Mensuração da gravidade de quadros clínicos resultantes de cirurgias

Autores

  • Fátima A. E. Faleiros Sousa Departamento de Enfermagem Geral e Especializada da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo.
  • Ricardo Kamizaki Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo.
  • Roberta P. M. Sant’Ana Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo.
  • Patrícia B. Giuntini Irmandade de Misericórdia de Sertãozinho/SP.

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-7262.v31i4p616-625

Palavras-chave:

Acontecimentos Que Mudam a Vida. Psicofísica.

Resumo

O objetivo deste estudo foi escalonar, por médicos e enfermeiros, a gravidade de sessenta e oito (68) quadros clínicos cirúrgicos, através do método de estimação de magnitudes. Os dados permitem concluir que: 1) os quadros clínicocirúrgicos,

aneurismectomia de aorta, aneurismectomia cerebral e revascularização do miocárdio, foram considerados os de maior gravidade, enquanto que os quadros clinicocirúrgicos, adenoidectomia, amigdalectomia e curetagem uterina, os de menor gravidade em todas as escalas obtidas pelos diferentes métodos psicofísicos diretos e 2) a escala de razão de gravidade de quadros clinicocirúrgicos é válida, estável e consistente, pois o expoente obtido (0,74) através dos emparelhamentos de comprimentos de linhas e de forças dinamométricas não foi significativamente diferente do expoente predito (0,77) pela propriedade de transitividade das escalas, ou seja, daquele obtido nas tarefas de calibração por Faleiros Sousa (1)

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fátima A. E. Faleiros Sousa, Departamento de Enfermagem Geral e Especializada da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo.

Professora Associada ao Departamento de Enfermagem Geral e Especializada da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo.

Ricardo Kamizaki, Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo.

Aluno de pós-graduação da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo.

Roberta P. M. Sant’Ana, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo.

Aluna de pós-graduação da Escola de
Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo.

Patrícia B. Giuntini, Irmandade de Misericórdia de Sertãozinho/SP.

Enfermeira da Irmandade de Misericórdia de Sertãozinho/SP.

 

Downloads

Publicado

1998-12-30

Como Citar

1.
Sousa FAEF, Kamizaki R, Sant’Ana RPM, Giuntini PB. Mensuração da gravidade de quadros clínicos resultantes de cirurgias. Medicina (Ribeirão Preto) [Internet]. 30 de dezembro de 1998 [citado 5 de julho de 2022];31(4):616-25. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/rmrp/article/view/7736

Edição

Seção

Artigo Original
Bookmark and Share