Fraseologia com léxico tabu: uma análise contrastiva em corpus paralelo espanhol/português de legendas de filmes argentinos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2317-9651.v0i19p172-199

Palavras-chave:

Léxico tabu, Fraseologia contrastiva, Corpus paralelo espanhol/português, Linguística de corpus, Legendas de filmes argentinos

Resumo

O objetivo deste artigo é identificar e investigar os diferentes tipos de fraseologismos em torno do vocábulo tabu cagar, presente em filmes argentinos, e analisar como foram realizadas suas respectivas traduções ao português brasileiro, num corpus paralelo de legendas alternativas. Nosso corpus de estudo é composto por cinco filmes argentinos, em que prevalece o espanhol rio-platense. A metodologia adotada segue os pressupostos da Linguística de Corpus para a compilação e análise do corpus, com suporte da fundamentação teórica existente na área de Fraseologia e dos Estudos da Tradução. Os resultados apontam para a produtividade de significações do vocábulo cagar e para a importância da consideração integrada de aspectos sintático-semânticos nas análises, essencial para a adequada percepção dos sentidos nos fraseologismos e sua consequente tradução.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ariel Novodvorski, Universidade Federal de Uberlândia

Doutor em Estudos Linguísticos pela UFMG. Professor do Curso de Graduação em Letras/Espanhol e do Programa de Pós-Graduação em Estudos Linguísticos do ILEEL/UFU. Principais áreas de interesse: Estudos Contrastivos Espanhol/Português; Estudos da Tradução; Linguística de Corpus; Linguística Sistêmico-Funcional; Avaliativade; Análise Crítica do Discurso.

Fernanda Ravazzi Lima, Universidade Federal de Uberlândia

Graduação em Letras: Espanhol e Literaturas de Língua Espanhola e Mestre em Estudos Linguísticos pela Universidade Federal de Uberlândia.

Referências

Barlow, Michael. ParaConc, 1.0 (Build 269). Parallel Concordance Software. Houston, USA: Programming, ELF, Ltd., 2004.

Berber Sardinha, Tony. Linguística de Corpus. Barueri, SP: Manole, 2004.

Corpas Pastor, Gloria. Diez años de investigación en fraseología: Análisis sintáctico-semánticos, contrastivos y traductológicos. Madrid: Iberoamericana, 2010.

Corpas Pastor, Gloria. Manual de fraseología española. Madrid: Gredos, 1996.

El hijo de la novia. Direção: Juan José Campanella. Produção: Adrián Suar. Argentina, 2001.

El secreto de sus ojos. Direção: Juan José Campanella. Produção: Mariela Besuievski, Juan José Campanella, Carolina Urbieta. Argentina, 2009.

Governatori, Gerardo; Larocca, Roberto. ¡Qué lo parió, che! Diccionario coloquial de los argentinos. Buenos Aires: Continente, 2014.

Guedelha, Carlos Antônio Magalhães. “Tabus linguísticos como motivação na formação de palavras do PB”. In: Working Papers em Linguística, v. 12, n. 2, p.49-68. 2011. Disponível em: <https://periodicos.ufsc.br/index.php/workingpapers/article/viewFile/19848420.2011v12n2p49/21337>. Acesso em: 16 dez. 2017.

Guérios, Mansur. Tabus Linguísticos. Curitiba: Editora “Organização Simões”, 1956.

Houaiss, A. Dicionário eletrônico Houaiss da língua portuguesa. Versão 3.0, 2009.

Hurtado Albir, Amparo. Traducción y Traductología: Introducción a la Traductología. 4. ed. Madrid: Cátedra, 2008 (2001).

Legendas.TV. Disponível em: <http://legendas.tv/>. Acesso em: 17 set. de 2018.

Moliner, María. Diccionario de uso del español. Edición electrónica, versión, 3.0. Madrid: Editorial Gredos, S.A.U., 2008.

Monteiro, José Lemos. “As palavras proibidas”. In: Revista de Letras, Fortaleza, n. 2, v. 11, p. 11-22, 1986. Disponível em: <http://www.revistadeletras.ufc.br/revista%20vol.11,%20n.2_artigos.pdf>. Acesso em: 16 dez. 2017.

Newmark, Peter. “Métodos de traducción”. In: ________. Manual de traducción. Trad. de Virgilio Moya. 5. ed. Madrid: Cátedra, 2006. p. 69-80.

Novodvorski, Ariel. “Estudo de fraseologia contrastiva em corpus paralelo de filmes argentinos”. In: Zavaglia, Cláudia; Simão, Angélica Karim Garcia. Reflexões, tendências e novos rumos dos estudos fraseoparemiológicos. São José do Rio Preto: UNESP/IBILCE, 2017. p. 72-87.

Novodvorski, Ariel. Linguística de Corpus aplicada a pesquisas empírico-descritivas: tradução, interlíngua, fraseologia, discurso referido e transitividade em contraste. 2015. 30 f. Projeto de pesquisa – Instituto de Letras e Linguística, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2015.

Nueve reinas. Direção: Fabián Bielinsky. Produção: Cecilia Bossi, Pablo Bossi. Argentina, 2000.

Orsi, Vivian. “Tabu e preconceito linguístico”. In: ReVEL, v.9, n. 17, 2011, p. 334-348. Disponível em: <http://www.revel.inf.br/files/artigos/revel_17_tabu_e_preconceito_linguistico.pdf>. Acesso em: 19 dez. 2017.

Parodi, Giovanni. Lingüística de Corpus: de la teoría a la empiria. Madrid: Iberoamericana, 2010.

Preti, Dino. A gíria e outros temas. São Paulo: T. A. Queiroz, 1984.

Preti, Dino. A linguagem proibida: um estudo sobre a linguagem erótica. São Paulo: Queiróz, 1984.

Relatos Salvajes. Direção: Damián Szifron. Produção: Hugo Sigman, Agustín Almodóvar, Pedro Almodóvar. Argentina, 2014.

Scott, Mike. Word Smith Tools, version 6.0. Liverpool: Lexical Analysis Software, 2012.

Tesis sobre un homicidio. Direção: Hernán Goldfrid. Produção: Gerardo Herrero, Diego Dubcovsky. Argentina, 2013.

Zavaglia, Adriana.; Welker, Herbert. “O que é Léxico”. [2008] 2013. In: GTLEX. ANPOLL. Disponível em: . Acesso em: 14 dez. 2017.

Downloads

Publicado

2020-06-24

Como Citar

Novodvorski, A., & Lima, F. R. (2020). Fraseologia com léxico tabu: uma análise contrastiva em corpus paralelo espanhol/português de legendas de filmes argentinos. Caracol, (19), 172-199. https://doi.org/10.11606/issn.2317-9651.v0i19p172-199