Interferência e naturalidade no par português-espanhol: línguas próximas, contraste e ensino de tradução

Autores

  • Bruna Macedo de Oliveira Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila)

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2317-9651.v0i14p130-171

Palavras-chave:

tradução, ensino, interferência, naturalidade, comparação português-espanhol.

Resumo

No presente artigo, fruto de nossa pesquisa de mestrado, temos como objetivo refletir sobre a proximidade entre o português e o espanhol e seus efeitos para a tradução. Para tanto, discutiremos os conceitos de interferência e de naturalidade e observaremos como estes se apresentam na análise de nosso corpus de estudo, composto por traduções de uma receita e outras duas atividades relacionadas a tal gênero textual. Buscaremos demonstrar como esse trabalho encontra eco em nossa prática atual, na coordenação do projeto de extensão “Laboratório de Tradução da Unila”, realizado na Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila). Por fim, apontaremos para a necessidade de que pesquisas que tenham como base a comparação entre essas duas línguas sejam utilizadas no ensino e na prática da tradução.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bruna Macedo de Oliveira, Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila)

Docente de Língua Espanhola Adicional, no Ciclo Comum de Estudos da Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila). Mestre em Letras pela Universidade de São Paulo. Atuação profissional como tradutora autônoma, especialmente em traduções comerciais, técnicas e acadêmicas.

Referências

Arrojo, Rosemary. Oficina de tradução: a teoria na prática. São Paulo: Ática, 1986.

Aubert, Francis Henrik. As (in)fidelidades da tradução: servidões e autonomia do tradutor. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 1994.

Aubert, Francis Henrik. “Modalidades de tradução: teoria e resultados”. In: TradTerm, 5-1, São Paulo: 1998, 99-128.

Baker, Mona. “Corpus Linguistcs and Translation Studies. Implications and Applications”. In: Baker, Mona; Francis, Gill; Tognini-Bonelli, Elena (eds.). Text and Technology: in honor of John Sinclair. Amsterdam: John Benjamins, 1993, 233-250.

Briones, Ana Isabel. “Dificultades de la traducción portugués-español vistas a través de la lingüística contrastiva”. In: Actas del IX Congreso Brasileño de Profesores de Español [recurso eletrônico]. Brasília: Consejería de Educación; Embaixada da Espanha, 2001, 59-68.

Cintrão, Heloísa Pezza. “Traduzindo formas de tratamento do espanhol peninsular ao português de São Paulo: uma visão semiótica”. In: Fanjul, Adrián Pablo; Olmos, Ana Cecilia; González, Mario Miguel (orgs.). Hispanismo 2002, v. 1. São Paulo: Humanitas, 2004, 199-210.

_____. Colocar lupas, transcriar mapas. O desenvolvimento da competência tradutória em nível básico de espanhol como língua estrangeira. Tese (Doutorado em Letras). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (Departamento de Letras Modernas), Universidade de São Paulo, São Paulo: 2006.

Corder, Stephen Pit. “A role for the mother tongue”. In: Gass Susan M.; Selinker Larry (eds.) Language transfer in language learning. Amsterdam: John Benjamins, 1993, 18-31 [1a ed. 1983].

Coseriu, Eugenio. Sistema, norma y habla (con un resumen en alemán). Montevideo: Universidad de la República; Facultad de Humanidades y Ciencias; Instituto de Filología; Departamento de Lingüística, 1952.

Fanjul, Adrián Pablo. “Ese día, esse dia; no siempre el mismo día. Demostrativos y referencia en español y português”. In: Daher, María del Carmen F. González; Freitas, Luciana Maria Almeida de; Giorgi, Maria Cristina. Hispanismo 2006. Vol. II - Estudos de Linguagens. Rio de Janeiro: Associação Brasileira de Hispanistas; UERJ, 2006, 168-172.

González, Neide Maia. Cadê o pronome? O gato comeu. Os pronomes pessoais na aquisição/aprendizagem do espanhol por brasileiros adultos. Tese (Doutorado em Linguística). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (Departamento de Linguística), Universidade de São Paulo, São Paulo: 1994.

González, Neide Maia; Kulikowski, María Zulma. “Español para brasileños.

Sobre por dónde determinar la justa medida de una cercania”. In: Anuario Brasileño de Estudios Hispánicos, 9, 1999, 11-19.

González, Neide Maia; Celada, María Tereza “El contrapunto de dos lenguas: Los argentinos somos así. Brasileiro é assim mesmo”. In: Revista E/LEctrónica E/LE, 2001, s.p.

Halliday, Michael Alexander Kirkwood. “Towards a theory of good translation”. In: Steiner, Erich; Yallop, Colin (eds.). Exploring translation and multilingual text production: beyond content. Berlim; Nova Iorque: Mouton de Gruyter, 2001, 13-18.

House, Juliane. “How do we know when a translation is good?” In: Steiner, Erich; Yallop, Colin (eds.). Exploring translation and multilingual text production: beyond content. Berlim; Nova Iorque: Mouton de Gruyter, 2001, 127-160.

Hurtado Albir, Amparo. “Conclusion”. In: La notion de fidélité en traduction. Paris: Didier, 1990, 219-228.

_____. Traducción y Traductología. Madri: Cátedra, 2001.

Jakobsen, Arnt Lykke. “Translog as a tool in the learning of translation”. Comunicação apresentada à Conferência CIUTI sobre Interdisciplinaridade. Antuérpia, 1999, 26-27/05/1999. (manuscrito) [apud Rothe-Neves, 2001].

Kellerman, Eric. “Now you see it, now you don’t”. In: Susan M.; Selinker Larry. Language Transfer in Language Learning. Rowley, Mass: Newbury House, 1983, 112-134.

Kelly, Louis G. The true interpreter: a history of translation theory and practice in West. Nova Iorque: St. Martin’s, 1979 [apud Rodrigues, 2000].

Kjellmer, Göran. “Grammatical or nativelike?” In: Leitner, Gerhard (ed.) New directions in English language corpora: methodology, results, software developments. Berlim; Nova Iorque: Mouton de Gruyter, 1992, 329-343.

Lamparelli, Alvamar Helena de Campos Andrade. A naturalidade na tradução: quem garante? 2007. Dissertação (Mestrado em Letras). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (Departamento de Letras Modernas), Universidade de São Paulo, São Paulo: 2007. Disponível em: <http://www.teses.usp.br>. Acessado em 08/05/2013.

Larsen-Freeman, Diane; Long, Michael Hugh. Introducción al estudio de la adquisición de segundas lenguas. Madri: Gredos, 1994 [1991]. (An introduction to second language acquisition research. Londres: Longman, 1991).

Laviosa-Braithwaite, Sara. “Universals of Translation”. In: Baker, Mona (ed.). Routledge Encyclopedia of Translation Studies. Londres: Routledge, 1998, 288-291.

Mackey, William Francis. The description of bilinguism. In: Fischman, Joshua A. (ed.) Readings in the Sociology of Language. Haia: Mouton, 1970, 554-584 [apud Presas, 2000].

Nida, Eugene A. Towards a Science of Translating. Leiden: E. J. Brill, 1964.

_____. “Principles of correspondence”. In: Venuti, Lawrence (ed.). The Translation Studies reader. Londres; Nova Iorque, Routledge, 2009, 153-167.

Nord, Christiane. “Applications of the model in translator training”. In: Text analysis in translation: theory, methodology and didactic application of a model for translation-oriented text analysis. Trad. Christiane Nord; Penelope

Sparrow. 2nd ed. Amsterdam; Nova Iorque: Rodopi: 2005 [1988], 155-190.

Pawley, Andrew; Syder, Frances Hodgetts. “Two puzzles for linguistic theory: nativelike selection and nativelike fluency”. In: Richards, Jack C.; Schmidt, Richard W. (eds.) Language and communication, v. 9. Londres; Nova Iorque: Longman, 1983, 191-226.

Presas, Marisa. “Bilingual competence and translation competence”. In: Schäffner, Christina; Adab, Bervely (eds.). Developing translation competence. Amsterdam: John Benjamins, 2000, 19-31.

Rodrigues, Cristina Carneiro. “Introdução”. In: Tradução e diferença. São Paulo: Ed. Unesp, 2000, 15-24.

Salkie, Raf. “Naturalness and contrastive linguistics”. In: Lewandowska-Tomaszczyk, Barbara; Melia, Patrick James (eds.) Proceedings of PALC ´97. Łódź: Łódź University Press, 1997, 297-312 [apud Lamparelli, 2007].

Santos Gargallo, Isabel. Análisis contrastivo, análisis de errores e interlengua en el marco de la lingüística contrastiva. Madri: Síntesis: 1993.

Séguinot, Candace. “The translation process: an experimental study”. In: _____ (ed.) The translation process. Toronto: H. G. Publications, York University, 1989.

Serrani, Silvana. “Análise de ressonâncias discursivas em microcenas para estudo de identidades linguístico-cultural. Trabalhos em Linguística Aplicada, 24, Campinas: 1994, 79-90.

Silva, Maria das Graças Gomes Villa da. As modalidades de tradução aplicadas ao conto “O cobrador”. Dissertação (Mestrado em Linguística). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (Departamento de Linguística), Universidade de São Paulo, São Paulo: 1992 [apud Aubert, 1998].

Tagnin, Stella Esther Ortweiler. “Os corpora: instrumentos de auto-ajuda para o tradutor”. In: Cadernos de tradução, 9, 2002, 191-219.

_____. O jeito que a gente diz: expressões convencionais e idiomáticas. São Paulo: Disal, 2005.

Tagnin, Stella Esther Ortweiler; Teixeira, Elisa Duarte. “Linguística de Corpus e Tradução Técnica - Relato da montagem de um corpus multivarietal de culinária”. In: TradTerm, 10, São Paulo: 2004, 313-358.

Toury, Gideon. “Towards laws of translational behavior”. In: Descriptive Translation Studies and beyond. Amsterdam: John Benjamins, 1995, 259-279.

Venuti, Lawrence. “The translator’s invisibility”. In: Criticism, 18-2, 1986, 179-212.

Weinreich, Uriel. Languages in contact: findings and problems. Haia: Mouton, 1974 [1953].

Wode, Henning. “The L1 vs. L2 acquisition of English negation”. In: Working papers on bilingualism, 15, 1978, 37-57 [apud Larsen-Freeman; Long, 1994 (1991)].

Downloads

Publicado

2017-12-21

Como Citar

MACEDO DE OLIVEIRA, B. Interferência e naturalidade no par português-espanhol: línguas próximas, contraste e ensino de tradução. Caracol, [S. l.], n. 14, p. 130-171, 2017. DOI: 10.11606/issn.2317-9651.v0i14p130-171. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/caracol/article/view/134604. Acesso em: 7 fev. 2023.