O sentir e o consumir do/no army, fandom do BTS: capital afetivo e a cultura material nas experiências de fãs

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1984-5057.v14i2e202336

Palavras-chave:

Consumo, Sociabilidade, Indústria da felicidade, Cultura material, Fandom

Resumo

A presente pesquisa busca compreender a importância do consumo dos objetos relacionados ao BTS (Bangtan Sonyeodan), maior grupo de K-pop da atualidade, como uma forma de participação e experiência de seu fandom, Army. Sob uma perspectiva comunicacional, adotamos método netnográfico, com análise das redes sociais digitais Twitter e Instagram, as principais redes de acesso do fandom Army. As análises baseiam-se principalmente nos aportes teóricos sobre consumo, sociabilidade e cultura material. Observou-se o consumo do grupo BTS como regente das relações dentro do fandom, bem como o caráter (i)material expresso por meio dos produtos e experiências, que desenvolvem a subjetividade e a percepção do fazer parte desse grupo de fãs.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Raíssa Abraçado Pereira, Universidade Federal do Pará

    Mestre pelo Programa de Pós-graduação em Comunicação, Cultura e Amazônia (PPGCom) da Universidade Federal do Pará (UFPA). Graduada em Publicidade e Propaganda pela Universidade da Amazônia (Unama). Integrante do Grupo de Pesquisa Comunicação Consumo e Identidade (UFPA).

  • Manuela do Corral Vieira, Universidade Federal do Pará

    Doutora em Antropologia pelo Programa de Pós-Graduação em Antropologia (PPGA) da Universidade Federal do Pará (UFPA). Docente na Faculdade de Comunicação (Facom) e no Programa de Pós-Graduação em Comunicação, Cultura e Amazônia (PPGCom) da UFPA. Líder do Grupo de Pesquisa Comunicação, Consumo e Identidade – Consia (CNPq/UFPA).

Referências

ALVES, Soraia. Com 16,3 bilhões de streams, BTS bate recorde como banda mais ouvida no Spotify até hoje. B9, São Paulo, 27 maio 2021. Cultura. Disponível em: https://bit.ly/3ut9sAR. Acesso em: 25 set. 2021.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições70, 1977.

BOOTH, Paul. Playing fans: negotiating fandom and media in the digital age. Iowa City: University of Iowa Press, 2015.

BTS (Página do artista). Billboard, New York, 2022a. Disponível em: https://www.billboard.com/artist/bts/. Acesso em: 29 nov. 2022.

BTS YouTube Statistics. [S. l.]: 2022b. Disponível em: https://kworb.net/youtube/artist/bts.html. Acesso em: 25 set. 2021.

BTS: band gets first ever Grammy nomination for K-pop. BBC News, London, 25 nov. 2020. Disponível em: https://www.bbc.com/news/world-asia-55068627. Acesso em: 28 nov. 2020.

CABANAS, Edgar. Rekindling individualism, consuming emotions: constructing “psytizens” in the age of happiness. Culture & Psychology, Thousand Oaks, v. 22, n. 3, p. 467-480, 2016.

COSTA, Sarah Moralejo da. Fanworks de fanworks: a rede de produção dos fãs. 2018. Tese (Doutorado em Comunicação e Informação) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2018.

CUNHA, Adriana de Barros Ferreira; KERTSCHER, Laiza Ferreira. A imagem na indústria fonográfica: como o k-pop conquistou o mercado da música ocidental. Revista Cientifica de Comunicação Social do Centro Universitário de Belo Horizonte (UniBH) e-Com, Belo Horizonte, v. 12, n. 2, 2019.

DARCIE, Marina Paula; GOBBI, Maria Cristina. De onde, por que e para quem falam os fãs? Um estudo sobre os fã-clubes dedicados à celebridade virtual Karol Pinheiro. Revista GEMInIS, São Carlos, v. 10, n. 3, p. 22-43, 2019.

DAVIS, Rebecca. BTS’ ‘Butter’ breaks YouTube record for 24-hours views. Variety, Los Angeles, 21 maio 2021. Disponível em: https://bit.ly/3VlYGbo. Acesso em: 29 nov. 2022.

FRAGOSO, Suely; RECUERO, Raquel, AMARAL, Adriana. Métodos de pesquisa para internet. Porto Alegre: Sulina, 2011.

FIGUEIREDO, Diego; SOUZA, Ana Carolina Almeida; CABRAL, Fernanda Alves Ramos. Pensando o fã e o consumo: dinâmicas e relações em franquias transmidiáticas. Signos do Consumo, São Paulo, v. 11, n. 2, p. 40-51, 2019.

FOSTER, Ashton et al. Answer: Love Myself. In: LETRAS.MUS. Belo Horizonte: Letras.mus, 2022. Disponível em: https://bit.ly/3XDtK7V. Acesso em: 28 nov. 2022.

GRUPO BTS é nomeado maior artista global de 2020 pela Federação Internacional da Indústria Fonográfica. G1, Rio de Janeiro, 5 mar. 2021. Pop & Arte. Disponível em: http://glo.bo/3TXjNPB. Acesso em: 12 maio 2022.

HILLS, Matt. O fandom como objeto e os objetos do fandom. [Entrevista concedida a] Clarice Greco. MATRIZes, São Paulo, v. 9, n. 1, p. 147-163, 2015.

ILLOUZ, Eva. O amor nos tempos do capitalismo. Rio de Janeiro: Zahar, 2011.

JENKINS, Henry. Cultura da convergência. São Paulo: Aleph, 2009.

JOFFELY, Soraia. BTS: “Butter” quebra recorde no YouTube! Confira 4 feitos do grupo sul-coreano. Tracklist, [s. l.], 26 maio 2021. Disponível em: https://tracklist.com.br/bts-butter-youtube/105439. Acesso em: 28 nov. 2022.

KOZINETS, Robert V. Netnografia: realizando pesquisa etnográfica online. Porto Alegre: Penso, 2014.

MCCRACKEN, Grant. Cultura e consumo: uma explicação teórica da estrutura e do movimento do significado cultural dos bens de consumo. RAE – Revista de Administração de Empresas, Rio de Janeiro, v. 47, n. 1, p. 99-115, 2007.

MILLER, Daniel. Consumo como cultura material. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, ano 13, n. 28, p. 33-63, 2007.

MILLER, Daniel. Sobre pessoas e coisas: entrevista com Daniel Miller. [Entrevista concedida a] Catarina Morawska Vianna e Magda dos Santos Ribeiro. Revista de Antropologia, São Paulo, v. 52, n. 1, p. 415-439, 2009.

MILLER, Daniel. Trecos, troços e coisas: estudos antropológicos sobre a cultura material. Rio de Janeiro: Zahar, 2013.

MONTEIRO, Tiago José Lemos. O fã-clube como lugar de memória: esfera de celebração e disputa simbólica. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO, 29., 2006, Brasília, DF. Anais […]. Brasília, DF: Intercom, 2006.

NAIANE, Láisa. IFPI: mercado musical cresce 7,4% e Brasil sai do Top 10. Popline, Rio de Janeiro, 23 mar. 2021. Disponível em: https://bit.ly/3EQBbzR. Acesso em: 28 nov. 2022.

ORTEGA, Rodrigo. K-pop é poder: Como Coreia do Sul investiu em cultura e colhe lucro e prestígio de ídolos como BTS. G1, Rio de Janeiro, 23 maio 2019. Pop & Arte. Disponível em: http://glo.bo/3Ubrhi8. Acesso em: 9 nov. 2020.

ROCHA, Everardo. Totem e consumo: um estudo antropológico de anúncios publicitários. ALCEU, Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, p. 18-37, 2000.

RETONDAR, Anderson Moebus. A (re)construção do indivíduo: a sociedade de consumo como “contexto social” de produção de subjetividades. Sociedade e Estado, Brasília, v. 23, n. 1, p. 137-160, 2008. Disponível em: https://bit.ly/3UX0irD. Acesso em: 9 out. 2022.

ROCHA, Everardo; ALMEIDA, Maria Isabel Mendes de; EUGENIO, Fernanda (org.). Comunicação, consumo e espaço urbano: novas sensibilidades nas culturas jovens. Rio de Janeiro: Mauad X, 2006.

SIMMEL, Georg. Questões fundamentais da sociologia: indivíduo e sociedade. Rio de Janeiro: Zahar, 2006.

SPANGLER, Todd. BTS ‘Dynamite’ breaks YouTube Record for most-viewed in first 24 hours, with 101 million views. Variety, Los Angeles, 21 ago. 2020. Disponível em: https://bit.ly/3u8nHuw. Acesso em: 28 nov. 2022.

TRINDADE, Eneus; PEREZ, Clotilde. Os rituais de consumo como dispositivos midiáticos para a construção de vínculos entre marcas e consumidores. ALCEU, Rio de Janeiro, v. 15, n. 29, p. 157-171, 2014.

TRUST, Gary. BTS’ ‘Dynamite’ blasts in at No. 1 on Billboard Hot 100, becoming the Group’s First Leader. Billboard, New York, 31 ago. 2020. Disponível em: https://bit.ly/3XLjjz2. Acesso em: 28 nov. 2022.

TURNER, Victor. La selva de los símbolos: aspectos del ritual ndembu. Madrid: Siglo XXI, 2005.

Downloads

Publicado

2022-12-27

Como Citar

O sentir e o consumir do/no army, fandom do BTS: capital afetivo e a cultura material nas experiências de fãs. Signos do Consumo, [S. l.], v. 14, n. 2, p. e202336, 2022. DOI: 10.11606/issn.1984-5057.v14i2e202336. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/signosdoconsumo/article/view/202336.. Acesso em: 20 abr. 2024.