A EXPERIÊNCIA EM ÁFRICA PARA AS LÍNGUAS DE HELDER E COETZEE

Autores

  • Carolina Anglada Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1981-7169.crioula.2013.64218

Palavras-chave:

Linguagem, Literatura Comparada, Herberto Helder, J.M. Coetzee

Resumo

 O presente ensaio aborda a relação que o escritor português Herberto Helder e o sul-africano J. M. Coetzee estabelecem com a linguagem, a partir de suas experiências em África. Ao comparar obras dos dois autores, objetiva-se perceber como as práticas e fatos decorrentes da permanência em África condicionam, no caso de Helder, seu método tradutório e, em Coetzee, o estatuto de indiscernibilidade e impropriedade que a língua assume em sua obra.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carolina Anglada, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Mestranda em Literaturas Modernas e Contemporâneas (UFMG)

Downloads

Publicado

2014-07-15

Como Citar

Anglada, C. (2014). A EXPERIÊNCIA EM ÁFRICA PARA AS LÍNGUAS DE HELDER E COETZEE. Revista Crioula, (13). https://doi.org/10.11606/issn.1981-7169.crioula.2013.64218

Edição

Seção

Artigos e ensaios