Tipologia de expressões cristalizadas verbais do espanhol peninsular: um estudo preliminar e comparado

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2236-4242.v35i2p160-173

Palavras-chave:

Fraseologia , Léxico-gramática , Sintaxe , Análise comparada, Língua espanhola

Resumo

Este trabalho apresenta os resultados de um estudo piloto do comportamento sintático-semântico de expressões cristalizadas verbais (ECV) do espanhol peninsular (ESP), como “perderse la cabeza”, tendo como base a tipologia proposta por Vale (2002) para as ECV do português brasileiro (PB). Além disso, estabelece-se uma comparação preliminar entre expressões cristalizadas do ESP e seus equivalentes semelhantes do PB. Para o desenvolvimento da pesquisa, foram analisadas e classificadas 20 ECV do ESP em 5 classes distintas, segundo suas propriedades sintático-semânticas. Com isso, ao final da análise, pôde-se concluir que: (i) as expressões selecionadas apresentam um comportamento léxico-sintático-semântico semelhante nos dois idiomas; e (ii) determinados comportamentos de construções verbais livres se conservam nas expressões cristalizadas constituídas pelo mesmo verbo: em língua espanhola, por exemplo, verificou-se a seleção da preposição a na introdução de complementos humanos ou humanizados, e a maior incidência de expressões com verbos reflexivos.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Maria Caroline dos Santos Fonseca, Universidade Federal de Sergipe

    Possui graduação em Letras (habilitação em espanhol) pela Universidade Federal de Sergipe (UFS). Atualmente, é professora substituta de língua espanhola do Colégio de Aplicação da UFS. Atua nas áreas de Fraseologia, Lexicologia, Lexicografia e Sintaxe, especificamente nos campos voltados a metalexicografia, descrição léxico-sintática e estudos comparados entre as línguas portuguesa e espanhola.

  • Roana Rodrigues, Universidade Federal de Sergipe

    Possui Doutorado em Linguística pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), mestrado em Linguística e graduação em Letras (Português e Espanhol) também pela UFSCar. Atualmente, é professora de língua espanhola do Departamento de Letras Estrangeiras da Universidade Federal de Sergipe (UFS). Atua nas áreas de Lexicologia, Lexicografia e Sintaxe, com ênfase nos seguintes temas: descrição léxico-sintática, construções com verbos locativos, estudos comparados das línguas portuguesa e espanhola e ensino de espanhol.

Referências

BARROS, C. D. Descrição e classificação de predicados nominais com o verbo-suporte fazer no Português do Brasil. Tese (Doutorado em Linguística). Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2014. Disponível em: https://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/5632?show=full. Acesso em outubro de 2021.

BELANDO, M. G. Considerações sobre o clítico se em construções médias com os verbos espanhóis matar e morir. Caracol, [S. l.], n. 19, p. 394-425, 2020. DOI: http://doi.org/10.11606/issn.2317-9651.v0i19p394-425.

DI TULLIO, A.; MALCUORI, M. Gramática del español para maestros y profesores del Uruguay. 1. ed. Montevideo: ANEP. ProLEE, 2012.

GROSS, M. Méthodes en syntaxe. Régime des constructions complétives. Paris: Hermann, 1975.

GROSS, M. Une classification des phrases figées du français. Revue québécoise de linguistique, v. 11, n. 2, p. 151 – 185, 1982. DOI: https://doi.org/10.7202/602492ar.

NOIMANN, A. Proposta de dicionário de regência verbal português/espanhol para aprendizes brasileiros de espanhol. Tese (Doutorado em Teorias Linguísticas do Léxico). Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2015. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/117590. Acesso em outubro de 2021.

RAMMÉ, V.; RODRIGUEZ, D. G. V. O uso da preposição ‘a’ como objeto direto (OD) e objeto indireto (OI): uma análise contrastiva entre o espanhol e o português brasileiro. Caletroscópio, v. 8, n. Especial II, p. 103, 126, 2020. Disponível em: https://periodicos.ufop.br/caletroscopio/article/view/3890.

RANCHHOD, E. M. O lugar das expressões ‘fixas’ na gramática do Português. In: CASTRO, I.; DUARTE, I. (eds.). Razão e Emoção. Lisboa: INCM, p. 239-254, 2003.

REIS, S. M. M. A correspondência entre provérbios e expressões fixas no português europeu. Dissertação (Mestrado em Ciências da Linguagem). Universidade do Algarve, Faro, 2014. Disponível em: https://sapientia.ualg.pt/handle/10400.1/6900. Acesso em outubro de 2021.

RODRIGUES, R.; VALE, O. A.; BAPTISTA, J. Relações formais entre expressões cristalizadas e as construções verbais locativas livres. Revista do GELNE, [S. l.], v. 21, n. 1, p. 47–62, 2019. DOI: http://doi.org/10.21680/1517-7874.2019v21n1ID16055.

SILVA, L. L. O. El abrazo de las palabras: estudio contrastivo entre las expresiones fijas de la lengua portuguesa de Brasil y sus equivalencias en la lengua española de España. Tese (Doutorado em Custiones de la Lengua), Universidad de Salamanca, Salamanca, 2013.

TERMIGNONI, S.; FINATTO, M. J. B. Sobre a importância de ensinar expressões idiomáticas. Revista de Italianística, [S. l.], n. 35, p. 112-124, 2017. DOI: http://doi.org/10.11606/issn.2238-8281.v0i35p112-124.

VALE, O. A. Expressões cristalizadas: transparência e opacidade. Signótica, Goiânia, v. 11, n. 1, p. 163–172, 2009. DOI: http://doi.org/10.5216/sig.v11i1.7282.

VALE, O. A. Expressões cristalizadas do português do Brasil: uma proposta de tipologia. Tese (Doutorado em Letras). Universidade Estadual Júlio Mesquita Filho, Araraquara, 2002.

VILLAVICENCIO, A. et al;. Identificação de Expressões Multipalavra em Domínios Específicos. Linguamática, v. 2, n. 1, p. 15-33, 7 Abr. 2010. Disponível em: https://linguamatica.com/index.php/linguamatica/article/view/43.

Downloads

Publicado

2022-08-15

Como Citar

FONSECA, Maria Caroline dos Santos; RODRIGUES, Roana. Tipologia de expressões cristalizadas verbais do espanhol peninsular: um estudo preliminar e comparado. Linha D’Água, São Paulo, v. 35, n. 2, p. 160–173, 2022. DOI: 10.11606/issn.2236-4242.v35i2p160-173. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/linhadagua/article/view/191932.. Acesso em: 14 abr. 2024.