Notícias

LINHA D’ ÁGUA

ISSNe 2236-4242

Avaliação Capes Periódico - B1

APOIO: Agência USP da Gestão da Informação Acadêmica/ Aguia

Universidade de São Paulo- USP

Publicação quadrienal: jan-abril; maio-agosto; setembro-dezembro.

  • Sobre a Revista

    2021-08-03

    Linha D' Água, classificada no nível B1 no sistema Qualis / CAPES, é uma revista acadêmica publicada desde 1980, pelo Programa de Pós-Graduação em Filologia e Língua Portuguesa da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, está certificada pela Agência USP de Gestão da Informação Acadêmica (AGUIA).

    Quadrimestralmente, publica artigos, resenhas, traduções que são produzidos por pesquisadores  e/ou professores doutores vinculados a instituições de ensino superior e institutos de pesquisa nacionais ou internacionais. 

    Os artigos e resenhas, inéditos, podem ser enviados em português, inglês, francês, espanhol e devem seguir as normas da revista Linha d'Água.

    CHAMADAS ABERTAS

    Tema do número 35/2: Análise de discursos comparativa e outras abordagens comparativistas, a ser publicado em agosto de 2022. Prazo para submissão: 30.09.2021. Para mais informações, clique aqui.

    Tema do número 35/3: Abordagens plurais e Intercompreensão em línguas românicas: reflexões sobre ensino e aprendizagem de línguas e formação de professores, a ser publicado em dezembro de 2022. Prazo para submissão: 01.03.2022. Para mais informações, clique aqui.

    Saiba mais sobre Sobre a Revista
  • Tema do n. 35/3: Abordagens plurais e Intercompreensão em línguas românicas: reflexões sobre ensino e aprendizagem de línguas e formação de professores

    2021-08-03

    As diferentes formas de se informar, comunicar e interagir em línguas estrangeiras nos dias de hoje são reflexo de um processo intenso de transformações da sociedade, ocorridas em diferentes esferas (social, cultural, econômica, política, educacional), cujas consequências se fazem sentir tanto no âmbito do indivíduo quanto do(s) grupo(s) ao(s) qual(is) está vinculado. Essas transformações têm um impacto especialmente significativo na esfera educacional, incluindo todas as etapas da vida escolar e, sobretudo, as universidades, nas quais as reflexões e os questionamentos sobre a formação e as ações de ensinar e aprender estão presentes no cotidiano de alunos e professores. No que se refere às línguas, a necessidade de se repensar os currículos, as abordagens metodológicas e a formação dos discentes e dos futuros professores é cada vez mais urgente. Algumas questões com as quais professores, alunos e pesquisadores estão se deparando no dia-a-dia são: Que competências e conteúdos curriculares devem ser considerados indispensáveis hoje? Que habilidades o/a professor/a necessita desenvolver tanto para atuar na educação básica quanto no meio universitário? Quais saberes deve acessar para dar conta da contemporaneidade?

    O contexto é particularmente complexo, pois nele convivem, apenas para citar alguns exemplos:

    (a) de um lado, o mito do país monolíngue (Capucho & Silva, 2014) e, de outro, a ampliação do ensino da língua brasileira de sinais (LIBRAS) e do ensino de português língua estrangeira (PLE) para alunos indígenas na universidade;

    (b) em âmbito acadêmico, de um lado, o paradigma de uma educação linguística que entende a internacionalização universitária como ensino de conteúdos das várias áreas do conhecimento em inglês e, de outro, iniciativas que promovem a democratização do acesso ao conhecimento através de programas de mobilidade acadêmica que incentivam uma abertura para o contato com outras línguas e culturas;

    (c) de um lado, uma política linguística que restringe o ensino de língua estrangeira na educação básica ao inglês e, de outro, a presença crescente de alunos indígenas e imigrantes (inclusive não anglófonos e não proficientes nem em português nem inglês) matriculados, por direito, nas escolas públicas brasileiras;

    (d) e ainda a multiplicação de espaços de informação e comunicação em várias línguas devido aos avanços tecnológicos que se fazem presentes no dia a dia de cada um dos indivíduos.

    Considerando esse cenário de múltiplas demandas relacionadas ao ensino de línguas na contemporaneidade, este volume se abre a reflexões em torno das seguintes temáticas gerais:

    1. Políticas Linguísticas plurilíngues 
    2. Educação linguística bi- e plurilíngue 
    3. Abordagens plurais
    4. Intercompreensão em Línguas românicas
    5. Plurilinguismo e ensino de línguas estrangeiras
    6. Ensino plurilíngue e formação de professores
    7. Ensino plurilíngue e tecnologias

    Calendário: 

    Envio de trabalhos: de 01 de agosto de 2021 a 1 de março de 2022

    Publicação do volume: dezembro de 2022

    Editoras convidadas:

    Elisabetta Santoro (USP)

    Heloísa Brito de Albuquerque Costa (USP)

    Mônica Ferreira Mayrink O'Kuinghttons (USP)

    Saiba mais sobre Tema do n. 35/3: Abordagens plurais e Intercompreensão em línguas românicas: reflexões sobre ensino e aprendizagem de línguas e formação de professores
  • Tema do número 35/2: Análise de discursos comparativa e outras abordagens comparativistas

    2021-04-01

    Esta chamada para publicação destina-se a pesquisadoras e pesquisadores das áreas de Letras – linguística e literatura – cujos trabalhos tenham uma orientação comparativa.  Num texto concebido nos últimos anos de sua produção teórica, o pensador russo Mikhail Bakhtin posicionou-se a respeito dos caminhos da ciência da literatura na Rússia de então. No texto “A ciência da literatura hoje”, em resposta à revista Novi Mir, Mikhail Bakhtin assinala a necessidade de um estudo da literatura e, mais amplamente, da linguagem, considerando uma relação mais direta com a cultura e a história: “[u]m sentido só revela as suas profundezas encontrando e contatando o outro, o sentido do outro: entre eles começa uma espécie de diálogo que supera o fechamento e a unilateralidade desses sentidos, dessas culturas.” Ao mesmo tempo que reitera a natureza do movimento dialógico, Bakhtin sugere que a potencialidade interpretativa de um enunciado se revela a partir do encontro com outrem, que lhe é distinto e externo. É desse ponto de vista que a análise de discursos comparativa é desenvolvida no Brasil pelo grupo Diálogo.  Inspirados nos postulados de Bakhtin e do Círculo, um dos eixos de trabalho do grupo se propõe a analisar diferentes gêneros discursivos, tendo por princípio metodológico a comparação entre línguas-culturas distintas. Para além dessa perspectiva de metodologia comparativa, abordagens de investigação que se pautam em métodos de base comparativista são frequentes nas diversas áreas das ciências humanas. No âmbito da linguagem, vertentes como a linguística histórica, linguística comparada e literatura comparada apresentam uma longa trajetória de pesquisas em que a comparação se apresenta como caminho para o estudo das mais variadas expressões e modalizações da linguagem. Dessa forma, a proposta central da presente chamada é congregar diferentes linhas de pesquisa que tomem por base metodológica abordagens comparativistas no campo dos estudos da linguagem.

    Saiba mais sobre Tema do número 35/2: Análise de discursos comparativa e outras abordagens comparativistas
  • Atualização da plataforma de publicação de Linha d'Água

    2019-01-10

    No início de agosto de 2018, o Sistema Integrado de Bibliotecas da Universidade de São Paulo /SIBi atualizou a plataforma de publicações de periódicos da Universidade, Open Journal Systems/ OJS. A mudança tem  como objetivo  oferecer a autores, avaliadores, editores um ambiente mais interativo tornando o processo editorial mais rápido  no envio dos textos até sua publicação.

    O processo de submissão dos artigos sofreu alterações.Os autores na revista,  ao acessarem o site da Linha d'Água para submeter o artigo,  são  direcionados a uma área interna da plataforma, onde estão disponíveis todos os formulários e instruções de submissão, e por onde o envio de arquivos será realizado. Toda a comunicação com os editores, da submissão à publicação, pode agora ser realizada nessa dessa área interna da plataforma com grande agilidade.

    Caso  alguém se  depare com  algum problema no funcionamento no espaço digital, estamos às ordens e para isso basta entrar em contato conosco no email

    ldagua@usp.br

    Saiba mais sobre Atualização da plataforma de publicação de Linha d'Água