VIAGEM À RODA DE MACHADO

Autores

  • Leonardo Vieira de Almeida Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio)

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1981-7169.crioula.2010.55251

Palavras-chave:

Conto machadiano, Viagem sentimental, der Doppelgänger, Psicanálise, Teoria da ficção

Resumo

NO CONTO “VIAGEM À RODA DE MIM MESMO”, MACHADO DE ASSIS DIALOGA NÃO SÓ COM AUTORES QUE TRATARAM DA CARACTERIZAÇÃO DE UM NOVO TIPO DE VIAJANTE, O FLÂNEUR SENTIMENTAL, MAS ESTABELECE UM CONTRAPONTO EM SUA RELEITURA DO TERMO DER DOPPELGÄNGER. ASSIM, A HIPÓTESE DESTE ENSAIO É MOSTRAR COMO A “VIAGEM” SE APRESENTA COMO DESMITIFICAÇÃO DA CORRENTE LITERÁRIA DO FANTÁSTICO E INSCRIÇÃO DO PRÓPRIO DUPLO FICCIONAL.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leonardo Vieira de Almeida, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio)

Doutorando em Estudos de Literatura Brasileira na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), desenvolve a pesquisa Grande Sertão: Veredas: pacto e promessa.

Downloads

Publicado

2010-05-01

Como Citar

Almeida, L. V. de. (2010). VIAGEM À RODA DE MACHADO. Revista Crioula, (7). https://doi.org/10.11606/issn.1981-7169.crioula.2010.55251