A loucura e os latidos. O cinismo nas Novelas Ejemplares de Miguel de Cervantes

Autores

  • Ricardo José Castro García

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2317-9651.v1i6p178-203

Resumo

O cinismo greco-latino foi um dos afluentes mais tenazes e estimulantes da cultura ocidental ao propor uma perspectiva insolente, anti-sistêmica e irônica em contrapeso com o aristetolismo, o platonismo ou o judeu-cristianismo europeu. Talvez por isso mesmo sua sobrevivência no imaginário cultura permaneceu nas margens de discursos oficiais filosóficos e se resguardou na história da literatura humorística e satírica desde Luciano de Samósata até Erasmo de Rotterdam e Quevedo. A obra de Miguel de Cervantes não é indiferente a esta transgressora influência clássica, a qual se faz presente em duas de suas Novelas Ejemplares. “El licenciado Vidriera” e “El coloquio de los perros”, dois dos momentos narrativos mais problemáticos e com maior carga intertextual da coleção.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2013-12-21

Como Citar

GARCÍA, R. J. C. A loucura e os latidos. O cinismo nas Novelas Ejemplares de Miguel de Cervantes. Caracol, [S. l.], v. 1, n. 6, p. 178-203, 2013. DOI: 10.11606/issn.2317-9651.v1i6p178-203. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/caracol/article/view/75152. Acesso em: 21 out. 2021.