Notícias

LINHA D’ ÁGUA

ISSNe 2236-4242

Avaliação Capes Periódico - B1

APOIO: Agência USP da Gestão da Informação Acadêmica/ Aguia

Universidade de São Paulo- USP

Publicação quadrienal: jan-abril; maio-agosto; setembro-dezembro.

  • Sobre a revista

    2022-05-22

    Linha D' Água, classificada no nível B1 no sistema Qualis/CAPES (2013-2016), é uma revista acadêmica publicada desde 1980, pelo Programa de Pós-Graduação em Filologia e Língua Portuguesa da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, está certificada pela Agência USP de Gestão da Informação Acadêmica (AGUIA).

    Quadrimestralmente, publica artigos, resenhas, traduções que são produzidos por doutores e/ou doutorandos, além de mestres, mestrandos, graduados e/ou graduandos em coautoria com doutores e/ou doutorandos.

    Os artigos e resenhas, inéditos, podem ser enviados em português, inglês, francês, espanhol e devem seguir as normas da revista Linha d'Água.

    CHAMADAS ABERTAS

    Tema dos números 35/2 e 35/3: Análise de discursos comparativa e outras abordagens comparativistas, a serem publicados em agosto de 2022 e em dezembro de 2022. Prazo para submissão: finalizado. Para mais informações, clique aqui.

    Tema do número 36/1: Toponímia, seus caminhos: Tradição e inovação no estudo dos nomes de lugares, a ser publicado em abril de 2023. Prazo para submissão: 31 de agosto de 2022. Para mais informações, clique aqui.

    Tema do número 36/2: Estudos em Gramática, Texto e Discurso, a ser publicado em agosto de 2023. Prazo para submissão: 31 de outubro de 2022. Chamada restrita a participantes da 7ª GRATO – Conferência Internacional em Gramática & Texto. Para mais informações, clique aqui.

    Saiba mais sobre Sobre a revista
  • Dossiê Temático 36/2: Estudos em Gramática, Texto e Discurso

    2022-05-22

    A presente chamada para publicação destina-se aos participantes na 7ª GRATO – Conferência Internacional em Gramática & Texto, que teve lugar, em linha, nos dias 18 a 21 de novembro de 2021, organizada pelo grupo de investigação Gramática & Texto (G&T) do Centro de Linguística da Universidade NOVA de Lisboa (CLUNL).

    Este número da revista Linha D’Água reunirá artigos que contribuam para o aprofundamento das relações entre gramática e texto/discurso enquanto espaço de convergências e de interações. O trabalho de investigação neles apresentado e discutido pode situar-se em diferentes quadros teórico-metodológicos, podendo igualmente privilegiar o tratamento de tópicos de diferentes domínios do funcionamento e atividade linguística: da morfologia, da semântica, da teoria do texto e da análise do discurso, inclusive a partir de perspetivas sincrónicas e diacrónicas.

    A revista está indexada no Emerging Sources Citation Index (Web of Science), Latindex, DOAJ, REDIB, MLA, Linguistic Bibliography, EZB, Diadorim, Google Scholar e no Portal de Periódicos da CAPES. Os artigos aceitos e publicados online têm o número DOI.

    Os artigos submetidos devem estar de acordo com as “Normas de submissão” da revista Linha D’Água: https://www.revistas.usp.br/linhadagua/about/submissions

    O prazo para entrega dos originais deste número é 31 de outubro de 2022.

    Previsão de publicação: abril de 2023.

     

    Organizadoras:

    Helena Topa Valentim (NOVA FCSH / CLUNL)

    Matilde Gonçalves (NOVA FCSH / CLUNL)

    Teresa Oliveira (IP Portalegre – ESECS / CLUNL)

    Isabelle Simões Marques (Universidade Aberta / CLUNL)

    Carla Teixeira (IP Lisboa -ESE / CLUNL)

    Rute Rosa (CLUNL)

    Saiba mais sobre Dossiê Temático 36/2: Estudos em Gramática, Texto e Discurso
  • Dossiê temático 36/1: Toponímia, seus caminhos: Tradição e inovação no estudo dos nomes de lugares

    2022-03-15

    Os estudos em toponímia encontram-se, no século XXI, em uma encruzilhada entre tradição e inovação. A tradição originada no século XIX pressupõe a análise linguística de nomes de lugares em todos os seus processos morfológicos, sintáticos, semânticos, fonéticos, entre outros. Foi a partir dela que nasceu a toponímia na Universidade de São Paulo, em 1939. Embora a língua seja o foco/locus das análises, o não linguístico ou extralinguístico impunha-se, desde sempre, como elemento obrigatório em uma análise exaustiva e de cunho holístico. 

    Ainda hoje, no século XXI, essa necessária articulação não é completamente compreendida e nem sempre alcançada pelo pesquisador, talvez pela peculiar formação interdisciplinar necessária ao bom toponimista (SALAZAR-QUIJADA, 1985). Cientistas de outras áreas de Humanidades que não a linguística apontavam, já no final do século XX, a necessidade de se observar o fenômeno toponímico com outros olhos. Despontou, assim, a toponímia crítica e a interpretação da língua, em geral, e dos nomes próprios, em específico, como instrumentos ideológicos e ferramentas de poder.

    Embora não se excluam estudos de caráter aplicado, este número temático está aberto a contribuições de estudos toponímicos preferencialmente de cunho teórico e metodológico que dialoguem sobre essa articulação entre linguístico e não linguístico no âmbito das pesquisas em toponímia. Também são bem-vindos artigos, resenhas e traduções que apresentem iniciativas e projetos inovadores no que concerne ao tratamento e análise de corpora de nomes geográficos, seja em seu termo genérico ou específico. Serão aceitas contribuições não apenas com relação aos nomes de lugares no Brasil, mas também referentes a outros lugares ‒ inclusive não lusófonos. Assim, pretende-se, com este número temático e comemorativo dos oitenta e cinco anos de estudos toponímicos na Universidade de São Paulo, ampliar o escopo teórico e metodológico a respeito dos nomes próprios de lugares para articular tradição e inovação, o que se faz desejável nesse início de século. 

    A Linha D’Água aceita trabalhos de doutores e/ou doutorandos, além de trabalhos de mestres, mestrandos, graduados e ou graduandos em coautoria com doutores e/ou doutorandos. Os artigos podem ser submetidos em português, inglês, francês ou espanhol.

    Prazo para submissão: 31 de agosto de 2022.

    Previsão de publicação: abril de 2023.

    Para acessar as normas para submissão, clique em https://www.revistas.usp.br/linhadagua/about/submissions

    Editores convidados/as:

    Profa. Dra. Patricia Carvalhinhos (USP)

    Prof. Dr. Cézar Alexandre Neri Santos (UFAL)

    Profa. Ma. Adriana Tavares Lima (USP)

    Saiba mais sobre Dossiê temático 36/1: Toponímia, seus caminhos: Tradição e inovação no estudo dos nomes de lugares
  • Tema do número 35/2: Análise de discursos comparativa e outras abordagens comparativistas

    2021-04-01

    Esta chamada para publicação destina-se a pesquisadoras e pesquisadores das áreas de Letras – linguística e literatura – cujos trabalhos tenham uma orientação comparativa.  Num texto concebido nos últimos anos de sua produção teórica, o pensador russo Mikhail Bakhtin posicionou-se a respeito dos caminhos da ciência da literatura na Rússia de então. No texto “A ciência da literatura hoje”, em resposta à revista Novi Mir, Mikhail Bakhtin assinala a necessidade de um estudo da literatura e, mais amplamente, da linguagem, considerando uma relação mais direta com a cultura e a história: “[u]m sentido só revela as suas profundezas encontrando e contatando o outro, o sentido do outro: entre eles começa uma espécie de diálogo que supera o fechamento e a unilateralidade desses sentidos, dessas culturas.” Ao mesmo tempo que reitera a natureza do movimento dialógico, Bakhtin sugere que a potencialidade interpretativa de um enunciado se revela a partir do encontro com outrem, que lhe é distinto e externo. É desse ponto de vista que a análise de discursos comparativa é desenvolvida no Brasil pelo grupo Diálogo.  Inspirados nos postulados de Bakhtin e do Círculo, um dos eixos de trabalho do grupo se propõe a analisar diferentes gêneros discursivos, tendo por princípio metodológico a comparação entre línguas-culturas distintas. Para além dessa perspectiva de metodologia comparativa, abordagens de investigação que se pautam em métodos de base comparativista são frequentes nas diversas áreas das ciências humanas. No âmbito da linguagem, vertentes como a linguística histórica, linguística comparada e literatura comparada apresentam uma longa trajetória de pesquisas em que a comparação se apresenta como caminho para o estudo das mais variadas expressões e modalizações da linguagem. Dessa forma, a proposta central da presente chamada é congregar diferentes linhas de pesquisa que tomem por base metodológica abordagens comparativistas no campo dos estudos da linguagem.

    Saiba mais sobre Tema do número 35/2: Análise de discursos comparativa e outras abordagens comparativistas
  • Atualização da plataforma de publicação de Linha d'Água

    2019-01-10

    No início de agosto de 2018, o Sistema Integrado de Bibliotecas da Universidade de São Paulo /SIBi atualizou a plataforma de publicações de periódicos da Universidade, Open Journal Systems/ OJS. A mudança tem  como objetivo  oferecer a autores, avaliadores, editores um ambiente mais interativo tornando o processo editorial mais rápido  no envio dos textos até sua publicação.

    O processo de submissão dos artigos sofreu alterações.Os autores na revista,  ao acessarem o site da Linha d'Água para submeter o artigo,  são  direcionados a uma área interna da plataforma, onde estão disponíveis todos os formulários e instruções de submissão, e por onde o envio de arquivos será realizado. Toda a comunicação com os editores, da submissão à publicação, pode agora ser realizada nessa dessa área interna da plataforma com grande agilidade.

    Caso  alguém se  depare com  algum problema no funcionamento no espaço digital, estamos às ordens e para isso basta entrar em contato conosco no email

    ldagua@usp.br

    Saiba mais sobre Atualização da plataforma de publicação de Linha d'Água