Música e discurso

Uma análise da música Fricote, de Luiz Caldas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1981-7169.crioula.2020.175838

Palavras-chave:

Análise do discurso; Racismo; Axé Music.

Resumo

O presente artigo faz uma análise discursiva e semântica da questão racial na música Fricote de Luiz Caldas, que integra o axé music. Partindo da Análise do Discurso de base francesa almejamos compreender o que está dito e não-dito, refletir e discutir o teor estético na letra, e ainda trazer um olhar decolonial para o artigo. Como referencial teórico partimos da leitura de Bakhtin, Gomes e Mignolo para observar como o discurso musical pode agir na manutenção do racismo e de ações discriminatórias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alessandra Barbosa Adão, Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB)

Jornalista, Especialista em Comunicação Estratégica, Licenciada em Letras-Português  e escritora. Integra o Grupo de Pesquisa Logotonia da UFSB-CJA (GPA-MAT/CNPq) e na atualidade é mestranda do Programa de Pós-Graduação em Ensino e Relações Étnico-Raciais na Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), campus Jorge Amado (Itabuna). 

Gilsária de Jesus Teixeira, Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB)

Licenciada em Letras pela Universidade Guarulhos SP; Especialista em Leitura e Produção de Texto pela Universidade Estadual de Santa Cruz – UESC; Mestranda em Ensino e Relações Étnico-Raciais/PPGER pela Universidade Federal do Sul da Bahia – Campus Jorge Amado (CJA) – Itabuna (BA)

Referências

BAKHTIN, M. Marxismo e filosofia da linguagem: Tradução Michel Lahud e Yara Frateschi Vieira. São Paulo: Hucitec, 1986.

BALLESTRIN, Luciana. América Latina e o giro decolonial.In.: Revista Brasileira de Ciência Política, Brasília, n.11, p.89-117,2013.

BRITO, Hagamenon. 30 anos de axé:Luiz Caldas e uma geração pioneira que muderam o som do carnaval baiano. Jornal Correio 24 horas. Bahia, 06/02/2015. Disponível em: < https://www.correio24horas.com.br/amp/nid/30-anos-de-axe-luiz-caldas-e-uma-geracao-pioneira-mudaram-o-som-do-carnaval-baiano/ >. Acesso em:10.out.2019

CALDAS,Luiz. 30 anos de axé:Luiz Caldas e uma geração pioneira que muderam o som do carnaval baiano. Jornal Correio 24 horas. Bahia, 06/02/2015. Disponível em: < https://www.correio24horas.com.br/amp/nid/30-anos-de-axe-luiz-caldas-e-uma-geracao-pioneira-mudaram-o-som-do-carnaval-baiano/ >. Acesso em:10.out.2019

CASTRO, A. A. Axé music: mitos, verdades e world music.In.: Per Musi, Belo Horizonte, n.22, p.203-217, 2010.

DUARTE, Eduardo de Assis. Literatura afro-brasileira: um conceito em construção. In.: Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea, nº. 31, Brasília, janeiro-junho, p.11-23, 2008.

FONSECA, M. N. S.; DUARTE, Eduardo. Literatura negra: os sentidos, as ramificações. In: DUARTE, Eduardo de Assis; FONSECA, Maria Nazareth Soares (Orgs.). Literatura e afrodescendência no Brasil: antologia crítica. 2. ed. Belo Horizonte: Editora UFMG; Brasília: SEPPIR, vol. 4, História, teoria, polêmica, p. 245-277, 2014.

GOMES, N. L. Trajetórias escolares, corpo negro e cabelo crespo: reprodução de estereótipos ou ressignificação cultural?. In.: Revista Brasileira de Educação, Belo Horizonte, n.21, p. 40-51, 2002. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo. php? script=sci_arttext&pid=S1413 24782002000300004> Acesso em: 11 mai. 2018.

____________. Alguns termos e conceitos presentes no debate sobre relações raciais no Brasil: uma breve discussão. In: BRASIL. Educação Anti-racista: caminhos abertos pela Lei federal nº 10.639/03. Brasília, MEC, Secretaria de educação continuada e alfabetização e diversidade, p. 39 – 62, 2005.

GUERREIRO, G. A Trama dos Tambores – a música afro-pop de Salvador. São Paulo: Editora 34, 2000.

LEME, Monica Neves. Que “tchan” é esse?:Industria e produção musical no Brasil dos anos 90. São Paulo: Annablume, 2003.

MIGNOLO, Walter D. Aiesthesis Decolonial: Artículo de Reflexion. Calle 14. In.: Revista de Investigación en el Campo del Arte,v.4,n.4,pp.10-25, 2010.

OLIVEIRA, Glécia Carneiro. Música e Resistência: Uma breve análise histórica e discursiva do preconceito racial e social nas músicas da Banda Reflexu´s. In.: UCSal, Salvador (BA), n.3, v. 17, p.246-262, 2014.

ORLANDI, E P.. Análise de discurso: princípios e procedimentos. Campinas (SP): Pontes; 2005.

_____________. Análise de Discurso: princípios & procedimentos. 12ª. ed. Campinas: Pontes, 2015.

PASSOS, F. J. . A urgência de um processo de desconstrução do racismo institucional: uma proposta didático-pedagógica. In.: Revista de Educação, Gestão e Sociedade: revista da Faculdade Eça de Queiros, Ano 1, numero 2, junho de 2011.

SILVA, I. S.. Relações Raciais nos Livros Didáticos de Língua Portuguesa 13 anos após a Lei 10.639/03. In: XIII Congresso Nacional de Educação, 2017. XIII Encontro Nacional de Educação. Curitiba: PUC/PR. p. 18003-18020.

THOMPSON, J. B. Ideologia e Cultura Moderna-Teoria social na era dos meios de comunicação de massa. Vozes. 9 ed. Rio de Janeiro, 1995.

TORRES,Diana J. Vomitorium. Financiación Colectiva Verkami; México.2017

Downloads

Publicado

2021-03-24

Como Citar

Adão, A. B., & Teixeira, G. de J. (2021). Música e discurso: Uma análise da música Fricote, de Luiz Caldas. Revista Crioula, 26(1), 11-22. https://doi.org/10.11606/issn.1981-7169.crioula.2020.175838

Edição

Seção

Dossiê 26: Relações entre literatura e música na produção de língua portuguesa