Interações digitais: conflito, argumentação e violência verbal nas redes sociais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2236-4242.v34i2p117-134

Palavras-chave:

Discurso argumentativo, Polêmica, Discurso digital, (Im)polidez linguística, Discurso de emoções

Resumo

Os comportamentos na Web constituem um vasto e frutífero campo de pesquisa em uma ampla gama de áreas científicas, especialmente a linguística. Interessamo-nos pelo comportamento linguístico dos usuários de redes sociais, principalmente do Facebook; investigamos a forma como as pessoas interagem, tomam partido em debates, argumentam, defendem pontos de vista, atuam em polêmicas. Partindo do questionamento se a grande visibilidade das interações nas redes sociais altera o estatuto da violência nas situações de controvérsia argumentativa, como é caso das polêmicas, investigamos como se dá o estatuto da violência nas redes sociais, especificamente, em interações marcadas pela dissensão, como é o caso das polêmicas. Nesse sentido, observamos como nessas interações prevalecem as paixões, o páthos, expresso especialmente pela violência verbal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Lúcia Tinoco Cabral, Universidade de São Paulo

 

 

Referências

AMOSSY, R. A Apologia da Polêmica. São Paulo: Contexto, 2017.

ANGENOT, M. La parole pamphlétaire typologie des discour modernes. Paris, Payot, 1982.

BOUSFIELD, D. Impolitenesse in the struggle for power. In: BOUSFIELD, D.; LOCHER, M. (Eds.). Impoliteness in Language. Berlin/NY: Mouton de Gruyter, 2008, p. 127-153.

CABRAL, A. L. T. Inteligência Retórica: violência e emoções na construção do ethos. Verbum, v. 9, n. 1, p. 49-64, 2020. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/verbum/article/view/48365/pdf. Acesso em: 13 jun. 2021.

CABRAL, A. L. T. Violência verbal e argumentação nas redes sociais: comentários no Facebook. Revista Calidoscópio, v. 17, n. 3, p. 416-432, 2019. Disponível em: http://revistas.unisinos.br/index.php/calidoscopio/issue/view/789. Acesso em: 13 jun. 2021.

CABRAL, A. L. T.; MARQUESI, S. C.; SEARA, I. R. L’articulation entre le descriptif et les émotions dans l’argumentation en faveur de Dominique Strauss-Kahn. In: RABATEL, A.; MONTE, M.; RODRIGUES, M. G. S. (Eds.). Comment les médias parlent des émotions l’Affaire Nafissatou Diallo contre Dominique Strauss-Kahn. Limoges: Lambert-Lucas, 2015, p. 307-323.

CABRAL, A. L. T.; LIMA, N. V. Interações conflituosas e violência verbal nas redes sociais: polêmica em comentários no Facebook. Revista (Con)textos Linguísticos, v. 12, n. 22, Edição Especial Violência Verbal, p. 39-58, 2018. Disponível em: http://www.periodicos.ufes.br/contextoslinguisticos/article/view/20626/14231. Acesso em: 13 jun. 2021.

CABRAL, A. L. T.; LIMA, N. V. Argumentação e polêmica nas redes sociais: o papel de violência verbal. Signo. v. 42, n. 73, p. 86-97, 2017. Disponível em: http://dx.doi.org/10.17058/signo.v42i73.8004. Acesso em: 13 jun. 2021.

CABRAL, A. L. T.; ALBERT, S. A. de B. Quebra de polidez na interação: das redes sociais para os ambientes virtuais de aprendizagem. In: CABRAL, A. L. T.; SEARA, I. R.; GUARANHA, M. F. (Orgs.). Descortesia e Cortesia: expressão de culturas. São Paulo: Cortez, 2017, p. 267-294.

CHAVES, A. M. O Flautista de Hamelin. Tradução do poema de “The pied piper of Hamelin”, de Robert Browning. E-F@BULATIONS/E-F@BULAÇÕES, v. 10, p. 54-72, 2012. Disponível em: https://ler.letras.up.pt/uploads/ficheiros/11443.pdf. Acesso em: 13 jun. 2021.

CNN BRASIL. Coronavac obtém registro definitivo na China e será usada na população em geral. CNN Brasil, São Paulo, 6 fev. 2021. Disponível em: https://www.cnnbrasil.com.br/saude/2021/02/06/coronavac-obtem-registro-definitivo-na-china-e-sera-usada-na-populacao-em-geral. Acesso em: 13 jun. 2021.

CULPEPER, J. Impoliteness using language to cause offense. Cambridge: Cambridge University Press, 2011.

CULPEPER, J. Reflections on impoliteness, relational work and power. In: BOUSFIELD, D.; LOCHER, M. (Eds.). Impoliteness in Language. Berlin/NY: Mouton de Gruyter, 2008, p. 17-44.

DANBLON, E. La function persuasive antropologie du discours rhétorique origines et actualité. Paris: Armand Colin, 2005.

DEVELOTTE, C. Décrire l’espace d’exposition discursive dans un campus numérique. Le français dans le monde. Recherches et applications, numéro spécial, p. 88–100, 2006. Disponível em: https://halshs.archives-ouvertes.fr/halshs-00151851. Acesso em: 13 jun. 2021.

GEORGES, F. Identités Virtuelles les profils utilisateur du Web 2.0. Mercuès: Editions Questions théoriques, 2010.

GOFFMAN, E. Forms of talk. Philadelphia: University of Pensylvania Press, [1974] 1981.

GRAHAM, S. L. ; HARDAKER, C. (Im)politeness in digital communication. In: CULPEPER, J.; HAUGH, M.; KADAR, D. Z. (Eds.). The Palgrave Handbook of Linguistic (Im)politeness. London : Palgrave Macmillan, 2017, p. 785-814.

HOUAISS, A.; VILLAR, M. S. Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001.

KAUFMANN, J-C. L’invention de soi: une théorie de l’identité. Paris: Armand Colin, 2004.

KERBRAT-ORECCHIONI, C. Abordagem intercultural da polidez linguística: problemas teóricos e estudo de caso. In: CABRAL, A. L. T.; SEARA, I. R.; GUARANHA, M. F. (Orgs.). Descortesia e Cortesia: expressão de culturas. São Paulo: Cortez, 2017, p. 17-55.

KERBRAT-ORECCHIONI, C. Polidez e impolidez nos debates políticos televisivos: o caso dos debates entre dois turnos dos presidentes franceses. In: SEARA, I. R. (Ed.). Cortesia: olhares e (re) invenções. Lisboa: Chiado Editora, 2014, p. 47-82.

KERBRAT-ORECCHIONI, C. Le discours en interaction. Paris: Armand Colin, 2005.

LOCHER, M. Politeness research from past to future, with a special focus on the discoursive approach. In: AMAYA, L. F. ; HERNÁNDEZ-LÓPEZ, M. De la O. ; MORÓN, R. G. ; CRUZ, M. P. ; BORRERO, M. M. ; BARRANCA, M. R. (Eds.). New perspectives on (Im)politeness and interpersonnal communication. Newcastle : Cambridge Scholars Publishing, 2012, p. 36-60.

MAÍZ-ARÉVALO, C. Losing face on Facebook: linguistic strategies to repair face in a Spanish common interest group. In: BOU-FRANCHE, P.; BLITVICH, P. G-C. (Eds.). Analysing Digital Discourse New Insights and Futures Directions. Cham: Palgrave Macmillan, 2019, p. 283 – 309.

MEYER, M. Principia Rhetorica une théorie Générale de l’argumentation. Paris: Librairie Arthème Fayard, 2008.

MILLS, S. Sociocultural Approches to (Im)politeness. In : CULPEPER, J.; HAUGH, M.; KADAR, D. Z. (Eds.) The Palgrave Handbook of Linguistic (Im)politeness. London : Palgrave Macmillan, 2017, p. 41-60.

OLIVEIRA, A. L. A. M.; CABRAL, A. L. T. Batalhas de MC: um estudo sobre (im)polidez e categorização axiológica à luz da pragmática. Revista de estudos da linguagem (UGMG), v. 28, n. 4, p. 1983-2004, 2020. Disponível em: http://www.periodicos.letras.ufmg.br/index.php/relin/article/view/16681. Acesso em: 13 jun. 2021.

PAVEAU, M-A. 2017. L’Analyse du Discours Numérique. Dictionnaire des formes et des pratiques. Paris: Hermann, 2017.

PLANTIN, C. Dictionnaire de l’argumentation. Une introduction aux études d’argumentation. Lyon: ENS Éditions, 2016.

SEARA, I. R.; CABRAL, A. L. T. O comentário elogiativo nas redes sociais: estratégias de cortesia valorizadora. Revista da Associação Portuguesa de Linguística, n. 3, p. 311-332, 2017. Disponível em: https://doi.org/10.26334/2183-9077/rapln3ano2017a17. Acesso em: 13 jun. 2021.

TECMUNDO. Brasil é o terceiro país com mais usuários no Facebook. Tecmundo, Curitiba, 27 fev. 2019. Disponível em: https://www.tecmundo.com.br/redes-sociais/139130-brasil-terceiro-pais-usuarios-facebook.htm Acesso em: 13 jun. 2021.

TERKOUFARI, M. Toward a unified theory of politeness, impoliteness and rudeness. In: BOUSFIELD, D.; LOCHER, M. A. (Eds.). Impoliteness in Language. Berlin, NY: Mouton de Gruyter, 2008, p. 45-74.

Downloads

Publicado

2021-09-01

Como Citar

Cabral, A. L. T., & Guaranha, M. F. . (2021). Interações digitais: conflito, argumentação e violência verbal nas redes sociais. Linha D’Água, 34(2), 117-134. https://doi.org/10.11606/issn.2236-4242.v34i2p117-134

Edição

Seção

Artigos originais