PELA “ESCADA” DE JORGE ANDRADE: O NASCIMENTO DE UMA TRAJETÓRIA ENTRE A MEMÓRIA E A HISTÓRIA

  • Berilo Luigi Deiró Nosella Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO)
Palavras-chave: Jorge Andrade, Dramaturgia brasileira moderna, Memória e história, Desenraizamento

Resumo

O PRESENTE ARTIGO PROPÕE REALIZAR UMA ANÁLISE DA RELAÇÃO ENTRE AS CATEGORIAS DE MEMÓRIA E HISTÓRIA, NUMA TRAJETÓRIA QUE CAMINHA DA MEMÓRIA INDIVIDUAL DE JORGE ANDRADE PARA A MEMÓRIA COLETIVA BRASILEIRA, E COMO ESTA TRAJETÓRIA ORGANIZA-SE INTERNAMENTE NO CICLO MARTA, A ÁRVORE E O RELÓGIO. PARA REALIZÁ-LO, TOMAREMOS COMO OBJETO O TEXTO DRAMATÚRGICO A ESCADA, POR SER O REFERIDO UM PONTO NEVRÁLGICO DO CICLO, ONDE INICIA-SE, DE FORMA MAIS RADICAL, A AMPLIAÇÃO DA MEMÓRIA INDIVIDUAL DO AUTOR PARA A COLETIVA A PARTIR DA REPRESENTAÇÃO DO PROCESSO DE DESENRAIZAMENTO HUMANO DESENCADEADO PELA URBANIZAÇÃO MODERNA.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Berilo Luigi Deiró Nosella, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO)
Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas da UNIRIO na linha de pesquisa em História e Historiografia do Teatro sob orientação do Profa. Dra. Maria de Lourdes Rabetti (Beti Rabetti) onde desenvolve a pesquisa “Luigi Pirandello e Jorge Andrade entre o texto e a cena: a metateatralidade como espelho de nossa formação estético cultural moderna”, com bolsa CAPES.
Publicado
2011-11-01
Como Citar
Nosella, B. (2011). PELA “ESCADA” DE JORGE ANDRADE: O NASCIMENTO DE UMA TRAJETÓRIA ENTRE A MEMÓRIA E A HISTÓRIA. Revista Crioula, (10). https://doi.org/10.11606/issn.1981-7169.crioula.2011.55485
Seção
Dossiê: Dramaturgias em Língua Portuguesa