DISJUNÇÕES DA MALANDRAGEM: UMA LEITURA DE MEMÓRIAS DE UM SARGENTO DE MILÍCIAS

  • Stanis David Lacowicz UFPR
Palavras-chave: malandragem, “Dialética da malandragem”,, Memórias de um sargento de milícias, disjunção, literatura brasileira

Resumo

Partindo do romance Memórias de um sargento de milícias, de Manuel Antônio de Almeida, pretendemos analisar como a malandragem pode ser encarada nessa obra como uma prática mediadora da disjunção constitutiva da sociedade brasileira (a partir da reflexão proposta pelo pesquisador e professor Dr. Luís Bueno sobre a literatura brasileira). Para tanto, realizamos um percurso pelas proposições críticas e teóricas acerca do malandro e da dialética da malandragem, a partir de Candido (1993), Schwarz (1987), André Bueno (2008) e Edu Otsuka (2007), a fim de pensar a disjunção como articuladora de um modo de agir e olhar que conduz a narrativa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Stanis David Lacowicz, UFPR

Doutorando em Letras (Estudos Literários) pela Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Publicado
2019-07-10
Como Citar
Lacowicz, S. (2019). DISJUNÇÕES DA MALANDRAGEM: UMA LEITURA DE MEMÓRIAS DE UM SARGENTO DE MILÍCIAS. Via Atlântica, (35), 267-286. Recuperado de https://www.revistas.usp.br/viaatlantica/article/view/151716