Análise comparativa de duas traduções da obra Yerma para o português

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2236-4242.v35i2p100-117

Palavras-chave:

Desconstrução , Jacques Derrida , Escolhas tradutórias , Língua , Dívida

Resumo

Com base nas reflexões de Jacques Derrida sobre a tradução (1998, 1999, 2001, 2006), analisamos duas traduções para o português brasileiro, assinadas por Cecília Meireles (1963) e Marcus Mota (2000), da obra dramática Yerma, de Federico García Lorca. Buscamos fazer uma análise comparativa dessas traduções, problematizando as possíveis semelhanças e/ou diferenças entre elas, com ênfase nas escolhas tradutórias no âmbito do nível de linguagem e seus impactos no tom dramático e poético do texto, tais como: supressão ou acréscimo textual e seus efeitos; nomes e designações dos personagens; e as escolhas tradutórias relativas à seleção vocabular de estruturas gramaticais e sintático-semânticas e seus efeitos. Com a análise comparativa, comprovamos que as escolhas tradutórias feitas por Meireles (1963) e por Mota (2000) evidenciam transformações nos textos traduzidos e constroem imagens diferentes da obra de Lorca.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Vanessa Roma da Silva, Universidade Estadual de Santa Cruz

    Graduada em Letras (Licenciatura em Língua Portuguesa e Língua Espanhola) pela Universidade Estadual de Santa Cruz UESC (Ilhéus-Bahia). Graduada em Psicologia pela Faculdade de Tecnologia e Ciências -FTC (Itabuna- Bahia, 2012). Pós graduada em Psicologia Clínica e Hospitalar pela Faculdade Social da Bahia. Psicóloga clínica, psicóloga escolar e professora de Língua Portuguesa. Mestranda no Programa de Pós-graduação em Letras: Linguagens e Representações (PPGLLR) na Universidade Estadual de Santa Cruz (2018-2020), sob a orientação da Profa. Dra. Élida Paulina Ferreira

  • Élida Paulina Ferreira, Universidade Estadual de Santa Cruz

    Possui graduação em Letras pela Universidade de Brasília (1985), mestrado em Lingüística Aplicada pela Universidade Estadual de Campinas (1988) e doutorado em Lingüística Aplicada pela Universidade Estadual de Campinas (2003). Atualmente é professora Plena da Universidade Estadual de Santa Cruz. Tem experiência na área de Lingüística Aplicada, atuando principalmente na área de tradução, numa interface com a desconstrução de Jacques Derrida. Atua, ainda, na área de ensino de Língua Estrangeira. Participa como docente permanente do Programa de Pós-graduação em Letras: Linguagens e Representações da UESC-Bahia.

Referências

ALVES, S. P. Teatro de García Lorca: a arte que se levanta da vida. São Paulo: PUC, 2011.

BRANCO, L. C (Org.) “A tarefa do tradutor, de Walter Benjamin: quatro traduções para o português”. Belo Horizonte: Fale/UFMG. 2008.

DERRIDA, J. Gramatologia. Tradução de Miriam Shneiderman e Renato Janine Ribeiro. São Paulo: Editora Perspectiva, 1973.

DERRIDA, J. Carta a um amigo japonês In: OTTONI, Paulo. (Org.) A prática da diferença. tradução de Érica Lima. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 1998, p.19 - 25.

DERRIDA, J. Lo ilegible In: No escribo sin luz artificial. Trad. Rosário Ibañes y Maria José Pozo. Valladolid, Cuatro ediciones, 1999.

DERRIDA, J. Posições. Tradução. de Tomaz Tadeu da Silva. Belo Horizonte: Autêntica, 2001.

DERRIDA, J. Torres de Babel. Tradução de Junia Barreto. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2006.

FURLAN, M. Brevíssima história da teoria da tradução no ocidente: os romanos. Cadernos de tradução, UFSC, pp. 11-28, 2001.

LORCA, F.G. Yerma. Tradução de Cecília Meireles. Rio de Janeiro: Aguilar, 1963.

LORCA, FG. Yerma. Edición de Losada, S.A. Buenos Aires, 1956.

LORCA, F.G. Yerma. Edición de Miguel García Posada. Decimoquinta edición: 8 – VI- 1989.

LORCA, F.G. Yerma. Tradução de Marcus Mota. Brasília: Editora da UnB, 2000.

LORCA, F.G. Yerma. Edición de Mario Hernández. Madrid: Alianza Editorial, 2013.

MOTA, M. Teatro e Tradução: Experiências no Laboratório de Dramaturgia. Dramaturgias, [S. l.], n. 7, p. 190–210, 2018. Disponível em: https://doi.org/10.26512/dramaturgias.v0i7.9522.

MOTA, S.B.V da. A gramatologia, uma ruptura nos estudos sobre a escrita. Delta, São Paulo, vol. 13, n. 2, p. 291-313, ago. 1997.

SAUSSURE, F. Curso de linguística geral. 27a. Ed. São Paulo: Cultrix, 2006.

Downloads

Publicado

2022-08-15

Como Citar

SILVA, Vanessa Roma da; FERREIRA, Élida Paulina. Análise comparativa de duas traduções da obra Yerma para o português. Linha D’Água, São Paulo, v. 35, n. 2, p. 100–117, 2022. DOI: 10.11606/issn.2236-4242.v35i2p100-117. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/linhadagua/article/view/190335.. Acesso em: 21 abr. 2024.