“Amei o Cosmim como você amou o seu primeiro amor”

a construção do afeto homoafetivo em O Amor dos Homens Avulsos de Victor Heringer

Autores

  • Antônio Lopes Filho Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1981-7169.crioula.2019.162225

Palavras-chave:

Homoafetividade, Literatura Contemporânea, Victor Heringer

Resumo

O artigo tem como objetivo promover uma leitura crítica sobre a construção das relações homoafetivas no romance O Amor dos Homens Avulsos (2016) de Victor Heringer por meio da perspectiva do silenciamento de algumas personagens na narrativa brasileira contemporânea e da heterossexualidade como regulação comportamental afetuosa. O estudo possui como norte teórico a pesquisa de Regina Dalcastagnè e textos da teoria queer que discutem sexualidade, gênero e virilidade masculina.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Antônio Lopes Filho, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutorando em Literatura na linha de pesquisa Poesia e Aisthesis pela Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC. Seus estudos concentram-se na área da poesia brasileira moderna e contemporânea.

Referências

BOURDIEU, Pierre. A dominação masculina. Tradução de Maria Helena Kühner. 2. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2002.

DALCASTAGNÈ, Regina. A personagem do romance brasileiro contemporâneo. In: A personagem do romance. Edito¬ra de estudos de literatura brasileira contemporânea: Brasília, 2005.

DALCASTAGNÈ, Regina. Personagens e narradores do romance contemporâneo no Brasil: incertezas e ambiguidades do discurso. Diálogos Latino-americanos, Aarhus (Dinamarca), v. 3, p. 114-130, 2001.

FOUCAULT, Michel. A história da sexualidade I – a vontade de saber. Rio de Janeiro: Paz & Terra, 2018.

HERINGER. Victor. Nova chance para vencer a indiferença. Pernambuco: Suplemento Cultural do Diário Oficial do Estado. Recife, 2016. Disponível em: https://www.suplementopernambuco.com.br/edi%C3%A7%C3%B5es-anterio¬res/67-bastidores/1649-nova-chance-para-vencer-a-indiferen%C3%A7a.html. Acesso em 25 mai. 2019.

HERINGER. Victor. Escrever é uma reação um tanto patética contra o desaparecimento inevitável de tudo que existe. [Entrevista concedida a] Márwio Câmara. Jornal Opção. Novo Gama, n. 2158, 12 nov. 2016.

HERINGER. Victor. O amor dos homens avulsos. São Paulo: Companhia das Letras, 2016.

LAURETIS, Teresa de. “A tecnologia do gênero”. Tradução de Susana Bornéo Funck. In.: HOLLANDA, Heloísa Buar¬que de (Org.). Tendências e impasses: o feminismo como crítica da cultura. Rio de Janeiro: Rocco, 1994, p. 206-242.

SEDGWICK, Eve Kosofsky. A epistemologia do armário. Cadernos Pagu. Tradução: Plínio Dentzien. janeiro-junho, 2007. p. 19-54.

SOARES DA SILVA, Leandro. Victor Heringer – o amor dos homens avulsos. Estudos de Literatura Brasilei¬ra Contemporânea. nº 56. Brasília: 2018. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pi¬d=S2316-40182019000100701. Acesso em 23 mai. 2019.

Downloads

Publicado

2019-12-30

Como Citar

Lopes Filho, A. (2019). “Amei o Cosmim como você amou o seu primeiro amor”: a construção do afeto homoafetivo em O Amor dos Homens Avulsos de Victor Heringer. Revista Crioula, (24), 77-97. https://doi.org/10.11606/issn.1981-7169.crioula.2019.162225

Edição

Seção

Dossiê 24: Dissidências de gênero e sexualidade nas literaturas de LP