O quadrado semiótico greimasiano: herança e transformação

Autores

  • Eliane Domaneschi

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1980-4016.esse.2017.140738

Resumo

Este artigo centra sua reflexão na estrutura elementar da significação, ou quadrado semiótico, como
postulada por Algirdas Julien Greimas, com especial atenção às relações que estruturam esse modelo, para a
partir daí propor uma leitura crítica e, na medida do pertinente, comparativa de pontos específicos de teorias
desenvolvidas por três outros autores: Aristóteles, o filósofo grego, Robert Blanché, filósofo francês estruturalista
do século XX, e Claude Zilberberg, semioticista francês que trabalha hoje desenvolvendo a teoria semiótica
tensiva. Apesar de produzidos sob paradigmas disciplinares distintos e, portanto, incomensuráveis, é possível
identificar nos textos escolhidos pontos de contato, remissão e interlocução. Juntos, eles formam o pano de
fundo sobre o qual procuraremos discernir o que se pode entender hoje como herança e transformação do
quadrado semiótico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-11-20

Como Citar

Domaneschi, E. (2017). O quadrado semiótico greimasiano: herança e transformação. Estudos Semióticos, 13(spe), 51-58. https://doi.org/10.11606/issn.1980-4016.esse.2017.140738

Edição

Seção

Artigos