A FALA DA PERIFERIA NA OBRA CIDADE DE DEUS

  • Marilene Rosa Miola Centro Universitário Ritter dos Reis
Palavras-chave: Cidade de Deus, Violência, Linguagem periférica

Resumo

O OBJETIVO DESTE ARTIGO É ANALISAR O LIVRO CIDADE DE DEUS, DE PAULO LINS (2002), E REFLETIR SOBRE SUA FALA E FRUIÇÃO NA LITERATURA PERIFÉRICA. A NARRATIVA TEM COMO PROTAGONISTA A PRÓPRIA FAVELA E ESTÁ DIVIDIDA EM TRÊS GRANDES CAPÍTULOS, REPRESENTADOS NAS HISTÓRIAS DE INFERNINHO, PARDALZINHO E ZÉ MIÚDO. ATRAVÉS DESSES PERSONAGENS, O AUTOR DESCREVE MINUCIOSAMENTE O COTIDIANO DA MISÉRIA, DO CRIME E DA DISSEMINAÇÃO DA VIOLÊNCIA NA MESMA PROPORÇÃO DO DECLÍNIO DA NATUREZA. APRESENTA, ENFIM, OS BASTIDORES DE UMA AUTORREPRESENTAÇÃO LITERÁRIA.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marilene Rosa Miola, Centro Universitário Ritter dos Reis
Mestranda PPGL em Letras. Centro Universitário Ritter dos Reis/RS. A EAD como alternativa de formação de mediadores de leitura.
Publicado
2012-05-01
Como Citar
Miola, M. (2012). A FALA DA PERIFERIA NA OBRA CIDADE DE DEUS. Revista Crioula, (11). https://doi.org/10.11606/issn.1981-7169.crioula.2012.55538
Seção
Dossiê: Polícia, Política e Literatura