As intersemióticas

Autores

  • Sémir Badir FNRS / Université de Liège. Endereço para correspondência: semir.badir@ulg.ac.be

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1980-4016.esse.2013.61241

Palavras-chave:

intersemiótica, Louis Hjelmslev, relato

Resumo

A exemplo de algumas noções já familiares, cuja definição, no entanto, nem sempre pode ser julgada satisfatória sob o ponto de vista da precisão semântica, tais como as noções de intertexto, interdiscurso ou interlíngua, o conceito de "intersemiótica" exige, antes de mais nada, que se explicitem as relações entre determinado "objeto" e seu correspondente "inter-objeto" em foco. Para o estudo das intersemióticas, este trabalho propõe, em primeiro lugar, três grandes distinções : (i) uma distinção entre plano da expressão e plano do conteúdo ; (ii) entre estrutura formal e manifestação ; (iii) entre as apreensões paradigmática e sintagmática. A seguir, mantendo em mente os ensinamentos de Hjelmslev a propósito dos tipos semióticos (Résumé of a theory of language), introduz-se uma tipologia das intersemióticas com base em dois critérios, o do "valor temporal" (cronossintaxes vs. topossintaxes) e o do "valor coesivo" (sintaxes coesivas vs. sintaxes dispersivas) das formas estruturais. Assim se esboça uma primeira distribuição de quatro diferentes intersemióticas — relatos, deduções, argumentações e descrições ; cada um desses quatro tipos é passível de se concretizar mediante múltiplas possibilidades de manifestação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2013-06-18

Como Citar

Badir, S. (2013). As intersemióticas. Estudos Semióticos, 9(1), 1-12. https://doi.org/10.11606/issn.1980-4016.esse.2013.61241

Edição

Seção

Artigos