científica dos Congressos Brasileiros de Ciências Sociais e Humanas em Saúde na ABRASCO. Journal of Management and Primary Health Care, 6(1), 18-35. Acessado em 6 de Abril de 2021, de https://doi.org/10.14295/jmphc.v6i1.235

Barboza, Renato., Dantas, Jean Carlos de Oliveira., Cervantes, Vilma., Silva, Alessandro Soares da., Alves, Olga Sofia Fabergé., & Santos, Rani B. C. E. (2017). Desafios para sustentabilidade da prevenção às DST/Aids nos projetos de Organizações da Sociedade Civil no estado de São Paulo. BEPA: Boletim Epidemiológico Paulista, 14(162), 17-31. Acessado em 31 de Março de 2020, de: https://docs.bvsalud.org/biblioref/ses-sp/2017/ses-36291/ses-36291-6501.pdf

Brasil. (1995). Plano Diretor da Reforma do Aparelho do Estado. Brasília: Câmara da Reforma do Estado.

Brasil. (2011). Política Nacional de Atenção Básica. Brasília: Ministério da Saúde.

Brasil. (19 de Setembro de 1990a). Lei nº 8.080. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Diário Oficial da União, 19/09/1990.

Brasil. (28 de Dezembro de 1990b). Lei nº 8.142. Dispõe sobre a participação da comunidade na gestão do Sistema Único de Saúde e sobre as transferências intergovernamentais de recursos financeiros na área da saúde e dá outras providências. Diário Oficial da União, 28/12/1990.

Brasil. (15 de Maio de 1998). Lei nº 9.637. Dispõe sobre a qualificação de entidades como organizações sociais, a criação do Programa Nacional de Publicização, a extinção dos órgãos e entidades que menciona e a absorção de suas atividades por organizações sociais, e dá outras providências. Diário Oficial da União, 18/05/1998.

Brasil. (23 de Março de 1999). Lei nº 9.790. Dispõe sobre a qualificação de pessoas jurídicas de direito privado, sem fins lucrativos, como Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público, institui e disciplina o Termo de Parceria, e dá outras providências. Diário Oficial da União, 24/03/1999.

Bresser-Pereira. Luiz Carlos. (2011). Reforma gerencial do Estado, teoria política e ensino da administração pública. Revista Gestão & Políticas Públicas, 1(2):1-6. Acessado em 31 de março de 2020, de: https://www.revistas.usp.br/rgpp/article/view/97836

Buss, Paulo Marchiori. (2003). Uma introdução ao conceito de promoção da saúde. Em Dina Czeresnia, & Carlos Machado de Freitas. (Eds.). Promoção da Saúde: conceitos, reflexões, tendências, (pp. 15-38). Rio de Janeiro: Fiocruz.

Canesqui, Ana Maria. (1998). Ciências Sociais e Saúde no Brasil: Três Décadas de Ensino e Pesquisa. Ciência & Saúde Coletiva, 3(1), 131-168.

Canesqui, Ana Maria. (2008). As Ciências Sociais e Humanas em Saúde na Associação Brasileira de Pós-graduação em Saúde Coletiva. Physis, 18(2), 215-250.

Deslandes, Suely, & Maksud, Ivia. (2020). Ensino de metodologias em Ciências Sociais e Humanas nos programas de pós-graduação em Saúde Coletiva (2002-2016). Cadernos de Saúde Pública, 36(5), e00133619. Acessado em 31 de Março de 2020, de: https://doi.org/10.1590/0102-311x00133619

Falconer, Andres Pablo. (1999). A Promessa do Terceiro Setor: Um estudo sobre a construção do papel das Organizações Sem fins Lucrativos e de seu campo de gestão. Dissertação (Mestrado). Universidade de São Paulo, São Paulo.

Ferrari, Junia, Oliveira, Laís, Torres, Marina, & Soalheiro, Maria. (2019). Dos Movimentos Sociais às Organizações da Sociedade Civil: repensando o associativismo no contexto neoliberal, In XVIII Encontro Nacional da ANPUR, 1-17. Natal. UFRN. Acessado em 31 de Março de 2020, de: http://anpur.org.br/xviiienanpur/anaisadmin/capapdf.php?reqid=800

Godoy-Flores, Iván. (2017). Dos Movimentos Sociais às Políticas Públicas: contribuições da Psicologia Política. Revista Gestão & Políticas Públicas, 7(2), 195-201. Acessado em 27 de maio de 2019, de: https://doi.org/10.11606/rg&pp.v7i2.174541

Godoy-Flores, Iván. (2019). Uma Epistemologia das Políticas Públicas: elementos para a ação pública. Revista Gestão & Políticas Públicas, 9(2), 354-360. Acessado em 27 de maio de 2019, de: https://doi.org/10.11606/rgpp.v9i2.183251 Gohn, Maria da Glória. (2000). Mídia, terceiro setor e MST: impacto sobre o futuro das cidades e do campo. Petrópolis: Vozes.

Heimann, Luiza Sterman., Ibanhes, Lauro César., & Barboza, Renato. (Org.). (2005). O Público e o Privado na Saúde. São Paulo: Hucitec.

Ianni, Áurea Maria Zöllner., Barboza, Renato., Alves, Olga Sofia Fabergé., Rocha, Ane Talita da Silva.,Viana, Sabrina Daniela Lopes., & Torres, Renan. (2012). Questões contemporâneas nas Ciências Sociais em Saúde: o estudo de temas emergentes nos congressos brasileiros de Ciências Sociais e Humanas em Saúde, ABRASCO 1995 – 2007. Relatório final de pesquisa CNPq 470389-2009-5.

Ianni, Áurea Maria Zöllner., Spadacio, Cristiane., Barboza, Renato., Alves, Olga Sofia Fabergé., Viana, Sabrina Daniela Lopes., & Rocha, Ane Talita da Silva. (2014). Trajetórias profissionais na constituição das Ciências Sociais e Humanas em Saúde na Abrasco. Physis, 24, 1315-1336.

Ianni, Áurea Maria Zöllner., Spadacio, Cristiane., Barboza, Renato., Alves, Olga Sofia Fabergé., Viana, Sabrina Daniela Lopes., & Rocha, Ane Talita da Silva. (2015). Os Congressos Brasileiros de Ciências Sociais e Humanas em Saúde da ABRASCO: um campo científico em disputa. Ciência & Saúde Coletiva, 20(2), 503-513.

Ianni, Áurea Maria Zoolner. (2018). Mudanças sociais contemporâneas e saúde: estudo sobre a teoria social e saúde pública no Brasil. São Paulo: Hucitec.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). (2012). As fundações privadas e associações sem fins lucrativos no Brasil 2010. Rio de Janeiro: IBGE.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). (2019). As fundações privadas e associações sem fins lucrativos no Brasil: 2016. Rio de Janeiro: IBGE.

Luz, Madel Therezinha, & Mattos, Rafael da Silva. (2010). Dimensões qualitativas na produção científica, tecnológica e na inovação em Saúde Coletiva. Ciência & Saúde Coletiva, 15(4), 1945-1953.

Marsiglia, Regina Maria Giffoni., Spinelli, Selma Patti., Lopes, Marina França., & Silva, Thiago Carvalho Pelucio. (2003). Das ciências sociais para as ciências sociais em saúde: a produção científica de pós-graduação em ciências sociais. Ciência & Saúde Coletiva, 8(1), 275-285.

Minayo, Maria Cecília de Souza. (2004). O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo, Rio de Janeiro: Hucitec/Abrasco.

Minayo, Maria Cecília de Souza. (2013). A produção de conhecimentos na interface entre as Ciências Sociais e Humanas e a Saúde Coletiva. Saúde e Sociedade, 22(1), 21-31.

Montaño, Carlos. (2010). Terceiro setor e questão social: crítica ao padrão emergente de intervenção social. São Paulo: Cortez.

Nunes, Everardo Duarte. (2006). A trajetória das ciências sociais em saúde na América Latina: revisão da produção científica. Revista de Saúde Pública, 40(Nº esp.), 64-72.

Nunes, Everardo Duarte., Ferreto, Lirane Elize., Oliveira, Ana Luiza de Oliveira e., Nascimento, Juliana Luporini do., Barros, Nelson Filice de., & Castellanos, Marcelo Eduardo Pfeiffer. (2010). O campo da Saúde Coletiva na perspectiva das disciplinas. Ciência & Saúde Coletiva, 15(4), 1917-1922.

Paim, Jairnilson Silva, & Almeida Filho, Naomar de. (2000). A crise da Saúde Pública e a utopia da Saúde Coletiva. Salvador: Casa da Qualidade.

Paim, Jairnilson Silva. (2008). Reforma sanitária brasileira: contribuição para a compreensão e crítica. Salvador: Edufba, Rio de Janeiro: Fiocruz.

Ribeiro, Patrícia Tavares, & Castro, Leonardo. (2019). Ciências Sociais em saúde: perspectivas e desafios para a saúde coletiva. Saúde Debate, 43(7 n. Especial), 165-178.

Silva, Alessandro Soares da. (2007). O processo de onguização do Estado e dos movimentos sociais e o seu impacto no âmbito das políticas públicas. In XIV Encontro Nacional da ABRAPSO, 1-12. Rio de Janeiro: ABRAPSO. Acessado em 31 de Março de 2020, de: http://www.abrapso.org.br/siteprincipal/anexos/AnaisXIVENA/conteudo/pdf/trab_completo_87.pdf

Silva, Alessandro S. (2009). Contribuições dos Movimentos Sociais para a Desprivatização da Ética na Perspectiva da Psicologia Política. Flávia Mori Sarti, & Gislene Aparecida dos Santos. (Org.). Ética, Pesquisa e Políticas Públicas. São Paulo: Rubio. Acessado em 19 de maio de 2019, de: https://www.researchgate.net/publication/344041671_Contribuicoes_dos_Movimentos_Sociais_para_a_Desprivatizacao_da_Etica_na_perspectiva_da_Psicologia_Politica

Silva, Alessandro (2012). Psicologia Política, movimentos sociais e políticas públicas. Tese de Livre Docencia. Universidade de São Paulo, São Paulo.

Silva, Alessandro Soares da. (2013). Um enfoque psicopolítico das políticas públicas. Revista Electrónica de Psicología Política, 11(30), 1-6. Acessado em 12 de maio de 2019, de: https://www.researchgate.net/publication/344664075_Um_Enfoque_Psicopolitico_das_Politicas_Publicas_Un_Enfoque_Psicopolitico_de_las_Politicas_Publicas

Silva, Alessandro (2018a). A Ação Pública: um outro olhar sobre Estado, Sociedade e Políticas Públicas. Revista Gestão & Políticas Públicas, 8(1), 194-204. Acessado em 17 de abril de 2019, de: https://www.revistas.usp.br/rgpp/article/view/175154

Silva, Alessandro (2018b). Um Esboço do que poderia ser a Psicologia Política da Ação Pública. Cadernos da ANPEPP, GT 62, Psicologia Política. Acessado em 25 de fevereiro de 2018, de: https://www.researchgate.net/publication/344134091_Um_Esboco_do_que_poderia_ser_a_Psicologia_Politica_da_Acao_Publica

Starfield, Barbara. (2004). Atenção Primária: equilíbrio entre necessidades de saúde, serviços e tecnologia. Brasília: UNESCO/Ministério da Saúde.

Stralen, Cornelis Johannes van. (1996). The Struggle over a National Health Care System; the 'movimento sanitário'and health policy-making in Brazil. Utrecht: FSW/RUU.

Downloads

Publicado

2020-08-16

Como Citar

Barboza, R., Ianni, Áurea M. Z. ., Alves, O. S. F., & Silva, A. S. da. (2020). O “Terceiro Setor na Saúde”: temas de investigação, atores, avanços e lacunas na gestão do Sistema Único de Saúde no prisma das Ciências Sociais e Humanas em Saúde. Revista Gestão & Políticas Públicas, 10(1), 117-138. https://doi.org/10.11606/issn.2237-1095.v10p117-138

Edição

Seção

Artigos