No princípio era o rock, e o rock estava na Caverna de Adulão, e o rock era a Caverna de Adulão

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2525-3123.gis.2022.185630

Palavras-chave:

Comunidade Caverna de Adulão, Rock pesado e heavy metal, Tribos urbanas headbangers, Religião e cultura, Sociabilidade e espiritualidade

Resumo

Neste artigo apresentaremos como o rock pesado de uma forma geral com o heavy metal e seus subgêneros, foi capaz de fomentar uma forma de pertencimento e sociabilidade no início da Comunidade Caverna de Adulão em Belo Horizonte. O que notamos com a pesquisa é que no princípio o rock se tornou o elemento fundador principal na socialização dos jovens para comunicar o Evangelho na própria linguagem e cultura da tribo urbana headbanger e posteriormente, outros elementos entraram em seu lugar. A metodologia consistiu em revisão bibliográfica, tendo como teórico principal o sociólogo Michel Maffesoli em diálogo com outros autores. Na pesquisa de campo utilizamos o método socioantropológico-etnográfico que aconteceu com a observação participante e com a técnica de grupo focal.   

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Flávio Lages Rodrigues, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais

Flávio Lages Rodrigues é Teólogo, Cientista da Religião e Músico. Doutorando em Ciências da Religião pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC MINAS), com a pesquisa intitulada “O rock como uma espiritualidade não religiosa. Estuda sobre rituais, sociabilidades e cosmovisão de roqueiros sem religião em Belo Horizonte.” É Mestre em Ciências da Religião pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC MINAS), com a dissertação “O fenômeno religioso entre os jovens nas tribos urbanas: uma análise da relação cultura e religião na Comunidade Caverna de Adulão – Belo Horizonte/MG.” Cursou graduação com o Bacharelado em Teologia (2005) e Especialização em Teologia Sistemática (2007) pela Faculdade Evangélica de Teologia de Belo Horizonte (FATE-BH). Desde 2015, integra o Grupo de Pesquisa Religião e Cultura do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Religião da PUC Minas. E-mail: flavioposttrevor@yahoo.com.br

Referências

Baggio, Sandro. Revolução na música gospel: um avivamento musical em nossos dias. São Paulo: Exodus, 1997.

BÍBLIA Sagrada Revista e Corrigida. São Paulo: SBB, 2013.

Brakemeier, Gottfried. Por que ser cristão? Dez boas razões para crer em Jesus Cristo, crer na ressurreição, viver em comunidade, ler a Bíblia, amar o próximo. São Leopoldo: Sinodal, 2004.

Brandini, Valéria. Cenários do Rock: mercado, produção e tendências no Brasil. São Paulo: Olho D’água, 2004.

Calvani, Carlos Eduardo B. Teologia e MPB. São Paulo: Loyola, 1998.

Christe, Ian. Heavy metal: a história completa. São Paulo: Benvirá, 2010.

Costa, Márcia Regina da. Os carecas de Cristo e as tribos urbanas do underground Evangélico. In: PAIS, José Machado, Blass, Leila Maria da Silva. (Org.). Tribos urbanas: produção artística e identidades. São Paulo: Annablume, 2004. p. 43-69.

Durkhein, Émile. As formas elementares de vida religiosa. 2. ed. São Paulo: Paulus, 1989.

Durkhein, Émile. As Regras do Método Sociológico. São Paulo: Martin Claret, 2011.

Lopes, Pedro Alvim Leite. Heavy Metal no Rio de Janeiro e a dessacralização de símbolos religiosos: a música do Demônio na cidade de São Sebastião das terras de Vera Cruz. Tese (Doutorado em Antropologia Social) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2006.

Maffesoli, Michel. O tempo das tribos: o declínio do individualismo nas sociedades de massa. 4. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2010.

Magnani, José Guilherme Cantor. Os circuitos dos jovens urbanos. Tempo Social, São Paulo, v. 17, n. 2, 2005. Disponível em:http://www.revistas.usp.br/ts/article/view/12475/14252. Acesso em: 08 abr. 2016.

METAL: A Headbanger's Journey. Direção: Sam Dunn; Scot McFadyen e Jessica Wise. Canada: Independent Product, 2005. 1 vídeo (92). Son., color. Publicado por Lançamentos do Metal. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=yHekU5x2hx8&t=2542s. Acesso em: 15 set. 2021.

Pais, José Machado; BLASS, Leila Maria da Silva. (Org.). Tribos urbanas: produção artística e identidades. São Paulo: Annablume, 2004.

Pinto, Flávia Slompo. Radicalmente santos: O rock’n’roll e o underground na produção da pertença religiosa entre os jovens. Revista Proa, Campinas, v. 1, n. 1, 2009. Disponível em: http: //www.ifch.unicamp.br/ojs/index.php/proa/artichle/viewFile/2397/1810. Acesso em: 15 jan. 2017.

Rodrigues, Flávio Lages. A liberdade do Espírito na vida e no rock. Rio de Janeiro: MK, 2007.

Rodrigues, Flávio Lages. A linguagem, a estética e a ideologia na música rock entre os jovens na Comunidade Caverna de Adulão em Belo Horizonte. Interações, Belo Horizonte, v. 16, n. 1, p. 93-117, 2021. Disponível em: http://periodicos.pucminas.br/index.php/interacoes/article/view/18284. Acesso em: 01 maio 2021.

Rodrigues, Flávio Lages. A utilização da música rock no diálogo inter-religioso e intercultural. Reflexus, Vitória, v. 13, n. 22, p. 669-697, 2019a. Disponível em: http://revista.faculdadeunida.com.br/index.php/reflexus/article/view/914. Acesso em: 16 dez. 2019.

Rodrigues, Flávio Lages. As trajetórias da música rock na Comunidade Caverna de Adulão. Interações, Belo Horizonte, v. 15, n. 1, p. 197-213, 2020a. Disponível em: http://periodicos.pucminas.br/index.php/interacoes/article/view/17515. Acesso em: 13 jul. 2020.

Rodrigues, Flávio Lages. Comunidade Caverna de Adulão: rock como fator de socialização. Caminhos, Goiânia, v. 18, n. 1, p. 234-251, 2020b. Disponível em: http://seer.pucgoias.edu.br/index.php/caminhos/article/view/7498/4369. Acesso em: 22 jul. 2020.

Rodrigues, Flávio Lages. Deus na música rock: uma visão ecológica dos grupos headbanger’s e outros grupos juvenis na Comunidade Caverna de Adulão. In: Penna, Heloísa Maria Moraes Moreira; AVELLAR, Júlia Batista Castilho de; Carvalho, Rodrigo Ladeira. (Orgs.). Deus(es) na literatura. Belo Horizonte: Relicário, 2018a. p. 203-215.

Rodrigues, Flávio Lages. Igrejas e Comunidades underground’s: novos modelos eclesiais? Plura, Juiz de Fora, v. 8, n. 2, p. 185-205, 2017. Disponível em: http://www.abhr.org.br/plura/ojs/index.php/plura/article/viewFile/1468/pdf_221. Acesso em: 07 abr. 2019.

Rodrigues, Flávio Lages. O fenômeno religioso entre os jovens nas tribos urbanas: uma análise da relação cultura e religião na Comunidade Caverna de Adulão - Belo Horizonte/MG. 2018. Dissertação (Mestrado em Ciências da Religião) – Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2018b.

Rodrigues, Flávio Lages. O rock como estratégia de evangelização. 2005. Monografia (Bacharel em Teologia) – Faculdade Evangélica de Teologia de Belo Horizonte, 2005.

Rodrigues, Flávio Lages. O rock como possibilidade para uma espiritualidade não- religiosa. Caminhos, Goiânia, v. 17, n. 1, p. 173-192, 2019b. Disponível em: http://seer.pucgoias.edu.br/index.php/caminhos/issue/view/315. Acesso em: 22 jul. 2019.

Rodrigues, Flávio Lages. O rock na evangelização. Rio de Janeiro: MK, 2006.

Rodrigues, Flávio Lages. Os desafios para a igreja pregar o Evangelho na pós-modernidade. Rio de Janeiro: MK, 2018c.

Rodrigues, Flávio Lages. Percurso histórico da Comunidade Caverna de Adulão em Belo Horizonte: novos modelos eclesiais? Expedições, Morrinhos, v. 9, n. 3, p. 71-90, 2018d. Disponível em: https://www.revista.ueg.br/index.php/revista_geth/article/view/7660. Acesso em: 22 jul. 2019.

Tylor, Edward Burnett. A ciência da cultura. In: MORGAN, Lewis Henry. Evolucionismo cultural/textos de Morgan, Tylor e Frazer. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2005. p. 69-99.

Publicado

2022-08-30

Como Citar

Rodrigues, Flávio Lages. 2022. “No princípio Era O Rock, E O Rock Estava Na Caverna De Adulão, E O Rock Era a Caverna De Adulão”. GIS - Gesto, Imagem E Som - Revista De Antropologia 7 (1). São Paulo, Brasil:e185630. https://doi.org/10.11606/issn.2525-3123.gis.2022.185630.

Edição

Seção

Dossiê Religiões (Artigos)

Dados de financiamento