DE ALIMA A XILIM: A MEMÓRIA ANCESTRAL E O COLONIALISMO NO ROMANCE PORTAGEM, DE ORLANDO MENDES

Autores

  • Clauber Ribeiro Cruz Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" (UNESP-FCL/Assis)

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1981-7169.crioula.2012.55534

Palavras-chave:

Memória, Espaço ancestral, Exílio, Literatura Moçambicana, Portagem

Resumo

ESTE TRABALHO ANALISA OS TRAÇOS DA ANCESTRALIDADE NO ESPAÇO DA MEMÓRIA A PARTIR DA RESISTÊNCIA EM MEIO À SITUAÇÃO COLONIAL VIVENCIADA POR MOÇAMBICANOS NAS DÉCADAS DE 60 E 70 DO SÉCULO XX. PARA ISSO, O ROMANCE PORTAGEM (1966), DO ESCRITOR MOÇAMBICANO ORLANDO MENDES (1916-1990), MOSTRARÁ COMO A ANCESTRALIDADE, JUNTO AO ESPAÇO COLONIAL, SE POSICIONA DENTRO DO PROCESSO DE FORMAÇÃO DA LITERATURA E DA SOCIEDADE MOÇAMBICANA.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Clauber Ribeiro Cruz, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" (UNESP-FCL/Assis)

Mestrando.

Downloads

Publicado

2012-05-01

Como Citar

Cruz, C. R. (2012). DE ALIMA A XILIM: A MEMÓRIA ANCESTRAL E O COLONIALISMO NO ROMANCE PORTAGEM, DE ORLANDO MENDES. Revista Crioula, (11). https://doi.org/10.11606/issn.1981-7169.crioula.2012.55534

Edição

Seção

Dossiê: Polícia, Política e Literatura