A (hiper)leitura digital e o livro didático: um olhar filológico para a leitura literária na Educação Básica

Autores

  • Elizabeth Mota Nazareth de Almeida Universidade Estadual de Feira de Santana
  • Patrício Nunes Barreiros Universidade Estadual de Feira de Santana

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-9419.v22i2p213-232

Palavras-chave:

Filologia, Língua portuguesa, Livro didático, Hipermídias

Resumo

Este artigo objetiva apresentar as características dos textos literários referenciados pelo livro didático, a partir dos suportes impressos e digitais e suas implicações filológicas no contexto da (hiper)leitura nas aulas de Língua Portuguesa, na Educação Básica. Para isso, analisou-se os textos literários presentes no livro de Cereja, Vianna e Codenhoto (2016), Português Contemporâneo: Diálogo, reflexão e uso, do 1º ano do Ensino Médio, traçando um paralelo entre suas características em diferentes suportes (papel e tela) e a leitura filológica. Como aporte teórico, foram utilizados os estudos de Chartier (1999, 2001), Lévy (1999), Dionísio (2006), Coscarelli (2009), e Rojo (2012) para análise das características dos textos presentes no meio digital e Santaella (2004), que aborda questões sobre o perfil do hiperleitor. Em relação às potencialidades da leitura filológica para a formação leitora na Escola Básica, foram tomados como base Petrucci (1992), Chartier (2002), Said (2007) e Borges e Souza (2012). Como resultado, observou-se que, ao se desenvolver práticas leitoras na Escola Básica, faz-se necessário explorar as potencialidades oferecidas pelo ambiente digital, levando em consideração um olhar humanista e filológico de leitura, com foco na formação de leitores críticos e inseridos em uma sociedade tecnológica digital.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elizabeth Mota Nazareth de Almeida, Universidade Estadual de Feira de Santana

Doutoranda em Linguística, pelo Programa de Pós-Graduação em Estudos Linguísticos (PPGEL) da Universidade Estadual de Feira de Santana (2019 - ). Mestra em Letras pelo Programa de Pós-graduação em Letras - Mestrado Profissional da Universidade Estadual de Feira de Santana (2018), desenvolvendo em sua pesquisa a Plataforma Digital de Aprendizagem Colaborativa, intitulada Portal Cibernautas, pesquisando as contribuições da escrita colaborativa em rede para a ampliação da competência escritora dos estudantes. Atuou como professora supervisora do Subprojeto Letras/Inglês do PIBID/UEFS/CAPES, supervisionando 06 bolsistas de Iniciação à Docência no período de 2013-2015, desenvolvendo projetos ligados às Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação aliados ao ensino-aprendizagem de línguas, além das práticas de multiletramentos. Concursada pela Secretaria Estadual de Educação da Bahia desde 2007, onde atua como docente no Centro Estadual de Educação Profissional em Saúde do Centro Baiano - antigo Colégio Estadual de Feira de Santana (2007 - presente), lecionando as disciplinas de Língua Portuguesa e Língua Estrangeira Moderna - Inglês. Possui especialização em Psicopedagogia Institucional, pela Universidade Castelo Branco/RJ (2008). Graduada em Letras - Licenciatura Plena (dupla habilitação Português/Inglês) pela Universidade Estadual de Feira de Santana (2004). Possui experiência atuando principalmente nas áreas ligadas às Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação em Educação, leitura e escrita na cibercultura, ambientes de aprendizagem colaborativa, formação de professores, estudo de multiletramentos e processos de ensino-aprendizagem em línguas.

Patrício Nunes Barreiros, Universidade Estadual de Feira de Santana

Professor Titular do Departamento de Letras e Artes da Universidade Estadual de Feira de Santana com atuação nos cursos de Licenciatura em Letras, nos Programas de Pós-Graduação em Estudos Linguísticos, em Estudos Literários e no Mestrado Profissional em Letras (PROFLETRAS). Licenciado em Letras (Português e Espanhol) e mestre em Literatura e Diversidade Cultural pela UEFS, doutor em Letras e Linguística pela UFBA. Realizou estágio de pós-doutorado no Instituto de Estudos Brasileiros da Universidade de São Paulo, com auxílio da CAPES (Projeto PROCAD Edital 071/2013, Proposta N. 156888). Participou de uma missão científico na Universidad de Alcalá de Henares, na Espanha. Atuou na Educação Básica como professor, coordenador e consultor pedagógico. Desde 1999, pesquisa o escritor Eulálio de Miranda Motta, organizou e é responsável pelo acervo do referido escritor. Coordena o projeto de dição das obras inéditas de Eulálio Motta, que conta com financiamento do CNPq (Edital Universal 01/2016 - PROCESSO: 422310/2016-6) e da FAPESB (Edital 08/2015 Jovem Cientista Baiano). Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Crítica Textual (edições digitais), Estudos Literários (Eulálio Motta, acervos de escritores e ensino de literatura) e Estudos do Léxico (Marcadores Culturais na tradução de obras literárias Português-Espanhol). As pesquisas que realiza estão relacionadas às Humanidades Digitais, em projetos que visam o desenvolvimento de modelos de edições digitais, recursos didáticos digitais para ensino de língua e literatura, e elaboração de dicionário online bilíngue de marcadores culturais. Tem participado de eventos científicos no Brasil e no exterior e publicado livros, capítulos de livros e artigos nas áreas científicas que atua. É editor das revistas A Cor das Letras e Légua & Meia, membro do GT de Lexicologia, Lexicografia e Terminologia da ANPOLL. É Líder do Grupo de Pesquisa Estudos Interdisciplinares em Humanidades Digitais, Filologia e Acervos de Escritores (CNPq). Em 2014, criou o Núcleo de Estudos Interdisciplinares em Humanidades Digitais (neiHD) e foi seu coordenador no período de 2014 a 2018. Na UEFS, assumiu diversos cargos administrativos e coordenações, tais como: coordenação da área de Língua Espanhola do Projeto Universidade para Todos (2004-2005); coordenação do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID), subprojeto Língua Espanhola (2014-2018); coordenação de colegiado do curso de Letras: Português e Espanhol (2015-2017), sendo presidente da comissão de reformulação do currículo do curso; coordenação da área de línguas e literaturas estrangeiras (2004-2007/2014-2015); vice-coordenação do Profletras (2015-2017) e coordenador do PPGEL/UEFS (2019-2020). Foi representante do Departamento de Letras no comitê de iniciação científica (2013-2014), do forum das Licenciaturas (2016-2018) e da Comissão de Educação a Distância da UEFS. Atualmente, é representante do Departamento de Letras Artes no comitê de periódicos.

Referências

Barreiros PN. O pasquineiro da roça: edição dos panfletos de Eulálio Motta [tese]. Salvador: Universidade Federal da Bahia; 2013. [citado 20 fev. 2020]. Disponível em: https://filologiauefs.files.wordpress.com/2018/01/o-pasquineiro-da-roc3a7a-tese-patrc3adcio-barreiros.pdf.

Borges R, Souza AS. Filologia e edição de texto. In: Borges R, et al. Edição de textos e crítica filológica. Salvador: Quarteto; 2012.

Brasil. Ministério da Educação. Programa Nacional do Livro Didático (PNLD): língua portuguesa - guia de livros didáticos. Brasília: Ministério da Educação; 2018. [citado 20 mar. 2020]. Disponível em: http://www.fnde.gov.br/pnld-2018/.

Brasília. Edital de convocação nº 04/2015. Edital de convocação para o processo de inscrição e avaliação de obras didáticas para o Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) 2018. Brasília: Ministério da Educação; 2015. [citado 20 fev. 2020]. Disponível em: https://www.fnde.gov.br/index.php/programas/programas-do-livro/consultas/editais-programas-livro/item/7932-pnld-2018.

Cambraia CN. Introdução à crítica textual. São Paulo: Martins Fontes; 2005.

Cereja WR, Vianna CA, Codenhoto CD. Português contemporâneo: diálogo, reflexão e uso. 1.ª ed. São Paulo: Saraiva; 2016.

Chartier R. A aventura do livro - do leitor ao navegador. São Paulo: Editora da UNESP; 1999.

Chartier R. Cultura escrita, literatura e história: conversas de Roger Chartier com Carlos Aguirre Anaya, Jesús Anaya Rosique, Daniel Goldin e Antonio Saborit. Porto Alegre: ARTMED; 2001.

Chartier R. Os desafios da escrita. São Paulo: UNESP; 2002.

Coscarelli CV. Textos e hipertextos: procurando o equilíbrio. Linguagem em (Dis)curso. 2009;9(3):549-564. [citado 20 dez. 2017]. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ld/v9n3/06.pdf.

Dionísio AP. Multimodalidade discursiva na atividade oral e escrita (atividades). In: Marcuschi LA, Dionisio AP, organizadores. Fala e Escrita. Belo Horizonte: Autêntica; 2006.

Duarte LF. Glossário de Crítica Textual [dissertação]. Lisboa: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa; 1997.

Gumbrecht HU. Los poderes de la Filología: dinámicas de una práctica académica del texto. México: Universidad Iberoamericana; 2007.

Kress G, Van Leeuwen T. Front pages: (the critical) analysis of newspaper layout. In: Bell A, Garret P, editors. Approaches to media discourse. Oxford: Blackwell Publishing; 1998. p. 186-219.

Lévy P. Cibercultura. São Paulo: Editora 34; 1999.

Mcgann J. The rationale of hypertext. In: Sutherland K. Electronic text, investigations in method and theory. Oxford: Clarendon Press; 1997. p. 19-46.

McKenzie DF. Bibliografia e a sociologia dos textos. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo; 2018.

Mendes MG. A fidedignidade dos textos nos livros didáticos de comunicação e expressão no Brasil. I Encontro de Crítica Textual: o manuscrito moderno e as edições; 16-20 setembro 1985; São Paulo, SP. In: Anais do I Encontro de Crítica Textual: o manuscrito moderno e as edições. São Paulo: FFLCH-USP; 1986. p. 163-174.

Nogueira Jr A. Releituras [internet]. [citado 20 ago. 2020]. Disponível em: http://www.releituras.com/.

Petrucci A. Breve storia della scrittura latina. Roma: Bagatto Libri; 1992.

Rojo RHR. Pedagogia dos multiletramentos: diversidade cultural e de linguagem na escola. In: Rojo RHR, Moura E, organizadoras. Multiletramentos na escola. São Paulo: Parábola Editorial; 2012. p. 11-32.

Said E. Humanismo e crítica democrática. Trad. Rosaura Eichenberg. São Paulo: Cia das Letras; 2007.

Santaella L. Navegar no ciberespaço: o perfil cognitivo do leitor imersivo. São Paulo: Paulus; 2004.

Santiago-Almeida MM, Morandini GG, Silva LBA. A crítica textual pula o muro da escola. Linha D'Água (Online). 2018;31(2):159-176. [citado 15 abr. 2019]. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/linhadagua/article/view/146148.

Telles CM. Que textos são oferecidos aos estudantes?. Revista do GELNE. 2016;5(1/2):21-28. [citado 13 fev. 2021]. Disponível em: https://www.periodicos.ufrn.br/gelne/article/view/9431.

Downloads

Publicado

2020-12-30

Como Citar

Almeida, E. M. N. de, & Barreiros, P. N. (2020). A (hiper)leitura digital e o livro didático: um olhar filológico para a leitura literária na Educação Básica. Filologia E Linguística Portuguesa, 22(2), 213-232. https://doi.org/10.11606/issn.2176-9419.v22i2p213-232

Edição

Seção

Artigos