Entre tensões, estereótipos e cisões: a identidade japonesa no Brasil e sua representatividade na música

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2525-3123.gis.2023.200162

Palavras-chave:

Imigração japonesa, Identidades étnico-raciais, Representatividade asiática, Música

Resumo

A trajetória dos imigrantes japoneses no Brasil é marcada por uma série de tensões, estereótipos e cisões entre a própria comunidade acerca de sua identidade. As discussões sobre noções de japonesidade e brasilidade entre descendentes, no entanto, ganham novos contornos e arenas a partir do uso da arte. Neste trabalho, abordaremos aspectos da trajetória japonesa no Brasil, a formação de diferentes concepções e relações de etnicidade e discutiremos exemplos de como cada um destes grupos usa a música como ferramenta de afirmação de nacionalidade e plataforma de diálogo. Ressaltaremos também a divisão política intrínseca a estes movimentos e como as redes sociais têm permitido a emersão de novas vozes ao debate, entrevistando artistas militantes ativas na construção destes espaços.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Flávio Rodrigues, Universidade Estadual de Campinas

FLÁVIO RODRIGUES é mestrando em Música, com ênfase em Etnomusicologia, pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Cursou pós-graduação em Musicoterapia Preventiva e Social pelas Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU, 2017) e graduação em Música na Faculdade de Artes Alcântara Machado (FAAM, 2015). É pesquisador integrante do projeto temático “O Musicar Local: novas trilhas para a etnomusicologia”, numa parceria entre pesquisadores da UNICAMP e da Universidade de São Paulo (USP), desde 2020 e atua também como músico, compositor e educador. f263863@dac.unicamp.br.

Referências

Ahlgren, Angela K. 2018. Drumming Asian America: Taiko, Performance, and Cultural Politics. New York: Oxford University Press.

Azevedo, Rodrigo. 2018. Descendentes de japoneses são mais inteligentes; herança cultural explica. Gazeta do Povo, 18 mar. 2018. Disponível em: <https://bit.ly/3I9VOKv>. Acesso em: 2 maio 2022.

CPM 22 anuncia saída de Japinha após supostos casos de assédio. 2020. UOL, 17 ago. 2020. Disponível em: <https://bit.ly/3I8MrdS>. Acesso em: 2 maio 2022.

Fanon, Frantz. 1963. The Wretched of the Earth. New York: Grove Press.

Garcia, Rafael Mariano. 2020. O corpo na arte do taiko contemporâneo. Dissertação de mestrado, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

Hatugai, Érica Rosa. 2001. Ler, no corpo da “mestiça”, beleza, corporalidades e fronteiras no parentesco nikkey: as experiências de mulheres nipodescendentes no Brasil. Cadernos Pagu, no. 63: 1-16.

Hatugai, Érica Rosa. 2018. Um corpo como fronteira: Parentesco e identificações entre descendentes nipônicos “mestiços”. Tese de doutorado, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos.

Hikiji, Rose Satiko Gitirana. 2005. Etnografia da performance musical: identidade, alteridade e transformação. Horizontes Antropológicos, vol. 24: 155-184.

Hirata, Joe. 2020. Histórico. Joe Hirata, 2020. Disponível em: <https://bit.ly/3RNJSB3>. Acesso em: 2 maio 2022.

Igarashi, Yoshikuni. 2000. Bodies of Memory: Narratives of War in Postwar Japanese Culture, 1945-1970. Princeton: Princeton University Press.

Ischida, Camila Aya. 2010. A experiência nikkei no Brasil: uma etnografia sobre imaginários e identidades. Dissertação de mestrado, Universidade de São Paulo, São Paulo. Ito, Carol. 2020. Meu nome não é japa: o preconceito amarelo. TRIP, 12 mar. 2020. Disponível em: <https://bit.ly/3RJ613w>. Acesso em: 24 mar. 2021.

Japinha (CPM22). 2020. SítioVeg, 29 jun. 2020. Disponível em: <https://bit.ly/3x64ICf>. Acesso em: 2 maio 2022.

Kebbe, Victor Hugo. 2014. Ser japonês, ser nikkei, ser dekassegui: contornando metáforas de parentesco e nação. Revista de Antropologia da UFSCar, vol. 6, no. 1: 63-80.

Lesser, Jeffrey. 1999. Negotiating National Identity: Immigrants, Minorities, and the Struggle for Ethnicity in Brazil. Durham: Duke University Press.

Lesser, Jeffrey. 2007. A Discontented Diaspora: Japanese Brazilians and the Meanings of Ethnic Militancy, 1960-1980. Durham: Duke University Press.

Lorenz, Shanna. 2007. “Japanese in the Samba”: Japanese Brazilian Musical Citizenship, Racial Consciousness, And Transnational Migration. Tese de doutorado, Universidade de Pittsburgh, Pittsburgh.

Machado, Igor José de Renó. 2011. Japonesidades multiplicadas: sobre a presença japonesa no Brasil. In Japonesidades multiplicadas: novos estudos sobre a presença japonesa no Brasil, org. Igor José de Renó Machado, 5-17. São Carlos: EdUFSCar.

Machado, Igor José de Renó, Victor Hugo Kebbe e Cristina Rodrigues da Silva. 2008. Notas sobre família transnacional. Revista Interdisciplinar da Mobilidade Humana, vol. 16, no. 30: 79-98.

Moreira, Matheus. 2020. Em meio à epidemia de coronavírus, orientais no Brasil relatam preconceito e desconforto. GZH, 3 fev. 2022. Disponível em: <https://bit.ly/3x-qUWLr>. Acesso em: 7 out. 2022.

Nascimento, Toni. 2021. Mamonas Assassinas, quem foram? História, carreira e tragédia. Segredos do Mundo, 2021. Disponível em: <https://bit.ly/3YgnItZ>. Acesso em: 5 fev. 2022.

Pettersen, William. 1966. Success Story, Japanese-American Style. New York Times, 9 jan. 1966. Disponível em: <https://bit.ly/3YhSqTd>. Acesso em: 8 jan. 2023.

Rodrigues, Flávio. 2020. Os tambores que vibram em nós: a comunidade de prática do taiko na cidade de Atibaia e a quebra de estereótipos. In 30o Congresso da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Música, Manaus, 7 a 11 dez. 2020.

Rossini, Rosa Ester. 2005. A Memória Congelada do Imigrante: a solidariedade intergeracional dos japoneses e dos nikkeis no Brasil e no Japão atual. São Paulo em Perspectiva, vol. 19, no. 3: 34-43.

Sakurai, Célia. 2007. Os japoneses. São Paulo: Contexto.

Seelig, Ricardo. 2020. Os discos mais vendidos no Brasil em todos os tempos. Collectors Room, 28 set. 2020. Disponível em: <https://bit.ly/3JWkw27>. Acesso em: 2 maio 2022.

Stella, Elizabeth. 2020. “I Saw Myself Represented”: Taiko and Anime in Salvador, Bahia, Brazil. In 65o SEM Annual Meeting, Ottawa, out. 22-31, 2020. Virtual.

Takai. Fernanda. 2020. Bio. Fernanda Takai, jul. 2020. Disponível em: . Acesso em: 5 fev. 2022.

Turino, Thomas. 2008. Music as Social Life: The Politics of Participation. Chicago: University of Chicago Press.

Urbano, Krystal e Maria Elizabeth Pinto de Melo. 2018. A representação dos asiáticos na TV brasileira: apontamentos iniciais. In 41o Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, Joinville, 2 a 8 set. 2018.

Publicado

2023-03-31

Como Citar

Rodrigues, Flávio. 2023. “Entre Tensões, estereótipos E Cisões: A Identidade Japonesa No Brasil E Sua Representatividade Na Música”. GIS - Gesto, Imagem E Som - Revista De Antropologia 8 (1). São Paulo, Brasil:e200162. https://doi.org/10.11606/issn.2525-3123.gis.2023.200162.

Edição

Seção

Artigos