A RESERVA LEGAL DO PARANÁ E OS DESAFIOS À SUA IMPLANTAÇÃO: UM ESTUDO SOBRE OS PRODUTORES RURAIS NO MUNICÍPIO DE PARANACITY - PR

Autores

  • Alba Regina Azevedo Arana Universidade de São Paulo
  • Gláucia Baldassi Universidade do Oeste Paulista

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2009.74129

Palavras-chave:

Reserva legal, legislação ambiental, produtores rurais, conservação ambiental, Paranacity.

Resumo

O presente trabalho procura discutir a Reserva Legal (RL) no estado do Paraná, apresentando os aspectos que dificultam sua implantação, especialmente junto aos produtores rurais no município de Paranacity. A legislação obriga o produtor rural a recompor e/ou preservar 20% de suas propriedades como Reserva Florestal Legal. Tal obrigação, de maneira geral, não é bem vista pelos proprietários devido ao fato de que, aparentemente, torna improdutiva uma parcela significativa de suas áreas. O estudo procurou mostrar os diversos argumentos favoráveis e contrários à implantação da RL em 20% da propriedade rural. A metodologia utilizada recaiu numa pesquisa aplicada junto aos produtores rurais do município. Por meio da pesquisa de campo, verificou-se que os produtores rurais têm consciência da importância da implantação da RL, contudo, temem os impactos imediatos no sistema produtivo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alba Regina Azevedo Arana, Universidade de São Paulo

Geógrafa pela Unesp de Presidente Prudente-SP, Mestre e Doutora em Geografia pela Universidade de São Paulo, Professora da Graduação e Pós-Graduação da Unoeste. Diretora da Faclepp- Faculdade de Ciências, Letras e Educação da Uoeste de Presidente Prudente. Coordenadora do Curso de Gestão Ambiental da Unoeste.

Gláucia Baldassi, Universidade do Oeste Paulista

Bióloga pela Unipar – Universidade Paranaense e Pós-Graduação em Gestão Ambiental pela Universidade do Oeste Paulista.

Referências

BLUM, C. e OLIVEIRA, R. Reserva florestal Legal no Paraná , alternativas de recuperação e utilização sustentável, 2005. www.biodiversidade.rs.gov.br/arquivos

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988.www.planalto.gov.br

CONSTITUIÇÃO POLÍTICA DO IMPÉRIO DO BRASI L (de 25 de mar ço de 1824). www.planalto.gov.br

EHLERS, E., Agricultura sustentável: origens e perspectivas de um novo paradigma. 2. ed. Guaíba: Agropecuária, 1999. Resumos do VCBA - Uso e Conservação de Recursos Naturais Rev. Bras. de Agroecologia/out. 2007 Vol.2 No.2.

FREITAS, V.P. A constituição federal e a efetividade das normas ambientais. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2000. 246 p.

QUEIROZ, Suely Robles Reis de. Espaço público e privado em depoimentos orais. In: Teresa M. Malatian; Marisa Saenz Leme; Ivam A Manoel. (Org.). As múltiplas dimensões da política e da narrativa. São Paulo: UNESP/Olho d’Água, 2004.

GAZETA MERCANTIL. Lavouras do PR foram devastadas há 30. Disponível em: www.gazetamercantil.com.br, acesso: em abril de 2005.

GÓMEZ, J .R .M . Políticas públicas de desenvolvimento rural e o projeto de reforma agrária do MST no Noroeste do Paraná: Uma contribuição ao entendimento do conflito capital x trabalho, da gestão territorial do Estado e do controle social do capital. Dissertação (Mestrado em geografia) – Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2002.

GOVERNO do ESTADO do PARANÁ. Disponível em: www.parana.gov.br, acesso maio/2005.

IPARDES. Cadernos Estatísticos: Município de Paranacity. Disponível em www.ipardes.gov.br, acesso em abril de 2006.

JOELS, L.M. Reserva legal e gestão ambiental da propriedade rural: um estudo comparativo de agricultores orgânicos e convencionais do Distrito Federal . 2002 . Disponível em: . Acessado em 12 ago. 2005.

IBGE - INSTITUTO BRASILEIRO DE ESTATÍSTICA E GEOGRAFIA. Censo agropecuário 1995 e 2000.Disponível em: www.ibge.gov.br, acesso em março/2005.

IBGE. Censo Agropecuário 1995–1996. Disponível em:<http://www.ibge.gov.br/>. Acesso em: 14 mar. 2007.

INSTITUTO AMBIENTAL DO PARANÁ, Governo do Estado - Legislação Ambiental, 2005.Disponível em: . Acesso em: 18 jul. 2005.

MORAES, L.C.S. Código florestal comentado. 2. ed. Atlas, São Paulo: 2000. 272p.

PADILHA JUNIOR, João Batis ta e BERGER, Ricardo. O impacto da Reserva Legal Florestal sobre a agropecuária paranaense, em um ambiente de risco. Revista FAE, Curitiba. v.8, n.1. p.51-68, jan/jun.2005.

PNUD. Atlas do Desenvolvimento Humano do Brasil. Brasília, 2002.

RIBEIRO, J. A. Campanha de valorização das reservas legais e matas ciliares. 2. ed. Ministério do Meio Ambiente. Porto Velho: 2001. 41 p.

SALAMUNI , R. His tória do Paraná. Vol. 3, Grafipar.Curitiba: 1969, 107 p.

SEMA. Secretaria Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Paraná. Atlas da Vegetação do Estado do Paraná – 2002. Disponível em: <http://www.pr.gov.br/sema/atlas.shtml>. Acesso em: 20 mai. 2003.

FUPEF & SEMA. Mapeamento dos Remanescentes da Floresta Estacional Semidecidual. Curitiba: FUPEF – SEMA, 2002. 69 p. Relatório técnico.

Downloads

Publicado

2009-12-30

Como Citar

ARANA, A. R. A.; BALDASSI, G. A RESERVA LEGAL DO PARANÁ E OS DESAFIOS À SUA IMPLANTAÇÃO: UM ESTUDO SOBRE OS PRODUTORES RURAIS NO MUNICÍPIO DE PARANACITY - PR. GEOUSP Espaço e Tempo (Online), [S. l.], v. 13, n. 2, p. 79-92, 2009. DOI: 10.11606/issn.2179-0892.geousp.2009.74129. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/geousp/article/view/74129. Acesso em: 27 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos