Texto literário infantil: a compreensão da leitura e da linguagem literária

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2236-4242.v35i1p21-38

Palavras-chave:

Literatura infantil, Ler, Interação, Ensino, Anos iniciais do Ensino Fundamental

Resumo

O artigo pretende refletir sobre como o texto literário infantil se caracteriza a partir de sua leitura e dos leitores cujo desenvolvimento é mediado por esse texto. Essa proposta se justifica a partir de uma percepção de que, embora a prática de leitura do texto literário seja algo comum em muitas salas de aula, o que motiva essa leitura não é o encontro com a linguagem literária, mas o desenvolvimento de consciências linguísticas com base nas estruturas da língua identificadas no texto. Os argumentos apresentados buscam caracterizar a literatura infantil partindo do conceito de linguagem literária e defender a necessidade de uma mediação qualificada, tanto para expandir o repertório literário quanto para possibilitar a formação de um leitor que, com autonomia, seja capaz de ler, compreender e construir sentidos em interação com a linguagem literária, tornando essa prática presente em sua vida leitora.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marília Forgearini Nunes, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Professora Adjunta na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, no Departamento de Ensino e Currículo da Faculdade de Educação, na área Didática dos Anos Iniciais, leitura e escrita. Professora Permanente do Programa de Pós-graduação em Educação (PPGEDU/UFRGS) orientando pesquisas de mestrado. Licenciada em Letras, com habilitação nas línguas portuguesa e inglesa e respectivas literaturas (UFSM,1999), Mestre em Letras (UNISC, PPGL, 2007) e Doutora em Educação (UFRGS, PPGEDU, 2013). Coordenadora do Programa de Extensão Universitária "Quem quer brincar?" e do projeto de extensão "LER: clube de leitura (Lendo Em Roda)". Membro dos grupos de pesquisa GEARTE/PPGEDU/CNPq (Grupo de Pesquisa em Educação e Arte) e GPED/UFRGS (Grupo de Pesquisa sobre Educação e Disciplinamento).Editora Associada da Revista GEARTE. Pesquisa: educação literária, currículo literário, literatura infantil, leitura e mediação.

Renata Sperrhake, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Professora do Departamento de Ensino e Currículo da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Atua na área de Didática dos Anos Iniciais, Leitura e Escrita como docente do Curso de Pedagogia. Foi professora do Ciclo de Alfabetização na Rede Municipal de Ensino de Porto Alegre e no Colégio de Aplicação da UFRGS, onde atuou como professora substituta. Possui graduação em Pedagogia, mestrado e doutorado em Educação pelo PPGEDU/ UFRGS. Atualmente é docente do Programa de Pós-Graduação em Educação e líder do ​Grupo de Pesquisa sobre Educação e Disciplinamento (GPED) e integrante do Grupo Aula: Alfabetização, Linguagem e Ensino. É coordenadora adjunta do Programa de Extensão Universitária "Quem quer brincar?". Tem interesse nos seguintes temas: alfabetização, leitura, escrita, letramento, avaliações interna e externa e estudos foucaultianos.

Referências

AUERBACH, P. Direitos do pequeno leitor. São Paulo: Companhia das Letrinhas, 2017.

AZEVEDO, R. Livros para crianças e literatura infantil: convergência e dissonâncias. Revista Signo, Lajeado, v. 20, n. 1, p. 92-102, dez. 1999. Disponível em: http://www.ricardoazevedo.com.br/wp/wp-content/uploads/Livros-para-criancas-e-literatura-infantil.pdf. Acesso em: 24 abr. 2021.

BAJOUR, C. Ouvir nas entrelinhas: o valor da escuta nas práticas de leitura. São Paulo: Pulo do Gato, 2012.

BRASIL. Relatório Saeb/ANA 2016: panorama do Brasil e dos estados. Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), 2018. Disponível em: https://download.inep.gov.br/publicacoes/institucionais/avaliacoes_e_exames_da_educacao_basica/relatorio_saeb_ana_2016_panorama_do_brasil_e_dos_estados.pdf. Acesso em: 24 abr. 2021.

BRASIL. Relatório de resultados do Saeb 2019 volume 2: 2º ano do ensino fundamental. Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), 2021. Disponível em: https://download.inep.gov.br/educacao_basica/saeb/2019/resultados/relatorio_de_resultados_do_saeb_2019_volume_2.pdf. Acesso em: 24 abr. 2021.

CARDOSO, B. Mediação de leitura na Educação Infantil In: FRADE, I. C. A. S. da; VAL, M. da G. F. C.; BREGUNCI, M. das G. de C. (Orgs.). Glossário Ceale: Termos de alfabetização, leitura e escrita para educadores. Belo Horizonte: UFMG/CEALE, 2014. Disponível em: https://www.ceale.fae.ufmg.br/glossarioceale/verbetes/mediacao-literaria-na-educacao-infantil. Acesso em 25 abr. 2021.

CAFIERO, D.; RIBAS, C. O que as avaliações escolares e não escolares do letramento sinalizam para o ensino da leitura? In: RIBEIRO, V. M.; LIMA, A. L. D.; BATISTA, A. A. G. (Orgs.). Alfabetismo e letramento no Brasil: 10 anos do INAF. Belo Horizonte: Autêntica, 2015. p. 421-453.

COELHO, N. N. Literatura infantil: teoria, análise, didática. São Paulo: Moderna, 2000.

COLOMER, T. Andar entre livros: a leitura literária na escola. Tradução de Laura Sandroni. São Paulo: Global, 2007.

COLOMER, T. Introdução à literatura infantil e juvenil atual. Tradução de Laura Sandroni. São Paulo: Global, 2017.

CORSETTI, B. A análise documental no contexto da metodologia qualitativa. UNIrevista, São Leopoldo, vol. 1, n. 1, p. 32-46, jan. 2006.

COSSON. R. Letramento literário: teoria e prática. São Paulo: Contexto, 2006.

DEVETACH, L. Conto escondido. Curitiba: Base Livros Didáticos Ltda, 2009.

FOX, D. O gato, o cachorro, chapeuzinho, os ovos explosivos, o lobo e o guarda-roupa da vovó. Tradução de Monica Stahel. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2014.

HUNT, P. Crítica, teoria e literatura infantil. São Paulo: Cosac Naify, 2010.

INSTITUTO PRÓ-LIVRO. Retratos da leitura no Brasil: dados da 5ª edição. Pró-livro, 2020. Disponível em: https://www.prolivro.org.br/5a-edicao-de-retratos-da-leitura-no-brasil-2/a-pesquisa-5a-edicao/. Acesso em 25 abr. 2021.

JUNIOR, E. B. L. et al. Análise documental como percurso metodológico na pesquisa qualitativa. Cadernos da FUCAMP, Monte Carmelo, v. 20, n. 44, p. 36-51, 2021.

LEAL, T. F.; ROSA, E. C. de S. Formação de leitores na escola: leitura como prática social. In: BRASIL. Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa. A oralidade, a leitura e a escrita no ciclo de alfabetização. Caderno 05. Brasília: MEC, SEB, 2015, p. 32-45.

MANGUEL, A. A. Uma história natural da curiosidade. São Paulo: Companhia das Letras, 2015. E-book (não paginado).

MONTEIRO, S. M.; SOARES, M. Processos cognitivos na leitura inicial: relação entre estratégias de reconhecimento de palavras e alfabetização. Educação e Pesquisa [online]. São Paulo, v. 40, n. 2, p. 449-466, 2014. https://doi.org/10.1590/S1517-97022014005000006.

NUNES, M. F.; RAMOS, F. B. Efeitos da ilustração do livro de literatura infantil no processo de leitura. In: RAMOS, F. B.; PANOZZO, N. S. P (Orgs.). Mergulhos da leitura: a compreensão leitora da literatura infantil. Caxias do Sul, RS: Educs, 2015, p. 61-74.

PAULINO, G. Algumas especificidades da leitura literária. In: PAIVA, A. et al. (org.). Leituras literárias: discurso transitivo. Belo Horizonte: CEALE, Autêntica, 2005, p. 55-68.

RAMPAZO, Alexandre. Este é o lobo. São Paulo: DCL, 2016.

REYES, Y. Mediadores de Leitura. In: FRADE, I. C. A. S. da; VAL, M. da G. F. C.; BREGUNCI, M. das G. de C. (Orgs.). Glossário Ceale: Termos de alfabetização, leitura e escrita para educadores. Belo Horizonte: UFMG/CEALE, 2014. Disponível em: https://www.ceale.fae.ufmg.br/glossarioceale/verbetes/mediadores-de-leitura.

SÁ-SILVA, J. R.; ALMEIDA, C. D. de; GUINDANI, J. F. Pesquisa documental: pistas teóricas e metodológicas. Revista Brasileira de História & Ciências Sociais, [S. l.], v. 1, n. 1, 2009. Disponível em: https://periodicos.furg.br/rbhcs/article/view/10351. Acesso em: 25 abr. 2021.

SOARES, M. A escolarização da literatura infantil e juvenil. In: EVANGELISTA, A. A. M.; BRANDÃO, H. M. B.; MACHADO, M. Z. V. (Orgs.). A escolarização da leitura literária. O jogo do livro infantil e juvenil. Belo Horizonte: Autêntica, 2006.

SOARES, M. Alfabetização: a questão dos métodos. São Paulo: Contexto, 2016.

SPINILLO, A. G. Alfabetização e consciência metalinguística: da leitura da palavra à leitura do texto. In: MALUF, M. R.; CARDOSO-MARTINS, C. (Orgs.). Alfabetização no século XXI: como se aprende a ler e a escrever. Porto Alegre: Penso, 2013, p. 138-154.

STEINER, G. Aqueles que queimam livros. Belo Horizonte: Editora Âyiné, 3. ed., 2018.

VAZ, T. Interatividade e produção sob demanda dão gás à literatura infantil. Folha de São Paulo. São Paulo, 19 jan. 2019. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/mpme/2019/01/interatividade-e-producao-sob-demanda-dao-gas-a-literatura-infantil.shtml. Acesso em 24 abr. 2021.

Downloads

Publicado

2022-03-21

Como Citar

Nunes, M. F., & Sperrhake, R. (2022). Texto literário infantil: a compreensão da leitura e da linguagem literária. Linha D’Água, 35(1), 21-38. https://doi.org/10.11606/issn.2236-4242.v35i1p21-38