Inflação/depreciação monetária e autoridade paremiológia nas Novelas ejemplares cervantinas: a sentença “No es oro todo lo que reluce (brilla)”

Autores

  • Jorge Chen Sham

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2317-9651.v1i6p154-177

Resumo

O artigo estuda o emprego da sentença “No todo lo que brilla (reluce) es oro”, que é uma abreviação do ditado “No es oro todo lo que reluce, ni harina lo que blanquea” em três Novelas Ejemplares, a saber: “Novela de la Gitanilla”, “Novela de la señora Cornelia” e “Novela del casamiento engañoso”. Sendo a sentença que ajuda o indivíduo a discernir e atuar com prudência, o saber paremiológico se utiliza com uma autoridade que se relaciona com o campo léxico da economia e em um contexto de transações em espécie. Seu emprego dentro de uma oposição verdade/mentira sublinha a necessidade de desconfiar daquilo que tem aparência agradável, tanto nas pessoas como em outras coisas; daí seu valor na operação de inflação/depreciação monetária que se translada ao uso figurado da citada sentença.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2013-12-21

Como Citar

SHAM, J. C. Inflação/depreciação monetária e autoridade paremiológia nas Novelas ejemplares cervantinas: a sentença “No es oro todo lo que reluce (brilla)”. Caracol, [S. l.], v. 1, n. 6, p. 154-177, 2013. DOI: 10.11606/issn.2317-9651.v1i6p154-177. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/caracol/article/view/75151. Acesso em: 14 jun. 2021.