O estudo das fontes estrangeiras na obra de Machado de Assis e o caso italiano

  • Eugênio Vinci de Moraes
Palavras-chave: Machado de Assis, Fontes italianas, Crítica machadiana

Resumo

Os estudos das fontes italianas na obra de Machado de Assis ainda são uma esquecida árvore no meio da floresta dos estudos machadianos. Três aspectos explicam talvez a posição marginal dessas pesquisas: primeiro, o número menor de refer~encias italianas perante as inglesas e francesas, por exemplo; segundo, a ausência de estudos de maior fôlego; por último, por essa fonte não tocar nas questões centrais da obra de Machado. Neste artigo pretende-se mostrar de que forma trabalhar com as fontes em Machado, com base em três modelos de análise, e também de que forma esses estudos podem tocar, sim, em pontos fundamentais da obra de Machado, desde que não se desdenhe a já alentada e qualificada fortuna crítica do escritor fluminense.

Biografia do Autor

Eugênio Vinci de Moraes
Doutor em Literatura Brasileira pela Universidade de São Paulo (USP). Traduziu, entre outros, O marquês de Roccaverdina, de Luigi Capuana (Berlendis & Vertechia, 2005), A vida das freiras, de Pietro Aretino (Ácaro, 2005); tem publicado artigos sobre a presença de autores italianos na obra de Machado de Assis, como "Que reino é esse?" (Teresa, n. 6 e 7, 2006).
Publicado
2008-04-30
Como Citar
Moraes, E. (2008). O estudo das fontes estrangeiras na obra de Machado de Assis e o caso italiano. Revista De Italianística, (15), 123-131. https://doi.org/10.11606/issn.2238-8281.v0i15p123-131
Seção
Machado de Assis e a Itália